O Wuant descobriu o artigo 13

Wuant, um fenómeno do Youtube com uma enorme legião de fãs, que se traduz nos seus mais de três milhões de subscritores e nos milhões de visualizações, partilhas e retweets acumulados, descobriu por estes dias o artigo 13, que – surpresa! – irá condicionar o negócio do seu estabelecimento virtual

Vai daí, o youtuber fez uso do seu poder mediático para lançar o pânico junto do seu público-alvo, pânico esse que, como seria de esperar, rapidamente se tornou viral. Pena que só agora se tenha apercebido do que aí vem. O Jorge já nos anda a avisar há mais de um ano, mas o Wuant, como a maior parte do jovens da sua idade, não deve ter tempo ou paciência para ler blogues. Ou jornais. Como é seu direito.

Não correndo risco de indigência, até porque falamos daquele que, segundo o Dinheiro Vivo, será o youtuber que mais factura em Portugal, as alterações legislativas para as quais agora acordou terão um impacto significativo na sua actividade. Talvez, e aqui fica a humilde sugestão deste Zé Ninguém para o titã virtual, não seria má ideia começar a estar um pouco mais atento ao mundo que o rodeia. O artigo 13, contra o qual milhares de europeus lutaram ao longo dos últimos meses, é apenas uma das ameaças ao trabalho do Wuant, à liberdade de expressão dos europeus ou à livre partilha de informação. Existe todo um novo mundo neofascista à espreita, e esses não vêm para impedir os wuants desta vida de partilhar imagens com direitos de autor. Vêm de lápis azul na mão.

Seria fantástico, e sem qualquer ironia o digo, que jovens como o Wuant, cuja influência sobre as novas gerações é largamente superior à de qualquer aprendiz de feiticeiro político, começassem a usar o seu enorme poder mediático para defender a democracia para lá da liberdade de publicar imagens com direitos de autor no Youtube. Não digo que descaracterizem o seu negócio, que é um negócio legítimo e respeitável como qualquer outro, mas que usem um pouquinho do seu tempo de antena para alertar os adultos de amanhã para a necessidade de se envolverem mais na sociedade ou de escrutinar o poder político e económico. É uma seca, eu sei. Mas não deve ser pior que ver a sua criatividade castrada pelos burocratas europeus.

Comments


  1. Não quero que a internet acabe

  2. Paulo Marques says:

    Não sei quem é o caramelo, mas é responsável pelo menos por haver uma mais uma referência no JN online, já não é mau.

    • Carlos Almeida says:

      Não sei quem é, mas não é burro.
      Tudo não passou de um truque publicitário a que a TV deu cobertura

      • Paulo Marques says:

        Qual truque, antes fosse, é a realidade de uma lei cega, desnecessária e contraproducente de uma organização económica que põe o capital acima de tudo – neste caso, o capital extra-comunitário, o que é ainda mais idiota. Os supostos alvos limitar-se-ão a criar silos próprios, limitando ainda mais o acesso aos jornaleiros.
        Tudo votado e aprovado por camelos que violam o futuro artigo nos seus materiais de campanha e redes sociais, claro está.

        Há melhorias a fazer? Talvez, mas o ContentID já mostrou amplamente que não é por aqui.

        • Carlos Almeida says:

          Truque do adolescente youtuber, para que falem dele, não da Google ou dos outros que estão por trás. Esses não precisam, têm milhões de pré adolescentes otários a dar o ouro ao bandido, voluntariamente.


          • Não precisa. É seguido por mais de 3 milhões no Youtube, mais umas quantas centenas de milhar nas restantes redes sociais. Tem o toque de Midas digital.

          • Paulo Marques says:

            Não é um truque, é a carreira. E o Google não precisa porque não o afecta, bloqueia os links e cria o seu jornal, ou acha que os pontos de entrada das pessoas mudam só porque sim? Quem perde é quem deixa de criar, quem deixa de ter ligações ao que produz e o público em geral.
            É tão evidente que dói.


  3. Para ja essa noicia ja estaria a violar o artigo 11 que tb esta a ser avaliado que seria a partilha de links.
    Segundo os adolecentes usam a internet para fazer o trabalhos para a escola com esse artigo as notas vao baixar ja para n falar nas pessoas que vivem do dinheiro de venda na internet e os youtuberes e nos proprios que vivemos da net por amor nos mesmos fazer o favor de parar de falar mal da pessoas com descreminar o waunt que fez mais que seu trabalho para nos imformar o que se ia passar

  4. Anonimus says:

    O wuwant, como qualquer bom Portuga, só se preocupa com algo quando vê o sustento em perigo.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.