Então os médicos sabem mais do que eu sobre medicina só porque estudaram?

Personagem Charlie, da série It’s Always Sunny in Philadelphia Foto: FX Networks/20th Television

em princípio sim. Esta frase, dita num vídeo nas redes sociais por um ex-concorrente desses programas de entretenimento absurdo que continuam a nascer como cogumelos nos canais de televisão, ficou-me no ouvido, desde há vários meses. Fez-me reflectir sobre uma certa intolerância que tenho à estupidez, ajudando-me a fortalecer essa opinião e percebendo bem o seu alcance.

Ser intolerante à estupidez faz parecer que temos um conjunto de preconceitos sobre as pessoas que poderão não ter tido as mesmas oportunidades de se educarem ou que poderão ter sérias dificuldades de aprendizagem. Não é por aí que quero ir, pois sou sensível a essas questões e acho que elas têm de ser resolvidas em sede própria (assunto para outro texto).

[Read more…]

Acordo ortográfico – a opinião de Scolari

De acordo com a base IV do Acordo Ortográfico, em Portugal e no Brasil passará a escrever-se “ótimo”, tendo em conta que o p de “óptimo” é mudo. Temos, efectivamente, aqui, um exemplo de unificação ortográfica. Pormenores como este são usados por alguns que defendem que o Acordo contribuirá para uma unificação da língua – como se a língua se reduzisse à ortografia –, com consequências positivas, como o aumento da circulação de livros portugueses no Brasil. Para além desta brilhante argumentação de Desidério Murcho, será interessante recordar um vídeo em que Luiz Felipe Scolari demonstra que continuará a haver muitas diferenças entre o Português falado na Europa e na América do Sul, por muito que se mexa na ortografia.