O desemprego visto pelo jotinha

De toda a estupidez, servilidade e desonestidade que poluem violentamente a quase totalidade da nossa Assembleia da República, nada me irrita mais do que os jotinhas pró-austeridade que fazem o papel de caixinha patética de ressonância dos patrões dos seus patrões. Irrita-me porque são jovens, irrita-me porque acham que falam em nome dos jovens e irrita-me sobretudo porque são a prova de que a classe política insiste na incapacidade de se renovar e continua a produzir lixo, carreiristas e lambedores de botas à custa do erário público. Estranho conceito de mérito.

Dei com o chefe das camadas jovens laranjas, um rapaz caro de manter num pais sem dinheiro para pagar salários, a falar sobre o desemprego em Portugal. Ver um jotinha, principalmente um que exerce funções de deputado, a falar sobre desemprego, causa-me sempre alguma confusão. Fica no ar a sensação de não saber muito bem do que está a falar. Não só porque nunca esteve desempregado, mas principalmente porque joga num campeonato diferente no que toca ao acesso ao emprego, já que fez a sua carreira nos corredores da jota, serviu as pessoas certas e agora é mais um deputado sem experiência nenhuma para o ser apenas e só porque a meia-dúzia que manda no PSD o escolheu para o lote de “seleccionáveis” no qual os partidos políticos nos permitem votar.

Estarei a ser injusto? Se calhar estou. Confesso que ver os jotinhas na reserva a dar cabo deste país com o jotinha cor-de-rosa do outro lado da trincheira a brincar à oposição é capaz de me toldar um bocado o juízo. A minha paciência é cada vez mais limitada quando estão em causa aldrabões, hipócritas, corruptos e monstruosidades similares.

Mas se calhar este jotinha é dos bons! Senão vejamos: ele faz parte da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias e, se há coisa que podemos ter a certeza, é que nada está tão protegido neste país como a Constituição, os nossos Direitos, as nossas Liberdade e as nossas Garantias. Pelo menos no caso do Hugo. Podemos também encontra-lo na Comissão de Educação, Ciência e Cultura, áreas que, como bem sabemos, têm sido amplamente apoiadas e dinamizadas pelo governo em funções. Onde mais podemos encontrar o nosso deputado? Nem mais nem menos do que na Comissão Parlamentar de Inquérito à Celebração de Contratos de Gestão de Risco Financeiro por Empresas do Sector Público, outra que, para além de ter dado imensos frutos, tem sido uma excelente plataforma para o acto de mentir compulsivamente que tanto caracteriza este governo. E, para fechar o imenso rol de distintas funções com chave de ouro, aquela que considero ser a prova inquestionável do exímio trabalho que o Hugo está a fazer na AR: o jovem deputado é coordenador Grupo de Trabalho – Acompanhamento da Aplicação das Medidas Políticas e Legislativas de Combate à Corrupção. Se há coisa que tem funcionado neste país é o combate à corrupção. Apanham os gajos todos, não escapa um! Grande trabalho Hugo Soares, tu e o teu grupo de trabalho estão mesmo de parabéns!

Depois é vê-lo a falar do desemprego como se a situação estivesse mesmo a evoluir no sentido positivo. O jotinha critica a oposição, com o foco no ex-jotinha Seguro, afirmando que acha “absolutamente inacreditável que qualquer partido da oposição, mas designadamente o Partido Socialista, num momento em que nós conhecemos dados tão bons e tão importantes relativamente à criação de emprego, continue a ter um discurso tão anti-patriótico.”. Anti-patriótico é usar o patriotismo para enganar a Pátria Hugo. E nem precisamos de estar para aqui com grandes teorias, o Arménio Carlos explicou de forma simples como se desmonta mais uma mentira governamental: empregos sazonais e aumento da emigração.

Se a emigração continuar a aumentar brutalmente, o desemprego vai continuar a diminuir em todas as variáveis comparativas manhosas que tu e os teus compinchas usam para atirar areia para os olhos dos portugueses. É esperar mais uns dez ou quinze anitos e já devemos estar abaixo dos 10% de desemprego e dos 9 milhões de habitantes. Seremos um agradável e falido país de velhos.

Quem queres enganar tu Hugo Soares? Pensas que estás a fazer de parvos os putos da tua concelhia?

Comments


  1. como é q é isso de “48 mil portugueses encontraram emprego”?


