Corruptos na prisão

Francisco Correa, um desses “empreendedores” que a trupe liberal-fascista venera, montou uma complexa rede de corrupção e tráfico de influências que envolvia políticos, governantes e autarquias governadas pelo PP espanhol, uma espécie de Pàf do país vizinho, ainda que mais inclinado para o autoritarismo. Felizmente para os espanhóis, o corrupto foi condenado a 51 anos de prisão, juntamente com o antigo tesoureiro do PP, Luis Bárcenas, condenado a 33 anos, e mais uma série de Pàfs espanhóis.

Estou mesmo muito feliz pelos espanhóis. E ao mesmo tempo invejoso. É que, por cá, ser político, banqueiro ou empresário corrupto ainda é um crime que compensa. O Sócrates e o Isaltino ainda estiverem presos uns meses, é certo, mas a justiça portuguesa tem sérias dificuldades em meter e manter criminosos de colarinho branco na cadeia, o que é uma pena, já que o lugar deles é precisamente aquele. Apesar da trabalheira que seria substituir mais de metade do hemiciclo e dos autarcas deste país.

Comments


  1. ….” ao mesmo tempo invejoso. É que, por cá, ser político, banqueiro ou empresário corrupto ainda é um crime que compensa….”

    ….pois !! : (

  2. Ó Tino! Anda cá, pá. says:

    Abaixo a corrupção, com certeza.

    Agora, falar na “trupe liberal-fascista” faz-me lembrar os bons velhos tempos dos da “camarilha social-fascista”.

    Haja tino.

    Ó Tino! Anda cá, pá.

  3. Rui Naldinho says:

    Bom, bater palmas de forma precipitada, pode parecer acertado, mas convém desmistificar a argumentação da direita e da justiça espanhola.
    Não foi por acaso que Rajoy afirmou que:
    “Em Espanha não há impunidade”.
    Ora, vindo do quem vem, soa quase a cumplicidade.
    Estes atos de corrupção remontam a 2007, 2008 e anos seguintes. Podíamos até dizer que alguns deles tem raízes anteriores. Já vamos em 2018.
    Então por que razão, só agora?
    Não deviam já ter sido julgados e transitado em julgado, se fosse caso disso, todos estes processos?
    O aparecimento do “Cidadãos” no expectro político, em Espanha chamam-se “Ciudadanos”, veio criar condições para a direita e o franquismo terem uma alternativa credível de Poder, pelo menos a curto prazo, a qual, num passado não muito longínquo, não tinham. Estão criadas as condições políticas para varrer o PP para o “degredo”, mantendo a direita os destinos da Pátria.
    Portanto desenganem-se aqueles que vêm virtuosismo na Justiça espanhola. Basta vermos como tudo aquilo funcionou em relação à Catalunha para se ter uma noção de como a velha senhora Franquista, ainda manda.
    Enquanto a direita não criou ela própria uma alternativa de Poder, o Ciudadanos, o PP governou a Espanha mesmo que com preocupantes sinais de corrupção na sua gestão. E a todos os níveis do Poder. Mesmo assim ganharam eleições.
    Eu já afirmei e repito-o. A direita não tem ética, apesar de o apregoar dia e noite. Tem sim, interesses de classe. A sua ideologia é o dinheiro. Não no sentido consumista do termo, isso é para plebeus, mas no sentido de um certo domínio do Poder, como instrumento económico.
    “Mandam os que podem, obedecem os que devem”.
    Só depois de novas eleições em Espanha, e com os resultados na frente, constatarei se de facto houve mudanças em Espanha, ou se estaremos perante mais uma encenação.
    Apesar de tudo o que se possa dizer, a nossa Democracia é muito mais madura e consistente do que a deles.

    • Rui Naldinho says:

      “Em 2009, o juiz Baltasar Garzón ordenou a detenção provisória de Bárcenas e Francisco Correa Sánchez em conexão com o caso Gürtel.
      Em 3 de maio de 2013, a Swiss Radio and Television reportou um caso criminal internacional acusando Luis Bárcenas de suspeita de lavagem de dinheiro através da criação de uma estrutura offshore em trânsito por diferentes instituições financeiras, incluindo o fiduciário Favona SA, o banco Lombard Odier ou o Dresdner Bank, em Genebra e Lugano. A investigação também diz respeito à potencial existência de um fundo negro do Partido Popular (partido de direita) atualmente no poder na Espanha.”

      Digo eu:

      Se a nossa Justiça é lenta, a deles não é muito melhor.
      Acresce que condenar um homem de sessenta e um anos, a trinta e três anos de prisão, só pode ser uma “piada de mau gosto”. E isto se não houver ainda mais recursos.
      Ele que devolva mas é o dinheiro todo que extorquiu por atos de corrupção, aos cofres do Estado Espanhol, atribuam-lhe uma reforma de salário mínimo, e mandem-no para casa plantar couves. Fica mais barato.

  4. Nascimento says:

    A postada tem um pequeno problema; O GAJO DO MEIO E O AZNAR ; ESTÃO ENTRE OS DETIDOS?Então espere sentado. Entendido?Vou dizer-lhe uma coisinha: há uns dias atrás o Cidadanos com o AVAL de Aznar,fez um comicio de ARREPIAR! Falange pura! Modernaça, mas, FALANGE!Nem queira ver o que aí vem.Os Bascos e Catalães que se cuidem! O carinha de bébé mais a estupida da Arrimadas ( que de cada vez que abre a boca só diz asneiras, é só gaffes,mas os espanhois adoram bonecas ,,,)preparam-se pra tomar o poder e aí … é ver o que se passa na “justiça” contra artistas, com a famigerada lei MORDAÇA! Já ouviu falar?Não?Então tenha tento quando diz que EM ESPANHA É QUE É…
    Informe-se, há sítios que explicam o que se passa actualmente: Publico.es,Memória Historica,org,eldiario.es, etc…

  5. Luís Lavoura says:

    Houve um dissidente soviético que foi condenado a 25 anos no Gulag e que quando de lá saiu escreveu um livro intitulado “Meia vida”, significando que teria passado metade da vida dele na prisão.
    Mas hoje em dia na democrática Espanha não se condena pessoas a meia vida, 25 anos, na prisão: condena-se-as a 53 anos de prisão. Estaline teria inveja. A reeducação pode esperar.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.