A “desajuda” do fechamento ou “calem o bico, cidadãos”

É demasiado óbvio que o aumento do número de assinaturas de 4.000 para 10.000 para que uma petição pública seja debatida em plenário na “casa da democracia” é um “sinal de fechamento na Assembleia da República, na participação dos cidadãos e na vitalidade da própria democracia”. E é-o de facto, não pode apenas “ser visto” como tal, conforme relativiza Marcelo Rebelo de Sousa.

Desta vez, o veto de Marcelo é em favor dos cidadãos e oferece uma oportunidade de apagar aquele dia negro para a democracia portuguesa em que a arrogância do PSD (que queria até aumentar o número mínimo para 15.000) e do PS quiseram abafar a voz da cidadania. Aceitam-se apostas.

Tudo o que seja revelar desconforto perante a participação dos cidadãos não ajuda, ou melhor, desajuda a fortalecer a democracia” – Pois é. E “desconforto” é apenas um eufemismo para a falta de pachorra destes partidos em causa própria, que não valem um chavo porque os cidadãos só lhes interessam para enfiarem o voto na urna. Até a esfarrapada justificação para a alteração da lei foi desmascarada: “o número de petições desceu em 2018 e 2019, relativamente a 2017 – portanto não é válida a justificação do trabalho parlamentar”.

E depois admiram-se que o Chega suba.

Comments


  1. Se falta de chá do presidente, a boyzada queria ficar mais em paz e com menos trabalho para fazer aquilo que gosta, como por exemplo postar fake news no Twiter e no facebook, ou traficar influências para obter melhores tachos, e não os deixam, que caturreira.

  2. Rui Naldinho says:

    “E depois admiram-se que o Chega suba“

    A intenção deles, PS e PSD foi precisamente reduzir a voz ao Chega. Fazem-no, convencidos que estão, assim eles não têm palco, reduzindo-lhe as audiências.
    Coitados. Não percebem o óbvio. A alma do Chega sempre existiu, na direita. Estava era sob anonimato.
    Uma das consequências da Geringonça, e da falta de perspectivas de a curto prazo essa mesma direita ascender ao poder, foi a a sua fragmentação em vários partidos. O Aliança, a Iniciativa Liberal e o Chega. Todos estes partidos têm origem no PSD, muito mais do que no CDS.
    O mesmo acontece em Espanha, com o VOX. Aquilo é tudo gente vinda do PP. Este fragmentou-se em duas alas. Uma mais liberal, o Ciudadanos, e outra mais franquista, de extrema direita, o VOX.
    É óbvio que a corrupção e a endogamia, doença comum aos dois maiores partidos da nossa democracia, contribui em muito para o desencanto dos cidadãos com a política. Gostaria no entanto de acreditar que a generalidade têm inteligência suficiente para perceber que o Chega é um embuste.


  3. “(…)Desta vez, o veto de Marcelo é em favor dos cidadãos e oferece uma oportunidade (…)”. Aconteçam mais, caso tenham teores similares.


  4. Convém verificar que não se formem 4,000 crónicos das petições.
    Quantas petições pode um cidadão subscrever em cada ano parlamentar?

    • POIS! says:

      Pois é!

      Foi por isso é que Salazar nunca permitiu coisas dessas! A Assembelia Nacional só funcionava três meses por ano e ainda tinha de estar a ler petições? Ora essa! Só os discursos do Tenreiro sobre assuntos importantíssimos como a pesca do bacalhau demoravam dois dias!

      E ainda teve medo que o Cerejeira arregimentasse as beatas para fazer proliferar as petições como aquela que tornava a reza do terço obrigatória em momentos como as esboscadas na Guerra do Ultramar, os interrogatórios da PIDE ou os atos sexuais estritamente necessários à perpetuação da Raça, obrigação essa extensiva mesmo áqueles que decorriam com meretrizes encartadas.


