Pedro Passos Coelho, o pigmeu europeu

É possível que Pedro Passos Coelho não tenha ainda caído em si. O papel de deputado, que de resto não deixou grandes memórias passadas com a excepção do célebre episódio do regime de exclusividade pouco exclusiva que lhe permitiu sacar uns trocos extra ao erário público, não parece ser do seu agrado. Passos gostava de mandar, convenceu uns quantos que goza de um direito natural a ocupar o poder mas, independentemente das suas fantasias, a verdade é que agora é apenas um deputado. E já é tempo de se habituar ao seu novo papel.

No entanto, chegado a Bruxelas para participar na reunião do PPE, Passos Coelho proferiu uma afirmação curiosa perante a comunicação social, referindo que “O PPE reagiu com moderação (ao processo democrático que conduziu o governo socialista ao poder) como, de resto, eu solicitei que fizessem”. Chega a ser enternecedor perceber que Passos Coelho acha mesmo ter voto na matéria. Que chega a Bruxelas e solicita a Angela Merkel que aceite o novo governo português com moderação. Como se ela se estivesse minimamente nas tintas para o que o homem solicita ou deixa de solicitar.

Até porque, se as solicitações de Passos Coelho tivessem o mínimo impacto na forma como Merkel reage ao que quer que seja, estou certo que, em Março de 2011, quando o partido por si liderado chumbou no Parlamento o PECIV, amplamente elogiado por Merkel e outros parceiros europeus do PPE, o líder do PSD teria pedido alguma moderação à chanceler para evitar reacções como aquela que podemos ver no vídeo em cima. No entanto, Merkel não poupou a manobra do PSD e lamentou, num tom crispado, que o Parlamento, referindo-se em particular ao partido liderado por Passos Coelho, não tenha apoiado as reformas propostas pelo governo Sócrates. Será que Passos não entende, depois de 4 anos de absoluta vassalagem aos senhores da União, o quão insignificante é no meio dos tubarões europeus?

Comments

  1. joão lopes says:

    ate a questão da “moderação” é treta.os tipos do PPE querem la saber do gajo para alguma coisa,eles proprios já perceberam que a inteligencia(que não é a mesma coisa que esperteza saloia) não abunda pela cabeça(agora descabelada) nem dele,nem dos amigos mais proximos(palavra de honra que nunca vi o PSD tão mal orientada)


  2. Tem toda a razão. Agora é que vai ser bom. Portugal apresenta-se na Europa com o seu gigante, Costa.
    Yes !!!.


  3. É norma dos grupos da UE respeitar as posições dos representantes nacionais sejam de Chipre, S:Marino, Portugal ou Alemanha; não mudam as regras se acordo com vontade de tudologos meio tontos.


  4. Março de 2011 e não de 2013

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.