A vacina muçulmana


Os dois cientistas por trás da vacina da Pfizer são filhos de imigrantes turcos na Alemanha. Ugur Sahin e Özlem Türeci, da BioNtech, começaram a estudar o vírus ainda a Europa não sabia o que a esperava, em meados de Janeiro, e são os parceiros da farmacêutica que, aparentemente, está mais próxima de disponibilizar a tão ansiada vacina.

Sublinho a ironia de sermos “salvos” da pandemia do século por filhos de imigrantes, ainda por cima muçulmanos, enquanto outros, com menos sorte, se afogam no Mediterrâneo, numa outra pandemia sem fim. Ou são perseguidos e espancados por grupos de extrema-direita. Ou são estigmatizados e enfiados no mesmo saco que a minoria terrorista. Ou são usados como arma de arremesso por demagogos oportunistas com agendas totalitárias. Não sei quanto a vós, mas eu vi aqui um belo raio de sol neste 2020 sombrio. Quanto à extrema-direita xenófoba e racista, bem, é lidar.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Sorte a dos alemães, azar o nosso. A nós saiu-nos um Zeinal Bava que rapidamente aprendeu com os Tugas, como “bem mafiar” em toda a parte.
    A História está cheia de imigrantes que fizeram as delícias dos reinos, como Fernão de Magalhães e Cristóvão Colombo, em Espanha; Ribeiro Sanches, Garcia da Horta, Pedro Nunes, judeus sefardistas, em Portugal. Todos eles gente de muita sabedoria e cultura, que se viu negra para se manterem vivos, há época.

  2. Filipe Bastos says:

    Sorte a dos alemães serem um país rico e avançado, em vez de pedintes que estouram esmolas da UE, sorte serem organizados e racionais, em vez de chulados e gozados por pulhíticos e pseudo-gestores impunes, sorte atraírem emigrantes assim, sorte terem universidades, institutos e empresas onde eles podem trabalhar e descobrir coisas… bem, se calhar é mais que sorte.

    “Pandemia do século”, diz o João Mendes. Faltam 80 anos. Se o covidas for a pior, menos mal: mata muito pouco, e quase só velhotes doentes. O que diríamos em 1920.

    Acho muito bem que se destaque os cientistas muçulmanos. Só não encontro os posts sobre os muçulmanos que decapitaram o professor e as senhoras, ou os que volta e meia baleiam, explodem, trincham ou atropelam quem calha por meia Europa.

    Ou os que fazem redes pedófilas em Inglaterra, os que agridem centenas de mulheres em Colónia, os que as perseguem por andarem destapadas na rua, os que as forçam a casar pela sua rica ‘cultura’… ter-me-ão escapado, João?

    • Paulo Marques says:

      Também não vê sobre o caso do SEF, as perseguições aos muçulmanos franceses, as agressões aos portugueses pela Europa, as diatribes da Joanne Rowling… é um blog, escreve-se sobre o que se quer, e não lhes apetece escrever sobre algo com cobertura qb.
      Submeta, já aceitaram coisas piores. Até um texto meu.

  3. Paulo Marques says:

    Invés de se elogiar a vacina a ver se isto acaba, bate-se em tudo que culpar os outros está na moda.
    Entretanto, tanto se queixam que era uma gripezinha que já vai em causa de 43% das mortes do país no último mês. Siga.

    • Filipe Bastos says:

      Ah, está a incluir as mortes causadas pelos milhares de consultas e tratamentos cancelados ou adiados, pela negligência criminosa e pela histeria covideira?

      • Paulo Marques says:

        Estavam incluídas nas estatísticas do telejornal, sim. Espero que esteja contente pela falta de pânico.
        E imagino que por pânico inclua as muitas consultas e tratamentos que eram encaixadas entre e durante outras consultas, bem como horas extra; é que há aquela histeria de limpar tudo e já não dá para esconder o custo real das poupanças das 63 recomendações de saúde. É a vida.

  4. JgMenos says:

    Pude com esforço suster as lágrimas perante a comovente evocação de uma vacina a atravessar o Mediterrâneo a nado, perseguida pela extrema-direita!

    E tudo isto de cu-pró-ar e virado a Meca cinco vezes ao dia, é muita emoção esquerdalha junta…

    • Paulo Marques says:

      É quase tanta como o Menos ouvir que não receberam um cêntimo público (pois, directo). Mas que a descobriram, descobriram.

    • POIS! says:

      Pois temos de reconhecer..

      Que JgMenos anda a ficar esquisito. Agora até já se preocupa com o ponto cardeal para o qual se vira. E confessa até que chora. Do armário já não surgem sortilégios. A solidão é lixada!


  5. Anedota do dia “começaram a estudar o vírus”!

    Boa…

    • Paulo Marques says:

      Então não tinha sido inventado na China/América? Agora já é na Alemanha? Já sei, foi uma conspiração do Xenu?


  6. se os cientistas fossem cristãos, tinha intitulado “A vacina cristã” ?

    • Paulo Marques says:

      Nisso tem razão, o título é um disparate. Portanto, será copiado por um jornal em breve.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.