Um quinto dos portugueses

ainda pensa em votar naquelas bestas?

Seus palermas, sondagens há muitas…

Parece que é da Marktest, e sai amanhã. Encontrei no Facebook, entrego a quem provar pertencer-lhe:

PPD/ PSD (39,7%),
PS (33,4%),
CDS-PP (9,0%),
CDU (6,5%)
BE (4,8%).

Porto Canal e a Marktest: a verdadeira história

O Porto Canal decidiu sair do sistema de medições de audiências da Marktest Audiometria desde hoje.

São várias as razões para uma decisão destas:

1. O número de audímetros que medem a audiência do Porto Canal é inferior a 50. O que quer dizer que para um projecto desta dimensão um único indivíduo representa 2% do total, o que neste momento, segundo os dados da Marktest, significa mais do 100% da nossa audiência.

2. Um exemplo recente de como com o número actual de lares é impossível ter uma ideia real da audiência do Porto Canal:

– Sexta-feira dia 1 de Outubro, share 6,6%

– Sexta-feira dia 8 de Outubro, share 0,6% com a mesma programação

Até ao mês de Fevereiro de 2010 tinha no Grande Porto (área de maior influência) um share médio de aproximadamente 2%, desde Fevereiro de 2010 o valor desceu 50% , para um share médio diário de 1%, sem ter existido qualquer alteração significativa na programação. Esta redução coincide com uma mudança do painel de espectadores acordada entre a CAEM (Comissão de Análise de Estudos do Meio) e os grandes canais generalistas. Coincidência.

Em Julho de 2010 o Porto Canal começa a ser distribuído pelo MEO.  Segundo dados da Anacom estamos a falar de uma quota na casa dos 30% dos serviços de distribuição por subscrição. Este incremento na divulgação não se traduz na audiência, pelo contrário, as medições indicam menos espectadores. Em Junho o share médio era de 1% e no último mês de Setembro foi de 0,9%. No mínimo estranho.

A distribuição regional dos lares da Marktest não é em nada representativa do espaço de influência do Porto Canal. O Norte está dividido em 3 partes. Além do Grande Porto existem 2 espaços, Litoral Norte e Interior, que abarcam áreas que correspondem sobretudo a região centro, o que prejudica o canal.

Motivos mais que suficientes para o Porto Canal bater com a porta. Fez muito bem. A minha experiência profissional prova exactamente o contrário. O feedback de boa parte dos programas do Porto Canal são hoje bem maiores que no passado e sempre em crescendo durante 2009 e 2010. Não sou caso único. E nem me atrevo a falar sobre os dados da Marktest (empresa privada) no tocante a rádios e a alguns surpreendentes altos e baixos repentinos de algumas audiências. No mínimo, esquisito.