Os factores da TVI e o distrito do Porto

I’m not asking you to believe anything you can’t prove. I’m just asking you to prove it.
Will Graham

***

O pedido de desculpas da TVI levou-me a ver um bocadinho do Jornal das 8 de ontem e a encontrar mais uma prova quer da utilidade grafémica das letras consonânticas cê e pê, quer da concomitante inutilidade do Acordo Ortográfico de 1990. O direto, fixado por alguém na moldura daquele oráculo informativo, borra a pintura. Contudo, como sabemos, ‘factores’ são uma prova de que há esperança.

Há muitos anos, no Manhunter, houve um diálogo extremamente interessante entre o Hannibal Lecktor (exactamente, Lecktor e não Lecter) e o Will Graham. No mais recente Hannibal, tivemos o Will a fazer de Lecktor e a Beverly Katz a fazer de Will.

O Will perguntava:
Do you have the file with you?

A Beverly respondia:
Yes.

O Will retorquia:
And pictures?

E a Beverly repetia:
Yes.

É verdade: felizmente, há imagens.

***

Nótula: Por uma questão de clareza quanto ao número de pessoas infectadas com COVID-19 em Portugal, talvez fosse bom que o Ministério da Saúde e a comunicação social portuguesa deixassem de tratar os casos do distrito do Porto dentro da região NORTE DE PORTUGAL (assim, com maiúsculas, como nos oráculos sensacionalistas da TVI).

Neste caso concreto das pessoas infectadas com COVID-19, o distrito do Porto deve ser analisado à parte.

O NORTE DE PORTUGAL é identificado no mapa do Ministério da Saúde como a região que, para quem vem de Barcarena, começa nos concelhos de Espinho, Santa Maria da Feira, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Arouca, Cinfães, Resende, Lamego, Tarouca, Moimenta da Beira, Sernancelhe, Penedono, Vila Nova de Foz Côa e Freixo de Espada à Cinta e vai por ali acima  — cf. mapa dos concelhos de Portugal (pdf) e mapa do Ministério da Saúde.

Como é sabido, há neste momento 10302 pessoas infectadas com COVID-19 no NORTE DE PORTUGAL.

Todavia, só no Porto, em Gaia, em Gondomar, em Matosinhos, na Maia e em Valongo (seis concelhos do distrito do Porto) há 4544 casos.

Isto é, seis concelhos do distrito do Porto concentram quase metade (44%) dos casos do NORTE DE PORTUGAL — já agora, ao contrário do que diz o jornalista da RTP, o concelho de Ovar não pertence ao NORTE DE PORTUGAL (tendo em conta a divisão geográfica indicada pelo Ministério da Saúde, entenda-se). Assim, há actualmente mais casos só nesses seis concelhos (4544) do que na região à qual o Ministério da Saúde chama “de Lisboa” (3994).

Por isso, talvez o caso específico do distrito do Porto deva começar a ser quantificado e tratado de forma isolada em relação ao NORTE DE PORTUGAL. E é importante que tal aconteça num momento em que políticos vão lançando a confusão terminológica, definindo erradamente o conceito portofobia como «um sentimento arreigado em pessoas que acham que “este país” seria melhor sem “o Norte”». Portofobia será, quando muito e de uma forma muito simples, “antipatia ou aversão em relação ao Porto”. Convém respeitar o sentido dos radicais.

Votos de muita saúde.

***

Comments

  1. Dragartomaspouco says:

    “o conceito portofobia como «um sentimento arreigado em pessoas que acham que “este país” seria melhor sem “o Norte”».

    O Norte é muito mais do a fossa para onde vai toda a merda do Norte, conhecida também pelo O Porto, como dizia o “Patego”

    • Francisco Miguel Valada says:

      O Porto é a minha cidade. Já que não respeita a cidade, como é notório, tenha pelo menos respeito por mim e não volte a insultar o Porto nos comentários aos meus textos. Critique sem insultar. Seja civilizado.

      • Dragartomaspouco says:

        Até parece que não foi o Pinto da Costa que começo esta guerra ao chamar de “mouros” todos os que não são do Porto.
        Quem semeia ventos, colhe tempestades

    • Paulo Marques says:

      Por falar em teorias da conspiração, cadê as provas da ligação de Rui Pinto e Pinto da Costa? Tenho estado em casa sentado à espera. Não à espera de um labrego que só vê futebol à frente, mas é parecido.

      • Dragartomaspouco says:

        Toda a gente soube o que o Pinto da Costa fez quando do apito Dourado e nunca o prenderam. Antes pelo contrario ate foi avisado por um Juiz para fugir para Espanha.
        O CO está bem protegido

  2. Julio Rolo Santos says:

    É uma guerra entre Lisboa e Porto que já vem do antigamente que se agudizou agora com a guerra dos números com o Porto a levar vantagem, com o número de infetados pelo covid19, sendo a região que apresenta o dobro do resto do país. O motivo para esta situação é desconhecida mas a Região Norte não aceita os motivos que foram avançados pelo trabalho jornalístico apresentado pela TVI no telejornal das 20 horas do dia 13 ultimo e, com esta guerra entre norte e sul, parece que o Norte se prepara para passar a sonegar informação sobre a evolução do vírus na região. Se assim for e a autoridade máxima da Saúde Pública o consentir, estamos perante um comportamento inadmissível de um e do outro lado. O país deve permanecer imune a estas guerras de poleiro.

    • Dragartomaspouco says:

      ” o Norte se prepara para passar a sonegar informação ”
      Não é o Norte, é o Porto !

    • Paulo Marques says:

      O que se passou é que não há editores nos média e ninguém reparou no que estava a dizer. Para a semana já ninguém quer saber, que é preciso discutir como pôr quem ainda tem emprego a trabalhar, e a trabalhar mais barato, que é preciso pagar as contas.

  3. Pimba! says:

    A região à qual o Ministério da Saúde chama “de Lisboa” näo existe, o que existe é uma região chamada…
    “Lisboa e Vale do Tejo”. É uma NUT II, tal como o “Norte”.

    Ofendem-se com simples estatísticas? Problema vosso.

  4. Dragartomaspouco says:

    Os factores da TVI e o distrito do Porto

    Depois admiram-se de haver muitos casos

    Basta ver esta reportagem da Cmtv na Areosa – Porto

    https://www.cm-tv.pt/atualidade/detalhe/alerta-cm–populacao-da-areosa-sai-a-rua-durante-estado-de-emergencia-veja-as-imagens?ref=HP_MaisLidas

    O algodão não engana

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.