Mais tarde ou mais cedo, o resultado é sempre o mesmo…

VN O início do século XXI trouxe muita esperança aos crentes nos amanhãs que cantam, desta feita é que era, sucessivos líderes mais ou menos populistas iam alcançando o poder na América Latina, Castro deixou de estar só, ainda que os cubanos continuem impedidos de votar em eleições livres à semelhança da esmagadora maioria das populações no Continente, hoje felizmente livre das ditaduras militares erguidas sob o pretexto de travar o expansionismo comunista.

Há poucos dias os Kirchner passaram à história na Argentina, mais difícil será enterrar ali de vez o populismo Peronista, no Brasil o PT e Dilma atravessam momentos difíceis, mas nada comparáveis à estrondosa e humilhante derrota sofrida por Nicolás Maduro, herdeiro espiritual do populista Chavez, existindo até a hipótese da oposição conseguir alcançar dois terços dos mandatos, o que permitiria rever a Constituição e mandar o Bolivarianismo para os livros de História.

“Eles fazem que trabalham, nós fazemos que lhes pagamos”, dizia-se na felizmente já extinta URSS. Numa primeira fase o socialismo parece resultar, utilizando e redistribuindo cria a ilusão de maior justiça social, mas a economia é implacável, espoliado do lucro o agente económico não encontra incentivo à produção ou comercialização, no caso da Venezuela foram ridículos os sucessivos Decretos de Maduro para travar a especulação, incapaz de perceber que a mesma desaparece quando existe concorrência e claro está, lucro. Em rigor a única igualdade que o socialismo alcança é colocar todo um povo na miséria, Cuba é um excelente exemplo, acabou o bloqueio e continuam a não ter economia. Ontem os venezuelanos disseram, basta!

 

Comments

  1. tancredo says:

    O Fidel também caiu, mas foi porque não tinha bengala.
    Se fosse crente tinha a bengala da religião.
    Se fosse não-crente tinha a bengala da filosofia.
    Mas como era político não tinha uma nem outra.
    Estou convencido que o Costa vai andar com as duas.

  2. Nightwish says:

    Gostava de saber o que é que o Maduro tem a ver com socialismo e não com loucura, mas enfim, bom bom era se a América Latina ainda fosse toda um fantoche do Império. Tal como Portugal, mas do Alemão.


    • bom bom era se a América Latina ainda fosse toda um fantoche do Império.

      Melhor ainda se a América Latina um dia virar costas a toda a espécie de ditaduras e populismo… (do México à Argentina, não falta quem suspire pela “revolução Mexicana”, um período confuso que foi tudo e o seu contrário, ao peronismo que foi esquerda e direita ou talvez coisa nenhuma…)

      • Nightwish says:

        Então não, ficar reduzido à pobreza e ao desemprego enquanto os capitalistas estrangeiros ficam com todos os recursos é uma maravilha, como também sabem os portugueses.

        • Rui Silva says:

          A Venezuela foi dos países mais ricos da américa do sul. Os emigrantes portugueses que o digam.
          E acaba nisto: Falta dos géneros alimentares mais básicos, maior criminalidade do mundo, ou seja miséria generalizada.

          Mais um belo Score do Socialismo.

          cumps

          Rui Silva

          • Nightwish says:

            O Maduro até pode ser socialista, mas é completamente incompetente ou até doido, por isso é um bocado irrelevante.

          • Nightwish says:

            Já agora, o grande dinheiro da Venezuela foi para os bolsos de quem?

  3. Antonio Santos says:

    Capitalismo, esse malvado. Para a esquerda têm de ser todos iguais. Pena essa igualdade ser pela pobreza.
    Finalmente a América do Sul começa a abrir o olhos e correr com esquerda.

    • Nightwish says:

      Para a direita já sabemos que tem sempre que haver uns muito mais iguais do que outros.

  4. Nightwish says:

    E sobre os amanhãs que cantam da austeridade, não diz nada?
    E já percebeu porque é que o Trump vai ser o candidato republicano ou quer mais desenhos?