A pura incompetência dos agentes da Alfândega de Lisboa

alfandega-de-lisboa

Tenho desde o passado dia 7 de Fevereiro um envio (despachado da Rússia a 24 de Janeiro) um artigo enviado da Rússia que corresponde a uma caixa de uma colecção de cartas de jogadores de futebol que não é comercializada no nosso país. O artigo em causa deve ser doravante tratado por envio e não por encomenda, visto que a troca realizada envolveu um envio gratuito de um produto semelhante à pessoa com quem troquei no dia 25 de Janeiro. Curiosamente, mesmo apesar dos correios russos demorarem em média 2 dias a desalfandegarem envios considerados como “importações”, resolvemos, eu e o meu parceiro russo, escrever uma nota na encomenda “free of commercial value. exchange” para assim explicarmos aos agentes alfandegários dos dois países que não existiam quaisquer valor comerciais envolvidos. Apesar dos correios russos serem, como não seria de esperar, lentos, pela imensidão do território e do número de habitantes que tem que satisfazer, a alfândega moscovita demora por norma 2 dias a analisar as importações, e os correios russos demoram por 4 dias a fazer chegar correspondência ou envios de Moscovo a Khimki. Para um destino longínquo nos confins da Federação, a coisa pode levar meses, Portanto, o meu envio já chegou no dia 4 de Fevereiro ao destinatário

[Read more…]

Ser Comido

Acabo de estar 16 minutos e 31 segundos ao telefone [707 206 707] com uma assistente do CAT, Centro de Atendimento Telefónico da Autoridade Tributária e Aduaneira. Não souberam ajudar-me, embora sob extrema, engonhante e solícita simpatia.

Não era urgente. Não era um novo caso de vida ou de pagar até à morte, pois desses já me sobejam e estão em andamento até à minha velhice, se a tiver. Era por uma coisa de nada, lhana e simples informação. O problema é que no fim fui comido em 5 euros e 8 cêntimos à conta da converseta para lado nenhum. Ingenuidade minha.

Fica o aviso. Eles são as aranhas. Nós as moscas.

Núncio Atafulha Cu de Viegas

Paulo Núncio Mangalho Fiscal… com o facto de 2,7 milhões de contribuintes terem indicado o respectivo NIF nas facturas comunicadas à Autoridade Tributária e Aduaneira, pouco preocupados com o aval da Comissão Nacional de Protecção de Dados. Coube ainda, no apertado recinto do Francisco, a introdução do mangalho adicional: 300 mil consumidores finais que já inseriram voluntariamente as facturas no portal e-fatura.

O acto metafórico-sexual, bastante civilizado, por sinal, foi exercido esta manhã, durante a audição da equipa governamental do Ministério das Finanças na Comissão Parlamentar Ordinária de Orçamento, Finanças e Administração Pública. Civilidade é cumprir deveres. Nunca se saberá até que ponto a ‘delação’ fiscal dos Povos do Norte, tão tardiamente aplicada nesta republiqueta de bananas, poderá salvar vidas e impedir suicídios.

Para que o metafórico cu de Viegas não tome hiperbolicamente no respectivo em vão [nem mande tomar!], Núncio explicou ainda que só do sector da restauração já estão inscritas mais de 11,6 milhões de facturas, logo no primeiro mês.

Este volte-face só vem provar que quem com o cu mata, com o cu morre e assim sucessivamente. [Read more…]