Refrão escrito pelo Carlos Tê para o Rui Veloso

Não quero ficar impune
E dizer-te cara a cara
Muito mais é o que nos une
Que aquilo que nos separa


O Supremo Tribunal dos EUA reunido. A cores. Circa 2022.

Comments

  1. Alberto says:

    Que falta de noção. O tribunal não proibiu nada. Devolveu o tema ao povo para poder votar. Deliberou que não era tema constitucional e sim político. Ha eleições em breve, basta votar nos candidatos certos. Podem até promover uma emenda constitucional.

    • João L Maio says:

      Onde é que leu que “o tribunal proibiu”? Nem o poderá fazer… os abortos continuarão a ser feitos, com ou sem leis. É facto que, sendo legislado, é bem melhor abortar junto de um profissional de saúde, num estabelecimento de saúde. Mas se tiver de ser num vão de escada, também será.

      Quem perde? A Humanidade. Mas que falta de noção, porque o tribunal não proibiu nada!

    • João L Maio says:

      Não, o tribunal não proibiu nada. O tribunal deu liberdade a cada Estado para poder proibir, se quiser. Mas que falta de noção, nada foi proibido ainda!

      Ou então… o tribunal não proibiu nada… o Alabama, Arkansas, Kentucky, Luisiana, Missuri, Ohio, Oklahoma, Dacota do Sul, Utah e Wisconsin é que já.., graças ao.., tribunal! Mas que falta de noção!

    • POIS! says:

      Pois é, ó Alberto…

      Em primeiro lugar: você já viu o que é necessário para acrescentar uma emenda à Constituição dos EUA? Não deve ser por acaso que, das 27 realizadas desde 1787, as últimas três datam de 1967, 1971 e 1992. E todas sobre assuntos amplamente consensuais!

      Depois: todo aquele que seja obrigado a viver num regime político em que direitos fundamentais dos cidadãos, ainda que sejam minoritários, estejam sujeitos ás flutuações políticas de conjuntura, está frito.

      No limite, o que se prepara depois desta decisão de aquilo a que chamam Tribunal Supremo dos EUA, são leis que, inclusivamente, e na prática, vedarão a determinados cidadãos e, principalmente, cidadãs de um país o direito de residirem em parcelas de território desse Estado.

      • Alberto says:

        O aborto ser um direito fundamental está muito longe de ser consensual. Nao era direito constitucional em nenhum outro pais exceto nos EUA. Assumindo que é um direito é até que prazo da gestação, as 6 semanas do Texas, as 12 semanas portuguesas ou as 24 americanas, ou até aos 9 meses como pedem alguns? O que o tribunal fez foi decidir que nao é um direito constitucional e cada estado decide. Vão a votos e cada estado decide. No meu ponto de vista parece uma solução equilibrada para gerir um tema delicado num país com várias sensibilidades em relação a isso.

        • Paulo Marques says:

          Bom, se querem ir a votos, porque não fazem um referendo a nível nacional? Ou sequer deixar ir a debate no senado? Dava estrondo?
          E, bom, isso aplica-se aos direitos humanos que vêm a seguir, quer os escritos no acordão, como o casamento entre pessoas do mesmo sexo, como os em estado idêntico, como direito a não ser segregado?

        • Paulo Marques says:

          Cada estado decide, ok. E as leis que condenam o que as pessoas façam noutros estados, são o quê?

  2. Alberto says:

    Tem razão, desculpe. Precipitei-me , Cabul e Washington são praticamente iguais.

    • João L Maio says:

      Está enganado. Cabul e Washington são diferentes. Talibãs e Republicanos é que são praticamente iguais.

  3. Joana Quelhas says:

    “Talibãs e Republicanos é que são praticamente iguais.”

    Tudo o que seja menos estado , liberdade e responsabilidade individual. Tudo o que não seja a controlado por um Leviatã é mau.

    Querem melhor que isto para perceberem a mentalidade comuna deste individuo ?

    Joana Quelhas

    • POIS! says:

      Pois, pois, ó Quwellhass!

      Os Talibãs entregam as raparigas aos “anciãos” (e “anciãs” ao seu serviço) para verificarem se ainda são virgens ou estão grávidas.

      Os republicanos do Texas querem que se façam ecografias obrigatórias e públicas nas escolas para evitar que alguém aborte às escondidas.

      Muito diferente! Pelo menos em termos tecnológicos. No Afeganistão: prática medieval. No Texas: forma sofisticada de defender “a vida”.

      PS. Não se podia fazer por aí uma campanha para comprar máquinas de ecografia para os talibãs? Evitaria os enganos da velhada, pelo menos.

