A SAD do FC do Porto e um escândalo chamado Rúben Neves

ruben-neves
Tenho aqui no Aventar uns amigos benfiquistas (obcecados pelo Porto?) que gostam muito de zurzir no FC do Porto a propósito de tudo e de nada. Já lhes disse que deviam olhar mais para dentro de casa. Não lhes faltaria material para escrever.
Como portista, é o que eu faço, sendo que, com este post, penso estar a fazer um favor ao clube.
O Rúben Neves, como sabem, é um jogador da formação do FC do Porto. Está no clube desde os 8 anos. É dos poucos cujo passe está 100% na posse do FC do Porto.
Ou melhor, estava. Aquando da renovação do contrato por mais dois anos – de 2017 para 2019 – o FC do Porto ofereceu 5% do passe ao empresário José Caldeira. 5%. Se for vendido no fim da época por 40 milhões, bem, é fazer as contas.
José Caldeira, por um dos muitos acasos em que a vida é fértil, é irmão de Adelino Caldeira, um dos administradores da SAD do FC do Porto. Não saberíamos da renovação com Rúben Neves se não tivesse sido o inefável Dragões Diário. E nunca saberíamos dos 5% oferecidos ao irmão do administrador da SAD se não fosse o Football Leaks. [Read more…]

Prémio “poker face” do ano

Ontem, na companhia – perplexa – de quem nunca tinha apreciado este espectáculo, assisti – por gentileza dos “Altos e Baixos”, do canal Q – a um estarrecedor best of das exibições de Pedro Arroja no Porto Canal. Frente a ele, o rosto admiravelmente impassível desta mulher, Ana Guedes, que tudo suporta sem um grito, um estalo no cretino, um esgar de revolta. Ele abre as penas e aqui vai disto: racismo, fanatismo religioso, misoginia a um grau patológico, reaccionarismo agressivo, estupidez delirante. E tudo a jovem jornalista suporta estoicamente. [Read more…]

A Sondagem do Porto Canal – II

Unknown-1

 

Voltando ao tema:

É ou não é verdade que o Porto Canal, como antes anunciou aos seus espectadores, encomendou uma sondagem à Pitagórica para os concelhos dos debates organizados pelo canal?

É ou não é verdade que no debate de Matosinhos essa sondagem foi publicada. E algumas pessoas souberam, por antecedência de pelo menos cinco horas os respectivos resultados.

É ou não é verdade que um dos candidatos a Gaia pressionou fortemente o Porto Canal para a não divulgação dos resultados dessa sondagem?

O Porto Canal que conheço, os seus brilhantes profissionais, merecem que continue a aguardar e não a pensar outras coisas. Mas, será que ainda vou ter de ser eu (hoje) a tornar público os resultados da sondagem Porto Canal/Pitagórica?

Era escusado…

A Sondagem do Porto Canal

Unknown-1

 

Ontem estive, calmamente, a ver o debate entre os candidatos a Gaia no Porto Canal. Aguardei até ao final para conhecer/confirmar os resultados da sondagem Porto Canal/Pitagórica para a Câmara de V.N. Gaia, a exemplo do que se passou em debates anteriores.

Esperei, esperei e nada. A não ser que a tenham publicado enquanto escrevo este post, continuo a aguardar. Por saber que foi feita, por até conhecer (por boa fonte) os resultados e pelo facto de, tornada pública, se perceber a lógica de tudo o que aconteceu ontem. O Porto Canal que conheço, os seus brilhantes profissionais, merecem que continue a aguardar e não a pensar outras coisas…

Gaia – Debate no Porto Canal (hoje)

Estas eleições autárquicas têm sido singulares no que ao tratamento televisivo diz respeito  e as últimas notícias confirmam, a três, essa ideia – as televisões não vão cobrir a campanha eleitoral pelo menos da forma tradicional (seja lá o que isso for). Percebo o argumento das televisões, mas tenho alguma dificuldade em os aceitar. Se por um lado admito que uma empresa privada tenha a capacidade de decidir o que faz com os seus recursos, penso que será também importante deixar claro que para o seu funcionamento é necessária uma autorização, certo? Para o exercício de uma função pública, não? Sim, é isso – estamos a falar de um instrumento que procura regular o mercado.

Por outro lado, não fica claro para mim quem sai a ganhar com esta medida – será que poderemos ter uma campanha mais verdadeira, mais pedagógica? Ou, pela falta de visibilidade, a qualidade das propostas e das mensagens vai ficar pior?

Faria algum sentido, até pelo primeiro argumento apresentado, que a SIC e a TVI (privadas) tivessem “coragem” para enfrentar a decisão agora conhecida, avançando com uma cobertura das eleições em função dos seus critérios editoriais.matosinhos

No entanto e antes que o post termine importa aplaudir uma dimensão positiva da decisão – não teremos que ver mais nenhuma argolada da 4ª escolha para Gaia. Infelizmente teremos que continuar a ver o candidato do PSD a discutir futebol, mas isso não é necessariamente mau, em função da cegueira que o caracteriza.

