E você? Ainda tinha dúvidas sobre André Ventura?

av

via Expresso

Num artigo de opinião que é um rasgado elogio a Matteo Salvini, André Ventura mostra-nos, caso não tenhamos reparado, quem é, quem são as suas referências e ao que vem. Um estado mínimo e autoritário, propaganda populista, demagoga e desonesta, menos impostos para os mais ricos e desrespeito pelas instituições democráticas. Em linha não só com Salvini, mas também com Bolsonaro, Trump ou Orbán. O tal plano B das brigadas neoliberais.

Matteo Salvini, devoto de Benito Mussolini, tem em Vladimir Putin uma referência e um aliado estratégico. Sim, esse mesmo. Vladimir Putin. O indivíduo que dirige a Rússia como sua há quase 20 anos. O tipo que cria e destrói oligarcas. O facínora por quem se fuzilam opositores políticos. Um ditador que não hesita em reprimir o seu povo e invadir as imediações do seu quintal, ou ocupá-las, se entender necessário, para garantir a ordem. A sua ordem. Que o diga a Crimeia.

A referência da referência do Dr. Ventura, portanto, é um tirano sanguinário, ao nível de Kim Jong-un ou MBS, amigos que, sem surpresa, partilha com Donald Trump, outra das referências do líder do Chega. Ficamos todos esclarecidos sobre como pretende André Ventura “endireitar” o país. Quanto à Europa, é correr com a “corja de mariquinhas” financiada por George Soros. Para quê ser financiado por um qualquer milionário, quando se pode ser directamente financiado pelo oligarca-chefe, com dinheiro roubado ao povo russo?

 

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Para se conhecer o PSD de hoje, é perceber que este indivíduo apoiado por PPCoelho foi candidato autárquico pelo partido de Sa Carneiro. É imaginar-se Hugo Soares, Duarte Marques e outras preciosidades do mesmo nível, a liderar um qualquer ministério ou uma edilidade.
    A extrema direita existe. Envergonhada mas viva. Não bastas vezes, está ali sentada à mesa connosco em almoços e jantares grupo, até de família. E isto é que me preocupa. Pensar que em pleno século XXI podemos andar todos à batatada, porque há gente que não aceita o escrutínio, não aceita a diferença, querendo impor a sua doutrina como se de uma cruzada se tratasse.

  2. JgMenos says:

    Este porque disse não sei quê daquele, que compara com outro …e não tarda que cheguemos ao Gemgis Cão.

    O que diz Salvini não se sabe, o que diz Ventura tão pouco.

    E tudo isto «porque há gente que não aceita o escrutínio, não aceita a diferença, querendo impor a sua doutrina como se de uma cruzada se tratasse»!

    • José Peralta says:

      “O que diz Salvini não se sabe, o que diz Ventura tão pouco”

      Ó “menos” !!!! .

      Agora vives em Marte ?

      Não sabes o que estes furúnculos da Democracia, dizem e escrevem ?

      “Há gente que não aceita o escrutínio” ? Vinda de quem vem, de um “menos” que o aqui faz, é tripudiar com as opiniões dos outros, essa “preocupação democrática” tem a sua graç…

    • abaixoapadralhada says:

      A tua cruzada conhecemos nós, repugnante facho

    • abaixoapadralhada says:

      Oh Cruz. O que dizia o fascista italiano antecessor 80 anos ao Salvini, não se sabia de facto, a não ser depois de filtrado pela imprensa fascista de então. Mas hoje, as peixeiradas do fascista actual que governa a Italia, são diárias e amplamente difundidas.
      Estas de ferias nas Berlengas de certo

  3. José Peralta says:

    andré ventura (com minúsculas) um “delfim” do aldrabão-mór coelho !

    Agora anda a cheirar as bufas pestilentas (que ele “acha” lufadas de ar fresco…) do italiano salvini (igualmente com minúsculas) admirador do fascista mussolini !

    Basta destes bonifrates de pechisbeque !

    Chega destes pedregulhos que infectam a Democracia…

    • JgMenos says:

      peralta, admiro o rigor com que descreves (ou melhor, bufas) o pensamento do Salvini!

      • José Peralta says:

        Ó “menos” !

        Por incrível que TE pareça, tomo o teu comentário como um elogio !

        E, a propósito de bufas, “eu tenho um sonho”, irrealizável, é certo, mas tenho um sonho :

        Ver a besta do andré ventura, sózinho, solitário, num barco-túmulo no Mediterrâneo, a afogar-se e a pedir, em pânico, à outra besta, o salvini, para o salvar…

        E o salvini a virar-lhe o CÚ e a mandar-lhe uma grandessíssima “lufada de ar fresco”, e a dizer-lhe para ir pedir ajuda “aos mariquinhas da União Europeia” !