  5. Honestamente era uma boa medida… Afinal de contas os ignorantes deputados(as) perdem muitas horas com estes processos, que nunca levam a nada, excepto se for algo que também seja do interesse deles implementar, neste caso as petições são uma ferramenta fantástica e altamente democrática.

    Assim com as horas que teriam poupado a debater petições idiotas, e que graças ao Açaime Mor-da-Raspública eles já não terão disponíveis, poderiam dedicar todo o seu talento e intelecto para começarem a desenhar as Medidas Anti-CUVID-19/20 para o fenomenal Inverno que se aproxima.

    Não se admirem por isso que devido à falta de tempo para resolverem assuntos REALMENTE IMPORTANTES, como a Saúde da Manada de Boçais Tugas, no Belo Inverno que virá, teremos que ser nós a nos safarmos…Pois eles vão andar a ler/discutir petições e nos intervalos é que vão ler à pressa as fantásticas recomendações da DGS… e coisas lidas à pressa!!!

    • Paulo Marques says:

      Qual inverno, o vírus quer lá saber do tempo. Se ainda não há plano, é porque depende das migalhas que chovem.


      • Nenhum vírus quer saber da meteorologia… Porque é que achas que morrem por mês em Portugal à volta de 600 tugas boçais devido a pneumonia viral ou bacteriana (segundo estudos numa proporção 60/40)?

        E se os outros vírus e bactérias não estão muito importados com a meteorologia anual duvido muito que este alegado novo vírus seja diferente! Diferente é porque não tem capacidade para matar tanto animal como os outros.

        Espero que não chovam migalhas… Caso contrário o Fascismo Sanitário será ainda pior do que já foi entre Março e hoje.

        • POIS! says:

          Pois, mesmo assim, é admiravel.

          Que haja tugas boçais a fazer estudos sobre as causas da morte de tugas boçais só para terem o prazer de ser citados por um boçal tuga que dá pelo pseudoheterónimo de vozazerodecibolos.

          Deve ser porque não têm mais que fazer enquanto esperam por um dos 60 vírus e 40 bactérias que por aí andam a abater 20 boçais por dia.

          Sim, oxalá que não chovam migalhas. Mas se tiver de ser que sejam de coca. Pelo menos haveria animação enquanto se espera pelo ataque dos covides.

        • Paulo Marques says:

          Tu é que falaste no Inverno, este vírus não é afectado pelo tempo, outros são. E não percebo a justificação para adicionar mais uns quantos de uma vez, muitos com problemas imunitários, sobrecarregando hospitais e morgues.
          Isso ignorando os cada vez mais concretos registos de danos permanentes sérios até em assimptomáticos.


          • Que outros vírus são afectados pelo tempo? E porque é que o “SARS-CoV-2” não é?

          • Paulo Marques says:

            Todos os organismos são sensíveis à humidade e temperatura, mas uns mais do que outros. Porque é que é mais resistente, não sei, nem me interessa (mas há quem saiba, dentro do conhecimento possível); basta-me ver que nunca houve diferenças de contágio entre países em hemisférios diferentes que não fossem mais facilmente explicáveis pelas medidas de contenção, graças à quantidade de países.

    • POIS! says:

      REALMENTE IMPORTANTES?

      Pois estou espantado!

      Eu julgava que o vozinhazerodecibolos passava de mansinho por esses problemas de covides e tal..

      Não pertence à MANADA DE BOÇAIS. Pertence a outra muito mais fina, mas a essa não!

      Não frequenta os SALAFRÀRIOS DE BATA BRANCA. Frequenta salafrários de outras cores, mas esses não!

      Não se prevê que as substâncias medicinais que o livram de maleitas desapareçam do mercado. Os ornitorrincos devem continuar a produzir escrementos em profusão e as bolotas-da-índia proliferam triunfantes nas selvas pejadas de tigres!

      E agora está preocupado com invernos e petições? Que desilusão!Toda a gente à espera da revelação de questões importantíssimas como a crescente influência do sionismo nos padeiros ou a utilização subreptícia de caudas de andorinha trituradas nas vacinas contra o coronavirus e nada! Francamente!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.