Ou se calhar até podemos – hoje, às 22h, no Porto Canal temos o debate entre os candidatos a Gaia.

Acordo ortográfico: o bom senso de Rui Moreira e de Júlio Machado Vaz

Dois homens carregados de bom senso comentam a carta enviada ao Ministro da Educação. Rui Moreira, economista, considera ridícula a ideia de que o chamado acordo ortográfico (Ao90) servirá para aumentar as nossas exportações para o Brasil; Júlio Machado Vaz, psiquiatra, ri-se da crença de que as consoantes mudas ocupavam demasiado espaço no cérebro das pobres criancinhas portuguesas.

Um 15 de Setembro no Porto

rangelPaulo Rangel está contra o centralismo de Lisboa.

Acho bem, mas as pessoas por cá estão todas assim.

Lamentavelmente, vai ser preciso uma qualquer Iurde para que se mexam.

Logo á noite no Porto Canal

Porto Canal e mística portista

 manutencaoArmindo de Vasconcelos

O “Porto Canal”, a estação de televisão que mais se aproxima do meu conceito de projecto para a informação privilegiada de um clube, mostra como o FC Porto contornou certas tentações, de que o canal Benfica TV é o exemplo acabado com o apanágio da chicana e do insulto. E isso faz toda a diferença!

Se me disserem que a Benfica TV, entretanto, inverteu este rumo desde que deixei de vê-la, então considero o que escrevi como registo histórico, removendo-a do presente.

É óbvio que o aberrante, por vezes, pode divertir-nos. A mais execrável conduta pode lançar-nos um sorriso no olhar. Temos esta particularidade de rir – ou sorrir – de tudo aquilo que, ainda que sórdido ou dramático, só pode ser visto à luz da caricatura. Eu próprio gozei imenso com aquela invenção pré-histórica de “transmitir” os jogos do Benfica com círculos num tabuleiro, que se mexiam, alegadamente mostrando o desenrolar do jogo que corria ao lado, na SportTV ou num canal generalista. Burlesco, no mínimo, como burlescos se tornavam alguns lugares comuns do insulto ao FC Porto, durante essas transmissões, mesmo quando o adversário não era o dragão. [Read more…]

O Norte.

 

Por estranho que possa parecer, concordo com boa parte da opinião de Alberto Gonçalves (disponível na edição em papel) na Sábado de hoje, “O Norte Imaginário”. Mais, é um texto de leitura obrigatória para todos aqueles, como eu, que defendem a Regionalização. Porquê?

 

Simples, as críticas duras que aponta aos defensores da Regionalização, pelo menos a boa parte deles, é justa. O autor da prosa começou por expor o centralismo de forma correcta. Destaco: “O centralismo, velho de séculos e nas recentes décadas insultuoso, nota-se”.

 

Contudo, Alberto Gonçalves sublinha um ponto fundamental: “Graças à apropriação de uma desmesurada parcela das maiores fontes nacionais de riqueza, leia-se os impostos e os fundos europeus, Lisboa tornou-se comparativamente próspera face ao Porto e crescentemente indiferente face às lamúrias do Porto. O engraçado, para quem se diverte com o infortúnio alheio, é a ocorrência de um processo simultâneo e similar entre o Porto e o Norte de facto”. Esta afirmação final é, por muito que custe, profundamente verdadeira e explica o motivo pelo qual boa parte dos responsáveis políticos nacionais nascidos nesse “Norte de facto” a que se refere, chegados a Lisboa e alçados ao poder são os mais centralistas dos centralistas.

 

A mudança só serve se for para melhor. Para quem, como eu, acredita que a Regionalização é um caminho de mudança, mais, é “o caminho” e sendo eu nado e criado no Porto, não posso deixar de defender que a Regionalização, no que toca ao Norte, só pode ser realizada se, e só se, o Porto não representar para a Região o que Lisboa representa para o país. Trocando por miúdos: o Porto não pode nem deve ser a capital da Região.

[Read more…]

O Porto Canal e o Norte

Foi hoje apresentado o novo Director-geral do Porto Canal, o jornalista Júlio Magalhães, antigo Director da TVI.

O Forte Apache e o Aventar foram dos primeiros blogs a avançar com essa possibilidade que agora se concretizou. Mesmo assim, o Júlio Magalhães vai continuar a “conversar” com Marcelo Rebelo de Sousa, ao Domingo, na TVI até ao final do contrato de Marcelo Rebelo de Sousa (Maio) e, quem sabe, “as conversas” continuarão, depois, no Porto Canal. Quem sabe…

Neste primeiro dia do Júlio Magalhães no Porto Canal destaco duas frases: “é um sonho estar aqui” e, meio a sério, meio a brincar, “estou sentado na minha cadeira de sonho“. Quando se dirigiu aos seus novos colegas, fiquei positivamente surpreendido quando afirmou, “não venho ensinar nada a ninguém, venho trabalhar com excelentes profissionais“. Um gesto de modéstia que só lhe ficou bem e que diz muito sobre quem é Júlio Magalhães.

