Cotrim lava mais branco?

Portanto, na audição a Luís Filipe Vieira, o deputado da IL (Iniciativa Liberal) foi para lá de fofinho. Se Cotrim fosse advogado de carreira (penso que não o é) eu diria estar perante mais um caso em que advogado, cliente e testemunhas preparam a audiência e em que as perguntas, fofinhas, lavam a situação. Alegadamente, claro. A intervenção do único deputado da IL nem chega a ser uma desilusão. Uma coisa garantiu: o meu voto nunca mais o levam.

Comments

  1. Filipe Bastos says:

    Francamente, Moreira de Sá: votou nestes lacaios de mamões?

    Quer dizer, lacaios são todos, mas estes nem sequer disfarçam…

  2. Carlos says:

    João Cotrim Figureido fez parte do governo Passos Coelho que fez “um enorme aumento de impostos” segundo o próprio Vitor Gaspar. Pelos vistos os liberais só defendem impostos baixos enquanto estão na oposição. E o próprio enquanto presidente do Turismo de Portugal estatizou todo o sector das apostas desportivas. Mais um hipocrisia: Como é que alguém que se diz liberal aceita ser presidente de uma estatal que regula um sector económico.

    Até meados de 2015, o sector das apostas desportivas mal era regulado pelo estado e pagava poucos impostos.
    – João Cotrim Figueido presidente da estatal “Turismo de Portugal” e Adolfo Mesquita Nunes secretário de estado do Turismo proibiram todas as empresas de apostas de actuarem em Portugal.
    – Em seguida criaram a estatal Placard através da Santa Casa. Embora muita gente pense que a Santa Casa não é estatal, mas é. Tanto que António Costa reconduziu Santana Lopes na presidência
    – Durante mais ou menos um ano a Placard teve o monopólio das apostas desportivas em Portugal. Durante esse tempo tivemos um choque tecnológico ao contrário. Passamos das apostas na internet para apostas no papel e caneta. Antes de 2015 só podia apostar quem tivesse cartão de crédito ou seja só maiores de idade.
    Como as apostas em papel passaram ser feitas nos cafés, os menores de idades passaram a apostar também. Não devem, mas podem. Como se sabe a fiscalização, bem ou mal não existe nos cafés. Qualquer pessoa que já andou na escola sabe o quão fácil é para um menor comprar cigarros.
    – Hoje em dia o Placard já não tem o monopólio, mas o mercado é altamente regulado com regras absurdas e as empresas pagam até 30% de impostos.

Trackbacks


  1. […] Mas, o nosso Fernando Moreira de Sá, não […]


  2. […] Sem surpresas, Vieira apresentou-se amnésico, fanfarrão e não hesitou no momento de puxar pela cartada Benfica para se vitimizar. Esta comissão de inquérito, que corre o risco de resultar em rigorosamente nada, é um hino à impunidade e a uma certa reverência por fatos caros, status social e nomes de família pomposos, outrora amplamente elogiados pela imprensa económica, hoje convertidos em socialistas, uma vez caídos em desgraça. Tirando Cecília Meireles, o puxão de orelhas de Fernando Negrão a Luís Filipe Vieira e a habitual MVP nestas andanças, Mariana Mortágua, o cenário não inspira. Cotrim de Figueiredo esteve particularmente infeliz. […]

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.