  2. FRENTE PRODUTIVA DEMOCRÁTICA.
    Todas as escolas dos partidos, geraram até hoje uma geração imatura, mas que aprenderam como se encanta desde que levem a deles avante, eles revesam-se, e respeitam-se, mas não têm maturidade, viveram de favores e nestes anos na verdade foram os favores feitos que os levaram ao poder.
    Os Políticos desde que entraram os fundos da comunidade europeia tornaram-se fracos e não procuraram ver que o que se produz de verdade é que leva o país para a frente, não preocuraram-se em criar mordomias para eles, e o resto que se safasse, pois o objetivo é que os político estivessem garantido, não interessa pelo que princípios fossem. Os políticos são como os gandulos da rua, que achavam que os outros que trabalham dedicados e se esmeravam eram os tansos, portanto eles tinham que se safar à custa deles, esqueceram-se que em democracia todos fazem parte de uma máquina produtiva, e que antes de se dar uma compensação diferentes, tem que exisitir uma razão fundamentada, então gerou-se uma geração de gandulos políticos apenas com uma diferença, o gandulo da rua caso falhasse ainda estava sujeito a pagá-las, mas estes meminos não, estão sempre amparados, podem fazer as asneira que quiserem, é o que as escolinhas dos partidos lhes ensinam, e assim o país foi ao charco. O que lhes interessa desemprego ou não, pois em vez de dizerem e integrarem-se na sociedade, e alertar que temos que ter um ensino de verdade e a exemplo do calçado português, não ser necessário emigrar mas viajar e não largar o nosso lindo Portugal.
    O pior ainda esta para vir Senhores funcionários públicos. O Objectio é que muitos poucos funcionários públicos ganhem um salário acima dos 1000 euros. Na verdade é fácil diminuir a despesa pública, é fácil governar. Obrigado, é à gandulo

    PARA SE MUDAR A MENTALIDADE, SÓ ASSIM.
    POR ONDE COMEÇA A REFORMA DO ESTADO
    O NOVO ATO IMPRESSINDIVEL PARA UMA REFORMA AVANÇAR NO RUMO CERTO

    O verdadeiro princípio, o verdadeiro exemplo começa pelos políticos, pelos governantes.
    A primeira alteração e reforma do Estado, consiste na idade para atingir a aposentação.
    Um político começa logo a atingir a reforma com a idade igual às dos outros cidadãos.
    Razão:
    Nós os portugueses devemos ser o exemplo, como portugueses dos cravos, da liberdade, da democracia, dos portugueses contra ditaduras e colonialismos, e da consciência e sensibilidade humana, , antes que sejam outros países a arrancar, devemos ter em conta o seguinte:
    Numa sociedade democrática e produtiva, com mentalidade produtiva, não devem existir privilégios em relação aos anos de trabalho, de produtividade, salvo casos devidamente justificados e fundamentados para se atingir a idade da reforma mais cedo.
    Numa democracia dos cravos, e mentalidade produtiva, dado que a produção é necessária para que todas as pessoas se sintam felizes, não haverá diferenças sem as difenças devidamente justificadas e fundamentadas para que atinjam a idade da reforma e recebam uma pensão mais cedo. Porque afinal todos produzem, até os políticos.
    Quanto ao desgaste do nosso corpo deve ser respeitado de igual para igual.
    Ora constatemos a insensibilidade dos nossos governantes:
    Um político atingiu a idade da reforma com tempo de produção inferior a 12 anos, sem mazelas físicas e psicológicas, e uma mãe de mais de dois filhos, com mais de 30 anos de produção, com mais de 50 anos de idade, com mazelas físicas, com artroses já profundas, que não justificam perante os médicos a reforma, mas que são dolorosas e penosas, a trabalhar ao cronómetro numa fábrica multinacional, e não pode ir para a reforma, isto é impiedoso numa altura em que a ciência a formação das pessoas é avançada.
    Mas os políticos são impedosos, e fazem a diferença, então não acabou a monarquia para acabarmos com as diferenças improdutivas que justificavam as diferenças dos demais.

    Proposta a ser ponderada e como objectivo principal e primordial:

    A idade da reforma para o político é igual aos demais.

    Um ministro que acabasse o seu mandato, para que tivesse uma protecção e não ficando ao abandono pelo Estado, caso pretendesse continuava na assembleia da republica a trabalhar, a produzir com pareceres embora não vinculativos, ou mesmo inserido nos partidos, com um salário inferior ao minstro em funções. Continuava a trabalhar, a produzir para chegar à idade da reforma e existir sustento para a manter a sua refroma inalterável.
    Caso saísse deixava de ganhar, caso pertendesse entrar novamente poderia, assim não ficava desprotegido.
    Assim de certeza que se iriam preocupar de verdade e empenhar-se esmeradamente na evolução do país para que quando atingissem a idade da reforma o país a podesse sustentar. De certeza que assim o país não chegava ao estado que chegou.
    Enquanto estava na assembleia da república, estava a trabalhar embora sem pareceres vinculativos, mas contribuíam para o país.

