Rodrigo Moita de Deus é paneleiro

Como justifico a acusação deste título? ouvi dizer. Circula numa rede social.

É baixo? é. Tão baixo como publicar uma montagem de uma intervenção de Pablo Iglesias, onde caricatura o esquerdismo puro e duro, transformando a caricatura em afirmação, e fujam, a justiça proletária está de volta à península.

Mais baixo ainda: ser avisado na caixa de comentário e assobiar para o lado. Já não é só de paneleiro, é de paneleiro cobardolas. Não se fazem marialvas como antigamente.

Funeral por funeral

Rodrigo Moita de Deus para os Prazeres. Não precisa de ser já.

Blasfémias

blasfemias

Após Rui Albuquerque ter publicado isto no Blasfémias, o conhecido blogue do chamado neoliberalismo português ficou assim:

blasfemias 2Sim, fomos nós. Neo-esquerdista, o Aventar? para a próxima apagamos a base de dados. Haja respeito.

Delírios semânticos

Agora os impostos sobre o trabalho chamam-se “propriedade privada e lucro“. Quando não conseguem mudar a realidade apostam na novinlíngua.

Jesus no Calvário

agora que ajoelhou vai ter de rezar.

Dia do mentiroso liberal

não há desempregados do público.

escreve Vítor Cunha.

Professores, enfermeiros e até militares, nunca foram contratados nem nunca existiram.

O bode respiratório

Para um governo atacado de apneia e amnésia.

Subir na cadeia alimentar

a integridade física de um porco pode valer mais de 4.000€. Isto é, quatro vezes mais do que a de um arrumador e duas vezes mais do que a de uma mulher.

A ler, as contas do Rui Rocha.

Medina Carreira explicado aos infantes

Pelo Tiago Santos.

Couratos, 1982

nenhuma sociedade democrática se pode manter se tiver como único horizonte a austeridade

Eanes.

Os Pândegos – sobre a carta de Soares e outros a Passos Coelho

No Real Gana encontrei um dos melhores textos sobre esta carta assinada por um punhado de pândegos. A não perder.

O caso do encontro roubado

No dia 18 de Julho deste ano de desgraças a Margarida, que gosta de se chamar Moriae, contou-me que estava a organizar um encontro de blogues da educação e pediu-me ajuda.  A ideia era fazê-lo em Coimbra, parece que ainda somos a aldeia entre Lisboa e Porto. O Paulo Guinote e o Arlindo Ferreira já tinham concordado, e naturalmente respondi que sim. Sei por experiência feita como as pessoas que publicam  e comentam só ganham quando se conhecem pessoalmente.

Deparo-me agora com isto: um encontro gamado (enfim, a minha ideia era menos formal, mas os profes gostam muito do Portugal Sentado), a realizar nas Caldas da Rainha , terra que muito prezo até porque lá vivi mas que não fica bem no centro real e marca muitas distâncias, chama-se o evento A Blogosfera e a Discussão das Políticas Educativas em Portugal. [Read more…]