Cavaco, a referência

Não é novidade, mas não é demais avivar a memória, via um oportuno trabalho de confrontação.

Eis o homem, que se auto-retratou como pertencendo à boa moeda, a activamente ludibriar os portugueses e, depois, a negar, tal Judas. Atente-se no ar crispado de quem não aceita ser confrontado. Diz que a jornalista está a mentir (não estava), quando é ele próprio que cai em mentira.

Aqui está o político das duas maiorias absolutas e das duas presidências . Sem dúvida que os portugueses lhe deram sucessivamente o poder, erro que felizmente nunca cometi – haja memória.

Cavaco, o político que sempre fez questão de se posicionar como não-político, num antítese de si mesmo, ficará na história, essa que ele procurou que lhe fosse dócil, como a referência da mesquinhez, o Presidente do seu umbigo.

Comments

  1. António says:

    A vetdadeira Nódoa…!

  2. martinhopm says:

    Para nossa desgraça. E se fora só ele…


  3. Tem que se aproveitar estes ultimos dois meses; depois acaba-se a graça. Tenho para mim que se ele se pudesse candidatar ainda ganhava as eleições.

    • j. manuel cordeiro says:

      O seu comentário pressupõe a ideia de que se está/tem feito um ataque gratuito. Não vejo isso assim, como de resto o próprio vídeo documenta.

Trackbacks


  1. […] se apresentou como não político, o que para mim me deixa logo desconfiado. Veja-se no que deu o campeão do “não […]


  2. […] do Presidente quanto ao BES e o desmentido que se lhe seguiu, com registo audiovisual a mostrar um presidente a mentir. Sem entrar em detalhes, é de recordar também a inventona das escutas, as ligações ao BPN e a […]


  3. […] Silva foi um dos “professores” convidados e, de modo coerente, confirmou aquilo que de pior tem em si, que é, afinal, o melhor que pode dar […]