    • João L Maio says:

      João Queillas, começa a acumular demasiados atropelos às regras aqui da casa.

      Relembro a política aqui do tasco, para ver se se acalma. Não é com ódio que leva a razão. Aqui: https://aventar.eu/sobre/

      • Joana Quelhas says:

        Tens jeito para cabo da STASI. Tinhas futuro no tempo da PIDE.
        Em Portugal enquanto o BE e PCP não fizerem a revolução vais voando baixinho.

        Joana Quelhas

        • João L Maio says:

          Queillas, não destorça aquilo que tão bem percebeu. Não me parece que o senhor seja daqueles que, quando vai a casa alheia, caga no hall de entrada… isto é, se fosse coerente até o faria, mas certamente não o faz, pois não? Aqui é o mesmo, há regras que são simples de cumprir. E se até o nosso Menos as cumpre, dando simplesmente a sua opinião (por muito asquerosa que seja), o senhor Queillas também é capaz.

          Faça o esforço e seja mais inteligente.

          • Joana Quelhas says:

            Eu que só tenho a 4ª classe e dou também às vezes uns pontapés, diria “distorça”.
            Mas a geração mais preparada de sempre ( passando à frente a redundância) nem escrever sabe, enfim…

            Joana Quelhas

        • João L Maio says:

          Queillas, “distorça”, exacto. Mea-culpa pelo erro.

          Se a sua estratégia, para lá do insulto, da distorção e da manipulação das opiniões alheias, vai ser apontar erros ortográficos a quem se permite a errar… ó homem, certamente sabe melhor do que isto!

          Volto a repetir: é bem-vindo, mas tente manter os mínimos, porque tem pisado a linha nesta casa que é de todos vocês.

        • João L Maio says:

          A Queillas não paga nada por cá vir comentar. Eu não recebo nada por escrever aqui. Tenha ou não a 4.ª classe, que isso não interessa nada para quem tenha ideias e valores.

          Dê a sua opinião, cinja-se a isso é será respeitado. Brincarão consigo na mesma, da mesma forma que o fazem com o seu compincha há anos… mas ele continua cá, porque gosta de cá vir e não é barrado.

          • Joana Quelhas says:

            Aqui alguns dos donos do blog são muito “educados”, mas quando alguém pensa diferente aplicam o tratamento extra de luxe:

            Vê lá se te lembras deste(mero exemplo , pois com paciência e tempo podia pôr aqui muitos mais) , não foi há muito tempo :
            28/01/2022 at 12:42

            “1)Mais uma coisa sobre o Mendes: o Mendes quer que tu te fodas, troll com vários heterónimos, masculinos e femininos. Tu e toda a merda fascista que representas.
            2) Tanta treta para tentar branquear o silêncio cobarde do líder facho. Tanta treta e és outro prostituto ou prostituta (não sei bem, umas vezes assinas com nome de homem, outras com nome de melhor, na volta tens dúvidas existenciais sobre o teu género) da política. Um dia destes ainda descobrimos que tens a mão do veterinário facho enfiada nesse rabo, ó Quelhas. Explicava muita coisa eheheh”.

            Não ofendeu a tua moralidadezinha?

            Olha, sabes que mais , o que te ofende na verdade é o contraditório, a liberdade de falar. Se não fosses assim nunca mas nunca censurarias comentários.

            Joana Quelhas

          • Paulo Marques says:

            Não deviam ter ficado, um ou outro ainda aponto ao autor.
            Agora, vem aqui insultar toda a gente e depois fica ofendida, até com os meios que defende veementemente (o que é que defende para as redes sociais, mesmo?); olhe, chore mais. E depois ganhe noção do que defende para aplicar a todos.

        • João L Maio says:

          Queillas, esta é a casa do Mendes.

          Vamos supor que isto é mesmo uma casa. Eu, o Mendes, o Moreira de Sá, o Nabais, etc, vivemos aqui, é a nossa casa. E, dentro de nossa casa, temos toda a legitimidade para mandar à merda quem entra aqui e nos caga no hall de entrada, que é o seu caso. Por contrário, o Queillas, por não estar em sua casa, nem devia ter cagado no hall logo em primeiro lugar, logo, é normal que depois lhe atirem de volta as fezes que cá deixa.

          Percebeu? Não? Eu a desenhar sou péssimo, por isso oriente-se.

        • João L Maio says:

          E, faltou no comentário último, não me ofende o contraditório. O Queillas pensa como lhe apetecer e balbucia o que lhe apetecer, mas aqui, na nossa casa, não passa tudo, isto não é o Big Brother. Ofende-me o maniqueísmo de quem não sabe passar a sua mensagem sem manipular as mensagens dos outros; o que, mais uma vez, é o seu caso. Não o conheço de lado nenhum e não fui eu quem entrou em sua casa a gritar “o Maio é comuna” ou “o Maio é nazi”. Respeite as regras daqui e será bem-vindo. Sempre.

