Mascarilhas

A Iniciativa Liberal também é isto. Mais não se poderia esperar de um sub-partido do PSD, tal como o é o proto-fascista Chega.

Contexto: no âmbito do Roteiro Climático, o Bloco de Esquerda esteve em Odemira, onde reuniu e ouviu as queixas dos trabalhadores imigrantes das estufas de agricultura intensiva que pululam em Odemira. Mostrou-se solidário com os imigrantes e disposto a não deixar cair o tema. O Bloco de Esquerda não fez um comício, reuniu com associações e trabalhadores das estufas em Odemira. Acontece que a maioria desses trabalhadores é originário do Paquistão ou do Bangladesh.

João Caetano Dias é membro da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal. Não é, portanto, um mero militante de base ou um simples eleitor do partido. É alguém com grandes responsabilidades naquilo que é a acção do mesmo. Um partido que se diz liberal, que gosta de poluir as avenidas com outdoors populistas onde até o Brasil de Bolsonaro é socialista, que tanto prega a liberdade e tanto quer fazer parte das marchas disto e daquilo, começa a exagerar nas opiniões racistas, xenófobas ou homofóbicas, mascarando-as como “piadas” que mais não são do que a caixa de ressonância do seu próprio pensamento.

Por um lado, começam a mostrar realmente o que são, o que não é mau, porque há uns quantos enganados que começarão a abrir os olhos. Por outro, é já evidente que a IL é tudo menos liberal (no máximo, é neo-liberal) e são atitudes e “piadolas” como esta que demonstram de que lado estão, de facto.

É uma pena. Pois apesar de ser contrário à ideologia em que me revejo, a IL tinha tudo para acrescentar no panorama político português. E assim parecia encaminhar-se… agora, mostram que não são mais do que um PSD 2.0. A IL é contra os impostos… mas se a estupidez pagasse imposto, a IL seria estropiada.

Comments

  1. POIS! says:

    Ora bem, quem é este?

    Será o “e-business inteligence manager,” o “banking specialist”, o “sales manager”, o “operational controller” ou o “marketeer”?

    Olha! Simplesmente gestor! Que falta de categoria!

    É fraquinho! Cá p’ra mim é o distribuidor de taças de mirtilos e framboesas lá nas reuniões da IL.

  2. Luís Lavoura says:

    Estou de acordo que a piadola do jcd é despropositada e de fraco gosto.
    Porém não vejo que ela seja xenófoba nem racista nem, claro, homofóbica.
    Falar de “paquistaneses” não é nada disso. Em relatos de futebol ouve-se muitas vezes dizer “o iraniano” ou “o japonês”, e isso também não é racista nem xenófobo.
    Portanto, acho que o João L. Maio tem razão em acusar jcd de fraco gosto. Mas não tem razão em acusar a Iniciativa Liberal de nada.

  3. Luís Lavoura says:

    Um partido que se diz liberal […] gosta de poluir as avenidas com outdoors populistas

    O João L. Maio pode com proveito comparar a Iniciativa Liberal, que tem cerca de quatro anos de idade, com o Bloco de Esquerda quando tinha essa mesma idade. Exibem algumas similitudes, nomeadamente na forma como se procura(ra)m afirmar através de propaganda original e engraçada, a qual por vezes parece roçar o populismo.

    Há porém diferenças, e a diferença mais notória é que a Iniciativa Liberal não é, de todo, populista, enquanto que o Bloco de Esquerda, nesse tempo, o era de forma deveras clara. Leia o João L. Maio um livro recentemente publicado de João Pedro Zúquete sobre o populismo em Portugal – o qual tem longa história, tanto à esquerda como à direita como fora delas – e vê lá aparecer, de forma muito clara, de que forma o Bloco de Esquerda, foi, em tempos, um partido populista. Coisa que a Iniciativa Liberal não é.

    • João L Maio says:

      Mantenho: populismo.

    • POIS! says:

      Pois, o quê?

      A IL não é populista? Não???

      Então vender cortes radicais nos impostos e misturar com reivindicações de financiamento e aumentos nos serviços públicos (*) não é “populismo”? É o quê?

      E meter na gaveta a proposta deste senhor João Caetano Dias de um curso universitário de licenciatura passar a custar 7 mil euros por ano, a financiar por empréstimos? Não é “populismo”? É o quê?

      (*) Por agora! Depois são para privatizar! Uns para darem lucro aos privados, os outros para o Estado os sustentar, o que vai dar ao mesmo. Não é “populismo”? É o quê?

    • Paulo Marques says:

      Não, não, os slides copiados da PragerU são baseados em estudos muito profundos que não reduzem tudo a um número que nada diz. É gente séria, caramba!
      Isso e espalharem o medo dos Outros do costume.

  4. JgMenos says:

    Tem o Bloco toda a minha compreensão.
    Os explorados nacionais já estão muito acomodados no orçamento e nas leis e é preciso ir buscar gente que tenha que pagar viagens de meio-mundo para sair dos pardieiros em que viviam, subsistirem em terra estranha e alimentarem as famílias lá na sua terra.
    Toda a ideia de salvação é boa para quem está na merda, e ao Bloco a Palavra da Salvação é tudo que lhe resta no cardápio depois de seis anos a participar em que nada se fizesse de útil.

  5. Paulo Marques says:

    Não é racismo, estão só mal habituados a quem pagam e mentem para ir ao deles, e não percebem porquê perder tempo com quem tem pouco para financiar os caciques.

  6. Anonimo says:

    Outdoors populistas e piadas sem graça também são apropriação cultural?
    Microagressao ao Bloco.

    • João L Maio says:

      Apropriação cultural? O que é isso, num mundo tão global? Não andamos todos a gente apropriar uns dos outros?

      Não, é só estupidez, mesmo.

    • Paulo Marques says:

      O Bloco é um partido, não é uma etnia.
      E, por favor, roubem isso à vontade para fazer figuras ainda mais tristes.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.