Loto Azul

Chegou o Senhor JinTao e não veio exactamente de junco. Saindo de um aparelho de tecnologia ocidental de marca a ser futuramente  construída sob licença no Império do Meio, trás aquilo que noutros tempos, só um jade da boa sorte poderia significar.

Pelo que se faz crer, vem comprar a dívida portuguesa, ou pelo menos, uma parte dela.  Em troca – é esta a base dos tratados que contrariam os acordos de canhoneira -, deverá receber uma concessão no porto de Sines. Nada de estranho, pois o Aventar já o tinha dito.

Garantimos apenas, não ter escutado o “aventar” da hipótese através de qualquer assessor de serviço. É a simples lógica das coisas que dispensa perfeitamente um discreto jarrão de porcelana.

Deixar uma resposta