Dividir para reinar

A 5 dias de um clássico que pode dar, em caso de vitória, uma moral adicional ao vencedor e, no caso do FC Porto, a maior vantagem pontual e moral da temporada sobre o Sporting, parece tudo coincidência, mas não é se não conhecessemos o modus operandi comunicacional de um certo clube do Norte. A Jorge Jesus é perguntado se um dia gostaria de treinar o FCP no mesmo dia em que os jornalistas do mesmo jornal perguntam a Pinto da Costa o que acha sobre o técnico e no mesmo dia em outro jornal, vocacionado do ponto de vista editorial para espalhar a semente da propaganda do clube do Norte dá como certo Carrillo no Porto no final da temporada e continua a dar ênfase à dívida que o Sporting terá que pagar ao fundo Doyen Sports (principal parceiro do FCP na aquisição de jogadores) devido à decisão judicial do TAS num processo em que o FC Porto, entidade exterior à transferência de Marcos Rojo, entidade que nada tem a ver com o assunto foi testemunha directa da Doyen no processo.

De fininho, o sistema continua a mexer-se com eficácia. Não nos poderemos esquecer que no Dragão vive-se um ano de tudo ou nada. O investimento financeiro que foi feito nos últimos dois anos tem que dar em título e tem que dar em Champions. Caso contrário, nas próximas duas temporadas, vai haver seca…

Comments

  1. O Branco.... says:

    Branco..ou Tinto? Um dos dois, e em grande quantidade…

  2. Nightwish says:

    Tendo em conta as ajudas à matreirice que o JJ continua a receber, deviam tar caladinhos e contentes por estarem apenas a um ponto.


    • Creio que o leitor anda, no que toca a futebol, muito perto da primeira palavra que compõe o seu nickname virtual: muito de noite!

      • Nightwish says:

        Pois, olhe, a gente do norte não anda a dormir. Basta ver a palhaçada dos jogos com o 5lb…


        • Então, mas, mas… não é o vosso clube aquele que diz que as suas arbitragens estão a ser condicionadas pelo Sporting?

          • Nightwish says:

            Estava a falar dos jogos desta época do matreiro JJ contra o medíocre Vitória, mas faça de conta que não viu.

  3. Ricardo Santos Pinto says:

    Tendo em conta que há 3 diários desportivos em Portugal e que 2 deles andam há décadas a fazer o jogo dos clubes da 2ª circular, algo que aparentemente não te incomoda, concordo contigo: o sistema mexe-se com eficácia. Com tanta eficácia que conseguem destinar manchetes consecutivas aos negócios televisivos do Benfica e meras notas de rodapé aos do Porto.
    Quanto à seca, se for de 2 anos já não é mau. O pior é quando se está há 14 anos sem molhar o bico. Ah, já sei, é o sistema!
    Que bom que é ver o futebol com palas nos olhos.


    • Ricardo,
      Espero que me digas então qual é o jornal que anda há décadas a fazer o jogo do Sporting porque sinceramente não sei… O Rui Santos ainda não é director de nenhum jornal, portanto, não conta.
      Creio também que te estás a contradizer porque escreves que estes tem muita eficácia nas manchetes que destinam aos negócios do Porto e Benfica – O sporting, não é, portanto, nem tido nem achado ao contrário do que afirmas no início do teu comentário.
      Sim, vejo futebol com palas nos olhos. Sou facciosamente Sportinguista e ainda bem que o sou. Admito-o 🙂

      • Ricardo Santos Pinto says:

        Eu não sou faccioso. Felizmente. Consigo ver as coisas exactamente como elas são. E ao contrário do que tu pensas, todos os clubes são iguais, todos os dirigentes são iguais, todos os adeptos são iguais.
        Podemos encontrar facilmente os podres de cada um deles e nenhum se fica a rir.
        Obviamente que A Bola e o Record são pró-Benfica, mas também pró-Sporting. Tem a ver, como é lógico, com o mercado. Se os seus clientes são sobretudo benfiquistas e sportinguistas, obviamente que eles vão privilegiar esses clubes. O mesmo se passa com O Jogo com o Porto – o que não percebo é a forma como destacas o caso de O Jogo, como se do lado contrário não houvesse 2 jornais rigorosamente iguais.

  4. Konigvs says:

    Esperam lá, eu não vejo os jogos da bola, mas estão a falar de Jorge Jesus o treinador bi-campeão do Benfica? O mesmo que, quando perguntado sobre uma possível ida para o FC Porto disse: “Quando se chega ao topo não se volta para trás”. É desse treinador que estão a falar? Tenham juízo, ele vive o Benfica como ninguém – viram como ele festejou no Marquês? – Ele nunca que sairá do Benfica. Ele é o Ferguson português.

    E depois acham mesmo que é com entrevistas que se ganham ou perdem jogos de futebol, a cinco dias do mesmo?
    Dica: As entrevistas não deixam passar foras-de-jogo de quilómetros ou penaltis que até um cego via.