E o PS dos negócios?

robalos_cx (Medium)

Balanço deste renovado PS: há gente de esquerda na direcção (sim, a social-democracia é de esquerda e negá-lo depois de ter sido assaltada pelo neoliberalismo é um disparate sem perdão), e pelo melhor barómetro correu bem: o Nuno Melo saiu aos gritinhos, o Marco António de trombas, o professor Vítor Cunha já perdeu o jogo, a extrema-direita em geral ficou em pânico (é ouvir os seus habituais comentadores ditos jornalistas e independentes, vulgo putas longe do Intendente).

Mas subsiste um problema, aliás o problema (deixo de lado o programa, dando tempo até que esteja clarificado): o que fez do PS o partido de Sócrates e Vara não foi Francisco Assis, não foi a ideologia. Foram os negócios, uma autoestrada que Mário Soares abriu (vd. o caso BES, que é todo um tratado). Sei bem que muitos não fizeram disso o seu negócio (a começar por Soares que entre outras coisas não é parvo) e os que fizeram não os vejo agora pelo lados do Rato. Mas governaram para isso, para a rede clientelar da pequena, média e grande corrupção, que arrasou com esta democracia.

Falta essa garantia, e o programa, é claro. Depois sim, veremos se é possível um governo à esquerda com o PS.

Comments

  1. Ferdinand says:

    Um governo PS, dada a conjuntura actual, será muito provavelmente um governo neoliberal…
    A tentativa de aproximação à esquerda é a teatralização do costume de forma a neutralizar essa mesma esquerda dita radical.
    Sei que as pessoas estão fartas do neoliberalismo e da crise que os neoliberais são os principais responsáveis, mas não estou para alimentar ilusões, aqueles que acreditarem na “alternativa socialista” acabarão por se arrepender, mais uma vez…
    Os lideres do actual PS são os mesmo que entalaram o país na actual situação, e ficaram eles próprios entalados pelas decisões que andaram a tomar ao longo de décadas seja no governo, seja na oposição.
    Espero bem que os portugueses não deem a maioria absoluta ao PS, e a não ter maioria absoluta significa que o PS vai ter que se aliar com outros partidos, nessa altura, as promessas vagas de António Costa vão valer nada e o PS vai acabar por pedir ajuda ao restante “arco do poder” e não à esquerda, porque o €uro, porque a eurocraria, porque o sistema financeiro, porque os mesmos “porques” do costume…

    Posso estar errado, claro, pode o PS se ter regenerado depois da sua -longa- experiência neoliberal, pode ser que sim, mas não acredito.

    • Rui Moringa says:

      Ferdinand,
      Concordo muito consigo. No PS está alojada muita gente que, ideologicamente, pensa mais em si do que no grupo ou na tribo. Para essa gente o seu ego é mais poderoso do que a comunidade como entidade de força maior.
      Tem inteira razão quando equaciona o sistema financeiro e a estrutura de poder da UE.
      A Europa não é uma realidade que motive aspectos integradores. Parece-me que se sustenta em acordos realizados pelos políticos empurrados pelos poderes económicos, mas sem a legitimidade do Povo. em Portugal muitas decisões foram tomadas foram das campanhas eleitorais e já nem menciono sequer o referendo. O PS arroga-se à semelhança do PSD de poder decidir o melhor para nós sem nos consultar.
      Na UE, manda quem controla o Banco Central. Como quem controla o BCE é a Alemanha, logo a determina o que se faz ou não faz.
      OCDS, campeão do nacionalismo alinha em governos sem grande poder de decisão porque não temos moeda, e os orçamentos são ditados de fora. Dizem-nos onde devemos e não devemos gastar dinheiro. Impõem cotas e outros limites.
      Eu desconfio de uma UE assim. Aqueles que nos puseram lá sem consultar não tardaram a dizer para sairmos.
      Não é por acaso que a Inglaterra tem sempre um pé dentro e outro fora, Pode-se argumentar de muita maneira para explicar isso. com questões históricas, estratégicas, idiossincráticas, mas é facto que sabem muito bem o que lhes convém e na hora batem o pé.
      Não defendo um isolacionismo por não é bom para nada, a não ser para definhar como Povo. Mas defendo que os acordos são para fazer, mas também para renegociar e depressa. Se encontrarmos muita resistência temos de estar conscientes que há mais mundo para além da UE. Embora na Europa sempre soubemos ir por esse mundo fora à procura de oportunidades de vida.
      Aliás a nossa História diz-nos que sempre que nos fiemos à vida fora da Europa tivemos sucesso.
      Desculpem se me alonguei.

      • AntónioF says:

        Houve alguém que um dia disse que o PS teve, na sua fundação, quatro correntes ideológicas: uma republicana (herdeira da 1ª República) outra marxista, outra socialista ou social-democrata e uma outra católica progressita (vinda da SEDES). A estas correntes juntou-se, após a queda do Muro de Berlim, muitos ex-comunistas, também designados por cristãos-novos. A par destas correntes ideológica houve uma outra corrente que olha mais ao poder pelo poder, os oportunistas.


  2. As palavras do Congresso foram bonitas… mas palavras… leva-as o vento!

  3. João Soares says:

    Por enquanto o jogo é a feijões.Quando for a doer,ninguém tenha dúvida que o árbitro Costa irá apitar e interromper o jogo
    sempre que se adivinhe uma jogada mais perigosa de um qualquer clube com menos sócios que o PS.
    Sempre foi assim e por enquanto não se vislumbra no horizonte
    um lider de esquerda com retórica capaz de destruir a supercola com que o PS/PSD se grudam ao poder.
    Até lá vou-me rindo com a ironia de ver a Polícia Judiciária transportar alguns figurões em RENAULT CLIO .
    E dizia o Assis que era indigno para ele andar num CLIO !
    Ele que se ponha fino, ou é mais “especial” que o ex-patrão ?


  4. Padre Lino Maria – RTP2-01 de dezembri 2014-21:46 – fala nas crianças com fome e como os idosos ficam com fome para dar aos netos – viva este GOVERNO miserável que empobreceu e destruiu como nunca o que se fez de bom 40 anos – vida o liberalismo corrupto e os homens que dev’cidem da miséria para depois ENRIQUECER – pois sim já se vê quem e quantos enriqueceram e os 2 milhões na maior pobreza – que evolução Parece pais em via de extinção


  5. PS é igual à ultra-direita


  6. Os pobres que vivem da caridade – imagine-se A evolução é para os que já estavam bem – pais de governantes INDIGENTES – ignorante e maus moralmente e profissionalmente – se não fossem não se estaria a andar para trás desde 2008 com maior gravidade e evidência até foi dito “remos além da troika e empobrecer para depois enriquecer – pois saíram milhões do pais e quem fica avô dá de comer a filhos e netos

  7. joao lopes says:

    a extrema direita ,mais conhecida por adorar a “forma fálica de um microfone” ,fala,anda euforica com o preso 44,etc,etc…e até já esqueceu a “crise” …no fundo ,esta extrema direita nunca teve problemas financeiros e falam de barriga cheia:ola,fofinha h.matos…


  8. falar de corrupção e cataloga-la com forças partidárias é esvaziar o assunto. Basta dar uma volta pelo país ver os abortos urbanísticos (que não estão lá por distracção dos dignos autarcas) e saber somar dos mais dois e não olhar com oculos de cor predefinida.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.