Desde que o F.C. Porto chegou ao canal, as audiências dobraram e o prime-time da cabo no Grande Porto passou a ser disputado taco a taco. A liderança já não é uma miragem. Conquistado o Grande Porto, é hora de avançar para toda a Região Norte. Por isso mesmo, não foi por acaso que Jorge Nuno Pinto da Costa aproveitou para anunciar a nova delegação do Porto Canal em Braga. Uma aposta forte do canal que, também ele, acreditou na força de Braga 2012:Capital Europeia da Juventude e em Braga enquanto motor do Minho.

(igualmente publicado AQUI)

Porto Canal em todo o lado:

Agora já podem acompanhar em directo a emissão do Porto Canal na web, no iPhone ou no iPad. Sem esquecer a cabo. E a presença nas Redes Sociais. O Porto Canal está em todo o lado.

E a subir nas audiências. Fortemente.

 

Presidênciais 2011:

Hoje, no Porto Canal, pelas 23h30.

Apareçam.

Porto Canal e a Marktest: a verdadeira história

O Porto Canal decidiu sair do sistema de medições de audiências da Marktest Audiometria desde hoje.

São várias as razões para uma decisão destas:

1. O número de audímetros que medem a audiência do Porto Canal é inferior a 50. O que quer dizer que para um projecto desta dimensão um único indivíduo representa 2% do total, o que neste momento, segundo os dados da Marktest, significa mais do 100% da nossa audiência.

2. Um exemplo recente de como com o número actual de lares é impossível ter uma ideia real da audiência do Porto Canal:

– Sexta-feira dia 1 de Outubro, share 6,6%

– Sexta-feira dia 8 de Outubro, share 0,6% com a mesma programação

Até ao mês de Fevereiro de 2010 tinha no Grande Porto (área de maior influência) um share médio de aproximadamente 2%, desde Fevereiro de 2010 o valor desceu 50% , para um share médio diário de 1%, sem ter existido qualquer alteração significativa na programação. Esta redução coincide com uma mudança do painel de espectadores acordada entre a CAEM (Comissão de Análise de Estudos do Meio) e os grandes canais generalistas. Coincidência.

Em Julho de 2010 o Porto Canal começa a ser distribuído pelo MEO.  Segundo dados da Anacom estamos a falar de uma quota na casa dos 30% dos serviços de distribuição por subscrição. Este incremento na divulgação não se traduz na audiência, pelo contrário, as medições indicam menos espectadores. Em Junho o share médio era de 1% e no último mês de Setembro foi de 0,9%. No mínimo estranho.

A distribuição regional dos lares da Marktest não é em nada representativa do espaço de influência do Porto Canal. O Norte está dividido em 3 partes. Além do Grande Porto existem 2 espaços, Litoral Norte e Interior, que abarcam áreas que correspondem sobretudo a região centro, o que prejudica o canal.

Motivos mais que suficientes para o Porto Canal bater com a porta. Fez muito bem. A minha experiência profissional prova exactamente o contrário. O feedback de boa parte dos programas do Porto Canal são hoje bem maiores que no passado e sempre em crescendo durante 2009 e 2010. Não sou caso único. E nem me atrevo a falar sobre os dados da Marktest (empresa privada) no tocante a rádios e a alguns surpreendentes altos e baixos repentinos de algumas audiências. No mínimo, esquisito.

Domínio Público, Hoje:

Para avisar que hoje, no Domínio Público (Porto Canal, 19h) se vai falar de Presidenciais, de um perigoso centralista, das eleições no PS Porto e do Orçamento de Estado. Fujam!!!

Porto Canal: 4 anos ao nosso lado

Para toda a equipa e amigos(as) do Porto Canal um forte abraço de aniversário:

A Não Ver:

Este Domingo o Aventar está representado num debate televisivo sobre a “rentrée política” dos principais partidos. Moderado pela Rosa Carvalho, o debate conta com o Pedro Nunes do Blasfémias, o António Vieira Lopes do blog Cafeínicos e com o Advogado e Escritor Luís Miguel Novais. Está lá outro tipo que se diz chamar FMSá mas é engano…

Domingo, 12 de Setembro, pelas 19h no Porto Canal, programa Domínio Público.

Sócrates e a Crise

Eu, o Pedro Nunes, o António Lopes e o Miguel Novais discutimos a Crise, Sócrates, Crise, Sócrates, Passos Coelho, Presidenciais, Sócrates, Crise e Sócrates. A moderação é da responsabilidade da Rosa Carvalho. É no Domingo, 6 de Junho, às 19h no Porto Canal, Domínio Público.

Estão todos convidados.

Porto Canal

O Porto Canal já pode ser visto em directo na net em www.portocanal.pt