        • POIS! says:

          Já Vosselência, ó Quwellhasss…

          Nem para cabo de vassoura tem jeito!

    • João L Maio says:

      O Queillas é bem-vindo, porque é bem-vindo quem vier por bem.

      Repare: o jgMenos é desprezível e aqui ninguém gosta do gajo, mas nunca teve um comentário apagado. O João Queillas já vai em dois comentários que não passaram no crivo das regras da casa… e à terceira… veja lá, queremos continuar a tê-lo por cá, mas desta vez tente ser construtivo e inteligente, uma vez que seja.

    • Paulo Marques says:

      Menos estado é… registos de consultas no médico, obtenção de dados privados de aplicações de rastreio da masturbação, e continuo armamento da polícia acima de quase todos os exércitos do mundo? É essa a liberdade e responsabilidade individual?

      • Paulo Marques says:

        Fiquei por aqui, mas não devia. Porque a Joanita insiste que é tudo STASI, mas é o “estado pequeno” que defende, e passou a lei, a “liberdade” de entupir o tribunal com processos de cada membro da família de um qualquer violador para obter 20000$ da perigosa criminosa que não lhe deia prole.
        Ou o outro “pequeno estado” a pagar 10000$ por cada denúncia.
        Ou vários “pequenos estados” a garantir a liberdade dos estados regulando o que não podem fazer nos outros.
        Mas não podia ser de outra forma. Mentir em nome do bem só pode ser virtude, quando nascem a mentir sobre a própria religião, e o relato do criador do próprio livro sagrado. Está-lhes na indocrinação.

  4. POIS! says:

    Pois, mas o Maio não encontrou ainda uma foto com:

    3 Quelhas + 1 Quelhas Masai e 5 supremacistas Quelhas lavadas com OMO.

    Talvez Vosselência pudesse dar uma ajudinha. Veja lá nos seus arquivos o que se consegue arranjar.

    • POIS! says:

      Pois, e só mais uma coisinha, Ó Qwellasss:

      Olhe que, lá por estar enfiada na tiosamerda até ao pescoço, ou mais acima, isso não lhe dá o direito de classificar de nazi alguém só porque não gosta do que escreve! Muito menos o Maio, acrescento.

      Estamos entendidos, ó talibanzinha (*) Quelhas?

      (*) Ou “talibanzinho”. Há quem diga que o género da Quelhas tem dias…

  5. JgMenos says:

    O direito inalienável das mulheres é o direito ao sexo consensual.
    Tal direito não está associado ao dever de procriar.
    Tão pouco está associado ao direito de matar.
    Bastaria que restringissem o direito ao aborto aos casos de violação, e tudo o mais deixassem para a democrática decisão dos Estados para atenuarem toda a histeria progressista… se é que tal histeria é condimento evitável.

    • POIS! says:

      Pois o que dizer?

      Fala um saber de experiência feito!

      Consta que Menos ficou grávido, pelo Menos umas oito vezes. Por isso, tem perfeita autoridade para se pronunciar sobre este candente problema.

      E foi sempre de forma consensual.

      Valha-nos ao Menos isso.

    • Paulo Marques says:

      Bastaria, quem? Qual dos 50 elefantes assinava? Qual dos 50 elefantes vai assinar o casamento interracial, quando for a altura de o reverter? E quantos dos 50 seguintes votava contra nova rescisão?
      Escusa de dizer, sabe-se que é treta. Basta olhar mais para baixo, onde o amigo do Menos está em profundo pranto por uma miúda de 11 anos não ser obrigada a ter o filho do violador, ficando a legião “anti-identitária” em suporte do violador. Há que defender os seus, afinal de contas.

      • JgMenos says:

        Incapaz de formular um argumento autónomo andas aos bordos dos sim ou não a este e aquele, e na falta de mais, inventas opiniões para os outros, treteiro!

        • Paulo Marques says:

          Não responde, como sempre.

          • JgMenos says:

            Havia uma pergunta?

          • Paulo Marques says:

            Bastaria a quais dos senadores republicanos? Sendo que pelo menos 10 dos 50, ou que os outros aceitem não fazer filibuster.
            Chene, Collins, Romney, e Murkowski, com muita, muita, muita sorte? E o resto?

        • C Almeida says:

          Estas muito progressista, neonazi.
          O teu padrinho botas, nem a ideia era discutível.

          Estas em boa companhia, os talibans pensam como tu

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.