Askatasuna!

E assim começa um processo revolucionário na Madeira. O regime jardinista que se cuide…

Argoladas fascistas do regime jardinista

Jardim

O rei-palhaço do Carnaval da Madeira continua a governar o arquipélago no registo autoritário e patético que lhe é conhecido e amplamente tolerado pelos moços que se vão alternando no poder em Lisboa. Um misto de humor e fascismo.

Ontem foi dia de reunião do conselho regional do PSD-Madeira. A oposição interna liderada por Miguel Albuquerque apresentou um requerimento no sentido de antecipar, de Dezembro para Junho, as directas internas da estrutura madeirense mas o projecto não teve pernas para andar no interior de um órgão completamente dominado e escolhido a dedo por João Jardim. E se duvidas restassem nas cabeças dos conselheiros madeirenses, o Putin do Funchal ameaçou recandidatar-se caso o requerimento fosse aprovado. “Se o congresso fosse antecipado, eu teria de entrar em campo outra vez.” declarou o czar das bananas que, antes desta manobra intimidatória já teria, segundo a edição de hoje d’O Público, pressionado o conselho jurisdicional e o secretariado para que rejeitassem o requerimento de Albuquerque e acenado com expulsões do partido a todos aqueles que discordassem das orientações aprovadas pela comissão regional relativamente às internas e ao próximo congresso. Escusado será dizer que o conselho reagiu e deliberou em linha com a vontade do querido líder.

[Read more…]

House of Turds

HouseOfTurds

Há pouco, julgava estar a folhear a publicação com a capa mais divertida da semana – excepto, talvez, a da edição de ontem do Jornal da Madeira –, quando, entretanto, me deparei com esta, que teve o condão de atrair a atenção do Language Log e de Paul Krugman. A história, em português europeu, é contada pelo Público. O senhor que faz de Kevin Spacey chama-se John Boehner. Ah! Sim, “House of Turds”. Em inglês, ‘turd’ significa isto (o UD, como sempre, vai ao osso); em português, sim, está bem, pode ser.

Barricados no Jornal da Madeira

O Jornal da Madeira é uma vergonha, sabe-se. Corrente de transmissão do jardinismo, veículo da publicidade do governo regional paga a preço de ouro, subsidiado pelo erário público, distribuído gratuitamente com o duplo objectivo de, por um lado, amplificar as “verdades oficiais” e a glorificação do PSD/Jardim e, por outro lado, retirar circulação e reduzir a capacidade de informar dos outros jornais madeirenses, o Jornal da Madeira está, neste momento, a ser palco de uma contestação no interior das suas instalações por parte dos candidatos do PND

Vamos passar da legítima defesa à acção directa.”

A frase não é inocente. Depois da legítima defesa de Alberto João contra o governo central, a acção directa do PND contra um uma das praças fortes do poder regional . A Madeira é cada vez menos um Jardim.

Criminoso Pelo que Fez a Portugal

Este homem tem que ser julgado“. Mas tem que ser um julgamento justo, sem as televisões do Contenente, só o jornal da Madeira