Quem for funcionário público ponha o dedo no ar!

No final do ano lectivo passado, António Costa declarou que as reivindicações dos professores custariam 600 milhões de euros aos cofres do Estado. Passado algum tempo, os sindicatos dos professores e o Ministério da Educação concordaram em criar uma comissão para se apurar exactamente quanto custariam as reivindicações dos professores. A verdade é António Costa e o Ministério da Educação sabem e não querem pagar ou não sabem e não querem pagar. Na verdade, não querem saber. Do colaboracionismo dos sindicatos e da maioria dos professores poderemos falar para a semana, quando o folclore da luta for retomado.

A propósito de (des)informações, comparem-se os títulos das notícias com direito a ligação, que não queremos que vos falte nada:

Percentagem de funcionários públicos em Portugal é das menores da EU (Julho de 2018)

Existem 675.320 funcionários públicos em Portugal. Número aumentou no 2.º trimestre (Agosto de 2018)

Quantos funcionários públicos há? Finanças não sabem, nem quanto ganham (Setembro de 2018)

Sabemos, não sabemos, temos a mais, temos a menos, não fazem nenhum, são fundamentais. Estou um pouco confuso!

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    “É lógico que há muitos funcionários públicos. Depende é como se contabilizam os mesmos.”
    Por ex:
    No local onde eu trabalho há uma empresa de segurança, uma empresa de limpeza e conservação das instalações, uma empresa de alimentação, vulgo catering, uma empresa de manutenção de elevadores, escadas rolantes e outras plataformas elevatórias, uma lavandaria para as roupas de cama, atoalhados, cortinados, e outra para as roupas dos utentes, uma vez que a primeira só trabalha com quantidades industriais.
    Enfim, tudo isto a ser feito por funcionários pagos com o dinheiro do Orçamento Geral do Estado.
    Uma loucura!
    Sobram uns quantos funcionários, cerca de dez, quadros técnicos, a maioria, a trabalhar por conta da Geringonça.

  2. JgMenos says:

    As estatísticas que interessam são as que comparam; o número e a despesa com funcionários com a qualidade dos serviços e a riqueza do país; as regalias salariais e outras dos funcionários com os demais trabalhadores.

    O resto é treta!

    • Cada vez durmo melhor! Deve ser da idade says:

      “O resto é treta!”

      Treta é achares estranho a não recondução de Joana Marques Vidal, e ao fim de dez anos os teus amigos ainda andarem à solta, como se nada tivessem feito.
      Entretanto os “cofres da dívida”, paga por todos nós, já la meteram, na Banca, mais de 20.000.000,00€

    • ZE LOPES says:

      O JgMenos agora, além de DDT (Dono da Direita Toda) também já é DET (Dono das Estatísticas Todas). Com esta acumulações de títulos, em breve acabará como quer: em DTT (Dono dos Títulos Todos).

    • António Fernando Nabais says:

      O menos é enorme!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.