Carta aberta a Jorge Nuno Pinto da Costa

Caro Presidente,

Anunciava um destes dias o Jornal de Notícias que já está em marcha a sua Comissão de Recandidatura, liderada pelo habitual Fernando Cerqueira, e que no início de 2019 começa a recolha de assinaturas. 
Tem sido um espectáculo habitual nas últimas décadas: de quatro em quatro anos, os pedidos para que fique multiplicam-se à medida que as eleições se vão aproximando. E o Presidente, que promete de cada vez ser o último mandato, acaba sempre por ficar. Já vi esta narrativa várias vezes e imagino como vai acabar.
Desta vez, no entanto, o Presidente não pode esquecer que no final do próximo mandato, em 2024, terá 87 anos. Não é justo que faça mais este esforço. Nem para si nem para o clube.
Penso que chegou a hora, pois, que todos nós sabíamos que um dia iria chegar: a hora de lhe agradecer por tudo o que fez pelo clube. Por si e pelo FC Porto, peço-lhe: anuncie desde já que este é MESMO o seu último mandato e que não vai recandidatar-se. Deixe que apareçam alternativas. Deixe o FC Porto viver sem si.
Sei que não é o momento ideal para esta minha carta. É fácil apoiar quando a bola entra na baliza. Afinal, somos os actuais Campeões Nacionais, no final de um campeonato marcado por uma vergonha como há muito não se via a nível de arbitragens e no auge do caso dos emails e de todos os outros casos que o grande Francisco J. Marques soube denunciar.
Ao mesmo tempo, felizmente, as coisas estão a correr bem para a nossa equipa de futebol e mal para os nossos adversários directos – um já despediu o treinador e o outro está na iminência de fazer o mesmo.
Mas contrariando o que escrevi antes, não seria mesmo este o momento ideal? Com o barco a navegar placidamente, sem ventos nem marés, um anúncio desta importância não provocaria qualquer tormenta. O Presidente teria quase dois anos pela frente para terminar o seu trabalho enquanto a equipa de futebol desenvolvia normalmente a sua actividade. Ao mesmo tempo, eventuais candidatos às eleições de 2020 saberiam com o que contar e poderiam começar desde já a contar espingardas. Fazer pontes. Unir.
Respondo à pergunta que fiz. Não, este não seria o momento ideal. O Presidente, perdoe-me a franqueza, já devia ter saído em 2004. 
Nessa altura, teria saído em ombros, como Campeão Europeu, e com um clube cheio de saúde financeira. No entanto, apesar de vendas recorde de cerca de 100 milhões de euros nesse Verão, a sua gerência decidiu enveredar por um caminho completamente dispensável, o dos fundos de jogadores, que viria a revelar-se desastroso nos anos que se seguiram.
Até hoje. Veja o caso de Brahimi – se renovarmos com ele, temos de pagar 6,5 milhões à Doyen. Se o vendermos, temos de pagar a comissão devida no mínimo de 6,5 milhões. Se o deixarmos sair a custo zero… temos de pagar na mesma 6,5 milhões à Doyen. Em que mundo é que se faz este tipo de negócios?
O actual passivo, que ascende a 465 milhões de euros, é o resultado de um desvario de 14 anos. Dir-me-á que nos outros grandes a situação é a mesma, mas com os males dos outros posso eu bem.
O problema é que não percebo para onde foram tantos e tantos milhões. Para ser preciso, mais de 1000 milhões desde 2004.
E ao fim de 1000 milhões, o que temos? Um clube intervencionado pela UEFA devido à infracção das regras do fair-play financeiro, um Estádio do Dragão hipotecado que já não pertence ao clube mas à SAD, as receitas de televisão dos próximos 10 anos antecipadas em 170 milhões, um departamento de Marketing fraquíssimo que nunca soube rentabilizar uma marca única, meia dúzia de modalidades em vez das 30 ou 40 que tínhamos em 1982; e uma nova data de fundação assente em mentiras grosseiras.
O Presidente fez do FC Porto aquilo que ele é hoje. Mais de 20 Campeonatos Nacionais, dois títulos de Campeão Europeu e Mundial entre sete vitórias internacionais, um clube respeitado em toda a Europa que é hoje o maior representante do futebol nacional.
Nem o nosso verdadeiro fundador, José Monteiro da Costa, poderia imaginar que um dia íamos ser isto tudo.
Mas fomos e isso nunca será esquecido por quem não é ingrato. O problema é que glórias passadas não garantem conquistas futuras.
Porque o Presidente fez. Foi. Conseguiu. No passado. Ter 80 anos não é o mesmo que ter 50 ou 60. Como seres vivos, perdemos faculdades, envelhecemos e morremos. É a lei da vida e é igual para todos.
O futebol evoluiu muito ultimamente. Não se compadece com gestões anquilosadas que pararam no tempo e que não sabem responder aos novos desafios que se lhe colocam. Por favor não queira destruir toda a obra que tanto lhe custou a construir. Por favor não deixe que alguém diga um dia que saiu pela porta pequena.
Repare: Se não fosse Sérgio Conceição e os seus rapazes, estávamos há seis anos sem ganhar o Campeonato Nacional. Se não fosse Francisco J. Marques, todo o sistema do futebol português continuava a assentar numa mentira.
Não sou ninguém nem nunca serei no FC Porto – apenas um adepto de base, livre, que deixou de ser sócio em 2001. Por não pactuar com uma forma de gestão que se agravou nos últimos anos e cujo expoente máximo, entre tantos outros, terá sido o vergonhoso (e criminoso) caso da venda do Rúben Neves.
Mas mesmo sendo apenas um simples adepto, preocupa-me o futuro do clube. E ao Presidente, que um dia foi o melhor do mundo, também acredito que preocupe.
Deixo-lhe os meus cumprimentos, com muita consideração e respeito por todas as alegrias que me deu.