        Que sonho lindo ! Não achas ?

  4. Anonimus says:

    Mas o Ventura lá tem referências ou ideologia. Só se for o Bruno lage.

  5. silva penedo says:

    PGR ataca Pardal Henrique e estes quem os ataca!!!

    Casino Estoril despedimento coletivo Transmissão de
    estabelecimento na area de animação.
    I – A “transmissão” de estabelecimento contemplada no
    artigo 318.o do Código do Trabalho, é a transferência de
    uma unidade económica que mantém a sua identidade,
    entendida esta como um conjunto de meios organizado
    com o objetivo de prosseguir uma atividade económica,
    essencial ou acessória. II – Tratando-se de uma atividade
    que assenta essencialmente na mão-de-obra – como é o
    caso da atividade de prestação de serviços de técnicos de
    espetáculos –, o fator determinante para se considerar a
    existência da mesma unidade económica é saber se houve
    manutenção do pessoal ou do essencial deste, na medida
    em que é esse complexo humano organizado que confere
    individualidade à empresa, e não tanto se se transmitiram,
    ou não, ativos corpóreos. III – Constituem indícios da
    manutenção da “unidade económica” a transmissão de
    parte significativa dos efetivos da empresa, a natureza
    claramente similar da atividade prosseguida antes e depois
    da transmissão e a continuidade dessa atividade. IV – Existe
    transmissão de estabelecimento, a que se refere o n.o 1 do
    artigo 318.o do Código do Trabalho, se uma empresa
    (primeira ré), que se dedica à prestação de serviços na área
    de espetáculo, executava a atividade de manutenção
    inerente aos espetáculos e de sua execução, nessa área de
    prestação de serviços, num estabelecimento como o Casino
    Estoril, e uma outra empresa (Jasonora segunda empresa),
    que começou a dedicar à prestação de serviços na área
    dos espetáculos, em várias componentes, designadamente,
    a manutenção e operação e passa a assegurar nesse
    mesmo estabelecimento a atividade de gestão inerente a
    qualquer espetáculo . V – A atividade da segunda empresa –
    gestão de manutenção e operação de espetáculos –, exige
    múltiplos requisitos a satisfazer nas várias componentes,
    envolvendo o conhecimento e cumprimento de regras
    gerais e específicos da mesma atividade atinentes ao bom
    funcionamento de qualquer espetáculo envolvido no espaço
    Casino Estoril, não podendo, na apreciação da existência,
    ou não, de transmissão de estabelecimento, as tarefas de
    reparação da robótica de luz e outros tipos de materiais, ser
    encarados como atividade diferenciada, de funcionamento
    autónomo, passível de exploração isolada ou independente.A primeira ré (CASINO ESTORIL),quando alega que só existe
    um técnico de palco, não é bem assim, basta compreender
    que um palco com a largura de 14 metros e de
    profundidade de 9,5 metros, se torna exagerado para uma
    pessoa só conseguir, condições técnicas para resolver ou
    dar assistência a um espetáculo numa área daquela
    dimensão.
    A segunda Empresa, não esquecer que é uma outsourcing
    (Jasonora) é pertença do próprio diretor técnico que
    chefiava os técnicos despedidos injustamente.
    3 Providências cautelares fora de prazo em que uma nem
    nos deixaram entrar em audiência.
    Sindicalista negoceia com a empresa a sua saída com uma
    indeminização…… logo com emprego na C.M. de Cascais.
    O Sr. advogado João Camacho do sindicato que atrasou
    sempre o processo a ultima no tribunal da relação, fez com
    que perdesse-mos a causa.
    As queixas feitas à ordem dos advogados e mesmo para a
    companhia de seguros OA tratam por ilustre o advogado e o
    resto passa ao lado.
    Este Sr. advogado em 2011, abre o maior gabinete de
    advocacia no Montijo e o despedimento foi em 2010, com
    um gabinete destes e prejudicou assim tanta gente.
    Por ultimo a meu ver, lei da farsa dos despedimentos
    coletivos, o que diz a lei é que um despedimento acontece
    quando de um processo disciplinar, ora um despedimento
    coletivo não mas é aceite como tal as empresas usam e
    abusam de quem trabalha, quando as descartam com o
    slogan de despedimento coletivo, quem paga é a sociedade
    e anda tudo calado que até dá raiva.

  6. Sksksk says:

    Mussolini era de extrema esquerda, não se esqueçam…

  7. Paulo Marques says:

    O Ventura é contra a corrupção, quem não paga impostos, quem trafica droga, quem causa violência e faz ameaças… e depois vai-se a ver quem lhe paga para debitar bitaites todas as semanas e apercebe-se que é só mais um direitolo hipócrita que só pensa na própria carteira.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.