Se fosse possível…

Comments


  1. SHIFT+DELETE é mais rápido e eficaz e ainda por cima não permite arrependimentos.

  2. ZE LOPES says:

    O Nazismo começou assim! O Salazarismo também! O Franquismo a mesma coisa. O Pinochetismo idem! Não era é assim tão limpinho. Era tudo mais “manual”…

    E substituía por quem? Por 230 clones de António de Almeida? Porra!

  3. Paulo Marques says:

    Podíamos ficar sempre à mercê (quer dizer, ainda mais) de Bava, Salgado, Paulo Azevedo, Amorim, Isabel dos Santos, Oliveira e Costa, gente simpática.


  4. se fossem estes os únicos problemas? Coo disse Cristo quem não tem pecado que atire a primeira pedra, o que neste caso eu suponho significaria o que vem depois ou que foi o que fiz para não chegar a este ponto? sinto que tenho uma parte da culpa colectiva, e como disse Churchill, democracia é claramente um mau regime, mas é melhor que todos os outros! Posts como este é que são populistas, grunhos, ao nível de Trump, não resolvem problema algum pois não propõem soluções, e isso é que interessa


    • “Democracia é melhor que todos os outros”?
      Não fosse essa frase do mais populista que existe! Perguntem ao Sócrates!
      Eu diria antes Escravocracia.


      • mas Churchill tinha coragem e inteligência, coisa que não posso dizer da esmagadora maioria da boyzada e politicos potugueses, vivos ou mortos. Até Salazar era cobarde e populista, nunca dava a cara


  5. isso queria o salazar

  6. Carlos Almeida says:

    Compreende-se a nostalgia do passado

    Aqui vão algumas imagens para matar saudades

    http://ensina.rtp.pt/artigo/o-estado-novo/

  7. João Mendes says:

    Não sejas mau, António. Ainda se aproveitam uns 20 ou 30 🙂

    • António de Almeida says:

      João, este post não é para levar a sério, etiquetei com humor, estamos na silly season… 🙂
      Em qualquer caso sempre digo que se é para termos disciplina partidária, bastaria 1 deputado por partido, com a votação correspondente ao peso eleitoral de cada um, à semelhança do que acontece nas sociedades…
      Dá pica é ver o parlamentarismo em Inglaterra, mesmo no poder, vê se a May tem mão na bancada, é que nem pensar…

      • Paulo Marques says:

        1 por partido não dá, há muito trabalho que é preciso fazer, nem que o estado fosse o mínimo dos mínimos.
        O sistema eleitoral é problemático, e não faltam propostas muito piores. O voto preferencial sempre era a única proposta que se aproveitava da campanha do Coelho, tanto que, obviamente, só podia ficar na gaveta. Aliás, o britânico ainda é pior, os deputados e PMS ainda são menos distinguíveis em políticas, fora do jogo politiqueiro.

        • António de Almeida says:

          Eu sei que não dá, ou algum país já o teria implementado. Mas detesto a disciplina partidária. Dizem as más línguas, não sei se é verdade, que os deputados do PSD assinavam a renúncia com data em branco, se isto for verdade, a diferença entre uma trela de cachorro e a disciplina no PSD…

          • Paulo Marques says:

            Isso só se resolve com mais partidos, a economia continua a andar perfeitamente com instabilidade política… excepto pelos compromissos completamente arbitrários da eurolândia, claro, mas já se sabe que a democracia é incompatível com esta.
            Essa nem sequer é a pior prática: https://365forte.blogs.sapo.pt/a-consciencia-de-ulisses-pereira-457629

          • Carlos Almeida says:

            Atenção que o “Sacana Flopes”, vai fabricar outro “Rachado”. Agora os descontentes com o Rio, têm para alem de uma outra linha dentro do PPD, que não se sabe muito bem o que é, a opção do “Sacana Flopes”

            O manhoso do Costa deve estar a esfregar as mãos.

      • ZE LOPES says:

        O problema é que a “silly season”, lá na casa de V. Exa, dura todo o ano…


  8. Para os típicos escravos irresponsáveis e incapazes de viverem sem terem sempre um CAPATAZ a mandar neles a primeira preocupação que manifestam é “e quem os substituí”?

    Ninguém quer MUDAR a situação actual… A MANADA está CONFORTÁVEL com a sua existência!

    Apenas querem ir trocando de CAPATAZES de tempos a tempos e de preferência com o mínimo de esforço possível e sem grandes inconvenientes… Daí a cruz na folha de papel!

    Se não forem trocando de tempos a tempos os capatazes deixam de ter tema de conversa nas tascas e bancos de jardim!

    • ZE LOPES says:

      Life is unbearable!

    • ZE LOPES says:

      Ó voza0db: não sei se compreendi bem a douta explanação de V. Exa. mas parece-me, perdoe-me o atrevimento, ter detetado nas suas avisadas afirmações qualquer coisa como, se não estiver errado, um certo desencanto e afastamento em relação às instituições democráticas atualmente constiuídas quer no nosso país, quer quiçá, no mundo inteiro ou até, se penso ter entendido na globalidade, mais além. Por favor, corrija-me se estou errado ou se, eventualmente, incompreendi a tese de V. Exa., facto do qual, desde já, humildemente me penitencio.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.