É o delírio

Afinal este relatório do FMI foi emendado pelo governo.

Todos os carteiristas sabem usar a mão

Relatório do FMI teve “mão” do Governo

 

 

Uma nota para Moedas

Santana Castilho *

Como estaria a educação nacional se tivéssemos um curriculum coerente, de alto a baixo? E se o modelo de gestão das escolas atraísse os melhores? Que teria acontecido se a política educativa privilegiasse a cooperação, que une, em detrimento da competição, que divide? E se os professores fossem respeitados, que não vilipendiados? O exercício dicotómico que esbocei prolongar-se-ia longamente, opondo o que é ao que poderia ser. Mas porque não aconteceu cada metade de cada pergunta, os putativos resultados permanecerão no campo da dialéctica. Diferente é o que está apurado e passou a factual. É por isso que o relatório do FMI está mal feito. Nesta crónica, que é uma nota para Moedas, apontarei alguns dos muitos erros que tornam mau aquilo que Moedas diz que é bom. E porque nem eles, técnicos, nem ele, político, podem ignorar a verdade, concluirei dizendo que uns e outro foram desonestos. Eles, intelectualmente. Ele, politicamente.

Diz o relatório, a abrir (p.58), que o sistema de educação em Portugal perde por comparação com os demais países da Europa, no que toca à relação entre os custos, por referência ao PIB, e os resultados. O relatório diz que gastámos, em 2010, 6,2 por cento do PIB. Está errado. Gastámos cinco, inferior à média da UE. Mas, porquê 2010? Depois de tanta avaliação e tantas missões, estes mafarricos não conhecem o valor actual, que se cifrará por volta dos 3,8 por cento? A afirmação é falsa e particularmente grave, por coexistir com a recente divulgação dos resultados de dois dos mais credíveis instrumentos de notação dos sistemas de educação: o TIMMS (Trends in International Mathematics and Science Study) e o PIRLS (Progress in International Reading Literacy Study). Como, aliás, referi no meu último artigo, Portugal foi o país que mais progrediu no ensino da Matemática e o segundo que melhores resultados obteve no que toca às ciências. Que mundo observam estes peritos? Linhas à frente, afirmam que nos dois últimos anos o Governo melhorou a avaliação dos professores. Saberão que nesse tempo a coisa não mexeu, simplesmente hibernou? [Read more…]

FMI: cada cavadela, três minhocas

Mais erros de palmatória no relatório.

Tradução do relatório do FMI no Parlamento Europeu

O eurodeputado Rui Tavares recorreu, ontem, à tradução do relatório do FMI patrocinada pelo Aventar e teve, ainda, a simpatia de agradecer no facebook.

Este facto é, decerto, motivo de orgulho para toda a comunidade que participou nesta obra colectiva, um verdadeiro monumento ao exercício da cidadania.

Em nome de todos, o Aventar agradece a Rui Tavares ter dado ainda mais sentido a esta tradução.

Para verem que não estamos aqui para enganar ninguém, aí ficam as provas.

rui tavares

Relatório do FMI traduzido em português – rascunho

Trabalho concluído

Pode consultar aqui a versão final da tradução do Relatório do FMI.

A seguir o post original a apresentar o primeiro rascunho da tradução:

relatorio fmi capaApresentamos um primeiro rascunho da tradução em português do documento Repensando o estado – opções selectivas de reforma da despesa, vulgo Relatório do FMI (Clique para descarregar em formato pdf)

Foi utilizada a seguinte metodologia:

  • O texto original foi dividido em parágrafos numerados e publicados às 11h 43 de 11-01-2013
  • Solicitaram-se voluntários para a tradução, parágrafo a parágrafo do texto.
  • Colaboraram: Bruno Rego, Carla Alexandra Neves Simões, Carolina, Elisabete Figueiredo, Fausto Simões, Isabel G , Joana Lopes , João Bernardino , Jorge F , Jorge F, Leitor Costumeiro, Leonor, Manuel Marques, Marilia Costa, Marisa M., Miguel Conceição, Miguel Conceição, Miguel Conceição, NG, Noémia Pinto, Nuno Rumo, Paisano, Pedro Barbosa, Pedro Figueiredo, Renato Rodrigues, Rosa Alves , Rosa Melo, Sandra Guerreiro, Sarah Adamopoulos , Sónia Ariana Dias, Sunisbliss, Susana Fernandes , sxp030, tiago lemos Peixoto, Vasco Macedo (e provavelmente outros, a quem pedimos desculpa)

Deixamos os nossos agradecimentos a todos os que colaboraram nesta lição de cidadania, patente na disponibilidade de tantos para, num prazo curto e com uma surpreendente qualidade geral, traduzir o presente documento. Trata-se de uma acção de participação cívica inédita em Portugal, que reflecte de forma eloquente a vontade dos portugueses em participar na vida do País e nos grandes debates que este relatório encerra. [Read more…]

Exercício de cidadania

Desconfio que nem 24h vão ser precisas para termos o relatório do FMI traduzido. Obrigado.

Relatório do FMI: tradução colaborativa

relatorio fmi capa

Trabalho concluído

Nos últimos dias, a opinião pública foi confrontada com a existência de um relatório elaborado por técnicos da FMI. Esse mesmo relatório poderá vir a servir de base a muitas decisões governamentais que terão implicações na vida dos portugueses. Indepententemente de se concordar com o seu conteúdo, é inaceitável que a única versão disponível esteja em inglês.

Para que todos os cidadãos possam aceder directamente ao conteúdo do relatório, o Aventar, tal como já havia feito com o Memorando da Troika, disponibiliza este espaço cívico e blogosférico, a fim de que os interessados possam contribuir para uma tradução abolutamente necessária. Se muitos traduzirem um pouco, será fácil.

Pode consultar aqui a versão final da tradução do Relatório do FMI.

A seguir mantemos o trabalho original de tradução, não revisto. Por favor consulte a versão final na ligação acima.

[Read more…]

O Ultimatum de 2013

Ou isto, Relatório do FMI (pdf), ou raptam o Gaspar e o Coelho. Eu já decidi. Metam-nos numa masmorra húmida.