Julio Magalhães VS Marques Mendes: quem está a mentir?

No seu habitual espaço de revelações bombásticas na SIC Notícias, Marques Mendes informou o país, com o rigor a que já nos habituou, que Júlio Magalhães teria recebido um convite do “Partido Socialista a nível nacional” para liderar a candidatura do PS à CM do Porto, tendo a questão sido discutida com a administração do Porto Canal. Tratou-se, segundo Marques Mendes, de “um convite ao mais alto nível do Partido Socialista ao nível nacional”.

Já no decorrer desta semana, questionado pela mesma SIC Notícias, Júlio Magalhães apresentou a sua versão dos factos, incompatível com a de Marques Mendes. Segundo o director do Porto Canal, “foi apenas uma mensagem“, à qual respondeu “imediatamente que não“, tendo o assunto morrido logo ali. [Read more…]

A SAD do FC do Porto e um escândalo chamado Rúben Neves

ruben-neves
Tenho aqui no Aventar uns amigos benfiquistas (obcecados pelo Porto?) que gostam muito de zurzir no FC do Porto a propósito de tudo e de nada. Já lhes disse que deviam olhar mais para dentro de casa. Não lhes faltaria material para escrever.
Como portista, é o que eu faço, sendo que, com este post, penso estar a fazer um favor ao clube.
O Rúben Neves, como sabem, é um jogador da formação do FC do Porto. Está no clube desde os 8 anos. É dos poucos cujo passe está 100% na posse do FC do Porto.
Ou melhor, estava. Aquando da renovação do contrato por mais dois anos – de 2017 para 2019 – o FC do Porto ofereceu 5% do passe ao empresário José Caldeira. 5%. Se for vendido no fim da época por 40 milhões, bem, é fazer as contas.
José Caldeira, por um dos muitos acasos em que a vida é fértil, é irmão de Adelino Caldeira, um dos administradores da SAD do FC do Porto. Não saberíamos da renovação com Rúben Neves se não tivesse sido o inefável Dragões Diário. E nunca saberíamos dos 5% oferecidos ao irmão do administrador da SAD se não fosse o Football Leaks. [Read more…]

Prémio “poker face” do ano

Ontem, na companhia – perplexa – de quem nunca tinha apreciado este espectáculo, assisti – por gentileza dos “Altos e Baixos”, do canal Q – a um estarrecedor best of das exibições de Pedro Arroja no Porto Canal. Frente a ele, o rosto admiravelmente impassível desta mulher, Ana Guedes, que tudo suporta sem um grito, um estalo no cretino, um esgar de revolta. Ele abre as penas e aqui vai disto: racismo, fanatismo religioso, misoginia a um grau patológico, reaccionarismo agressivo, estupidez delirante. E tudo a jovem jornalista suporta estoicamente. [Read more…]

A Sondagem do Porto Canal – II

Unknown-1

 

Voltando ao tema:

É ou não é verdade que o Porto Canal, como antes anunciou aos seus espectadores, encomendou uma sondagem à Pitagórica para os concelhos dos debates organizados pelo canal?

É ou não é verdade que no debate de Matosinhos essa sondagem foi publicada. E algumas pessoas souberam, por antecedência de pelo menos cinco horas os respectivos resultados.

É ou não é verdade que um dos candidatos a Gaia pressionou fortemente o Porto Canal para a não divulgação dos resultados dessa sondagem?

O Porto Canal que conheço, os seus brilhantes profissionais, merecem que continue a aguardar e não a pensar outras coisas. Mas, será que ainda vou ter de ser eu (hoje) a tornar público os resultados da sondagem Porto Canal/Pitagórica?

Era escusado…

A Sondagem do Porto Canal

Unknown-1

 

Ontem estive, calmamente, a ver o debate entre os candidatos a Gaia no Porto Canal. Aguardei até ao final para conhecer/confirmar os resultados da sondagem Porto Canal/Pitagórica para a Câmara de V.N. Gaia, a exemplo do que se passou em debates anteriores.

Esperei, esperei e nada. A não ser que a tenham publicado enquanto escrevo este post, continuo a aguardar. Por saber que foi feita, por até conhecer (por boa fonte) os resultados e pelo facto de, tornada pública, se perceber a lógica de tudo o que aconteceu ontem. O Porto Canal que conheço, os seus brilhantes profissionais, merecem que continue a aguardar e não a pensar outras coisas…

Gaia – Debate no Porto Canal (hoje)

Estas eleições autárquicas têm sido singulares no que ao tratamento televisivo diz respeito  e as últimas notícias confirmam, a três, essa ideia – as televisões não vão cobrir a campanha eleitoral pelo menos da forma tradicional (seja lá o que isso for). Percebo o argumento das televisões, mas tenho alguma dificuldade em os aceitar. Se por um lado admito que uma empresa privada tenha a capacidade de decidir o que faz com os seus recursos, penso que será também importante deixar claro que para o seu funcionamento é necessária uma autorização, certo? Para o exercício de uma função pública, não? Sim, é isso – estamos a falar de um instrumento que procura regular o mercado.

Por outro lado, não fica claro para mim quem sai a ganhar com esta medida – será que poderemos ter uma campanha mais verdadeira, mais pedagógica? Ou, pela falta de visibilidade, a qualidade das propostas e das mensagens vai ficar pior?

Faria algum sentido, até pelo primeiro argumento apresentado, que a SIC e a TVI (privadas) tivessem “coragem” para enfrentar a decisão agora conhecida, avançando com uma cobertura das eleições em função dos seus critérios editoriais.matosinhos

No entanto e antes que o post termine importa aplaudir uma dimensão positiva da decisão – não teremos que ver mais nenhuma argolada da 4ª escolha para Gaia. Infelizmente teremos que continuar a ver o candidato do PSD a discutir futebol, mas isso não é necessariamente mau, em função da cegueira que o caracteriza.

Ou se calhar até podemos – hoje, às 22h, no Porto Canal temos o debate entre os candidatos a Gaia.

Acordo ortográfico: o bom senso de Rui Moreira e de Júlio Machado Vaz

Dois homens carregados de bom senso comentam a carta enviada ao Ministro da Educação. Rui Moreira, economista, considera ridícula a ideia de que o chamado acordo ortográfico (Ao90) servirá para aumentar as nossas exportações para o Brasil; Júlio Machado Vaz, psiquiatra, ri-se da crença de que as consoantes mudas ocupavam demasiado espaço no cérebro das pobres criancinhas portuguesas.