Comments

  1. Manuel Silva says:

    Ricardo:
    «Afinal, somos os actuais Campeões Nacionais, no final de um campeonato marcado por uma vergonha como há muito não se via a nível de arbitragens e no auge do caso dos emails e de todos os outros casos que o grande Francisco J. Marques soube denunciar.»
    Não se entusiasme demasiado, há-de haver uma bóia salvadora, um formalismo jurídico, a safar o corrupto do Vieirinha e seus acólitos, tal como houve quando do Apito Dourado: no caso, uma escuta feita sem autorização do juiz foi o suficiente para deitar por terra um processo com pernas, andas, rodas e asas para ir em frente.

  2. Paulo Marques says:

    Está na altura, que estas contas são uma vergonha. Ou pior, uma sem-vergonhice a comprar muitos Porsches a muita gente.

  3. Dragartomaspouco says:

    O “gangster” não quer sair, porque sabe que se sair será preso, Pelo “apito dourado”, por ter pago a para roubarem os emails do SLB, pelos roubos ao Clube, etc etc etc.
    Por outro lado sem o “gangster”, o crime organizado, fica decapitado.

    • Paulo Marques says:

      yawn * e a falência do BES, a venda da PT, e a especulação imobiliária…
      O apito dourado já foi arquivado por ausência de prova vezes que cheguem, mudem a cassete que isso não dá pontos na Champions.


  4. Revelador. A limitação de mandatos chegou primeiro à política que aos clubes de futebol.

    Olhe-se para o FCP, para os casos de corrupção durante décadas, para as dívidas absurdas que avolumou, apesar de ter sido durante muitos anos o clube no mundo que mais dinheiro fazia com as vendas de jogadores, e olhe-se agora para o rival vermelho, em que, quinze anos de mandato, caminha a passos largos com os mesmos vícios de corrupção e desvios de dinheiro.

  5. Sempre Atento says:

    Carta da treta, de alguém que não tem mais nada que fazer.

    • Adriano Lima says:

      “Sempre Atento”? Só para enganar! Não se lembra quem disse há dois anos que o FC Porto tinha batido no fundo? Nada mais nada menos que o seu principal administrador que se auto aumentou num salário que já era… OSCENO!

    • Dragartomaspouco says:

      Pedro Pinto (V.N Gaia) >>>>Nelio (Condeixa) >>>> Alexandre Pinta da Costa >>>> ????

      Ainda vou rir muito, mesmo muito

      Abram os olhos !

      • Paulo Marques says:

        Eu prefiro rir-me com… perdão, de Tiago Martins e João Pinheiro. Nota artística máxima para os dois.

  6. Sousa Nortada says:

    Não passas de um vermelho travestido de azul não tenhas a presunção de pensar que enganas alguém.Dedica-te ao estudo das toupeiras

    • Manuel Silva says:

      Senhor Sousa Nortada:
      Disse algo sobre o Apito Dourado?
      Qual a diferença entre os e-mails e o Apito Dourado, quanto à corrupção que existe no futebol?
      Ou o senhor é como aquele Secretário de Estado Americano, encantado com um Presidente Latino-Americano que era um ditador, e,. ao ser chamado à atenção para isso por um Conselheiro,lhe respondeu: sim, ele é ditador, mas é o nosso ditador.
      Portanto maus só os ditadores inimigos.
      Para o senhor,má só a corrupção dos outros, a dos nossos é boa.
      É curioso, mas triste, que algumas pessoas, em vez de discutirem o que está em causa, como não conseguem argumentar porque têm telhados de vidro, passem ao ataque pessoal.
      Se há tanta gente assim como o senhor, como é que alguma vez teremos uma vida social e comunitária e um futebol decentes?

  7. César P. Sousa says:

    Sr.Ricardo Pinto,fez uma radiografia completa e clara da situação.Os “Lampiões” são demasiado tacanhos para entender.Chafurdam numa pocilga que para eles cheira a “Chanel”.Ou a coca 18 ?.

  8. Manuel Simão says:

    Concordo.É tempo de preparar o futuro.

  9. Agostinho Barbosa says:

    Estou completamente de acordo. Só foi pena não lembrar que os Srs da SAD tiveram aumento salarial considerável, mas não há dinheiro para renovar com o nosso Capitão.
    Jb

  10. Antonio Silva says:

    Sim e importante saber sair e está na hora certa para o fazer. Quem vier também vai receber um vencimento chorudo. Aqueles que o criticam e muitos que o invejam que se candidatem e mostrem competência para o combate.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.