    Nunca fizaram nada que não um futuro ruinoso, insensíveis quanto às reformas, os ovos de ouro estão nas reformas cedo.
    Não está certo saírem novos, como os Senhores Guterres, Mira Amaral, Socrates, Marques Mendes, e muitos outros, e depois voltam às televisões a dar opiniões cheios de folgo e sem preocupações, até escrevem livros e assumem as culpas do estado do país, desculpando mas cantam que nem canários, pois estão folgados e com a pensão garantida, o mesmo como painço para os canários.

    É uma insensibilidade a Srª Presidente da Assembleia da República , Assunção Esteves, tão nova e com uma reforma que nem mulheres com mais de dois filhos e mais de 30 anos de produção a conómetro no duro, cheias de maselas, isto é impiedoso. Mas essa senhora tem um falar tão doce, mas porque é privigilida em relação aos demais, pois como política é uma produtora como as outras, pode sim usufruir de uma vencimento superior dada a responsabilidade pesar, mas quanto aos anos de trabalho, de produção é igual às outras mulheres, isto é um ato insensível, e gandulo.
    Numa sociedade democrática, todos produzem, todos, portanto, salvo devidamente justificado e fundamentado em certas profissões as pessoas poderão se reformar mais cedo, mas não os políticos, pois já têm uma idade avançada e disputam-se pelo poder.
    Um ato gandulo, ardiloso, há políticos que recebiam às três pensões fossem qual fosse, a chamada pensão de integração, pois uma vergonha, dando a sensação que ressuscitavam três vezes, uma vergonha.

    Afinal o corpo deles é constituído por outra matéria?

    Para exisitir uma mentalidade produtiva sustentada o político atinge a idade da reforma como os demais.

    Sugestão:
    Os políticos não deverão saír após 5 mandatos, mas sim partir do quinto mandato caso não aumente o número de votos em relação ao resultado do mandato anterior, assim teria que produzir mais para sentir o que é a verdadeira competitividade.

    Desculpem-me por intruduzir um comentário alargado e como complemento desta peça e até da expressão um pouco mal estruturada, mas o tempo de que disponho é pouquíssimo, mas o mais importante é a colaboração entre a comunicade para o bem da mesma:
    Sem dúvida que este tipo de iniciativa privada é cobarde, são um tipo de empreendedores de inciativa e inovação admiráveis lá no seu nicho de parasitas fracos. Não sei onde encontram tantos parolos para conseguirem o que querem, mas a explicação a seguir é abrangente, pois para pessoas com um conhecimento lucido e consolidado eles não passam de fracos concorrentes na privada, pois este tipo de iniciativa privada, que se aproveita do Estado dos apoios de um Estado solcialista, comunista e economia de mercado, para conseguirem apoios do Estado, quando uma pessoa de iniciativa privada de verdade cria riqueza, gera impostos, em suma, traduz-se num resultado lucrativo para o Estado, mas não são os mendigos, os gandulos, que enriquecem à custa do que recebem do Estado, então julgam que as pessoas estão iludidas ou que não se apercebem que são não uns homens de iniciativa privada própria e admirável, são uns ardilas de fraca rés que longo tempo caírão na desgraça quando concorrerem com pessoas da iniativa privada de bons e estruturados princípios criativos próprios e inovadores, que captam a atenção de clientes pelo seu processo inovador.
    São mesmo uma corja perigosa, fraca, e então ainda pra mais membros do governo que permitem e até estão integrados nestas ditas iniciativas privadas de mérito. Alguma destas escolas cativaram alunos estrangeiros, pois aproveitam-se das fragilidade de um povo que mal ganha para se autossutentar dignamente.
    Este tipo de pessoas são fracas e têm cobardes, são uns gandulos dotos alegadamente protegidos, são mais amparados que os próprios funcionários do Estado, isto é uma miséria, quando um conjunto de pessoas ricas que se aproveitam dos apoios do Estado mais que o ensino do Estado.São estes dissimulados de privados qeu descontam impostos por um lado mas vão a titulo malabarista busca-los por outros da forma mais sórdida.


  3. E o pior não é sustentar burros a pão de ló.
    O pior é que muitos desses jotinhas evoluem no aparelho partidário e lá para os 30 e tal anos são colocados em lugares onde podem causar muitos estragos. Estragos que nem sempre são consequência direta do seu desconhecimento da máquina do Estado. Se às vezes os estragos são causados por estupidez natural, outras vezes incapacita-se um serviço para que logo a seguir essa função seja cedida a uma entidade privada, com manifesto prejuízo para os utentes e para os contribuintes. E para trás, ficam milhares de funcionários sem trabalho e infra estruturas a apodrecer ou vendidas por tuta e meia.
    E o nosso jotinha, acabado o serviço, terá sempre um lugar na administração desses privados que vampirizam o Estado.
    E o que mais chateia é ver o discurso dessa gente, sempre a deitar abaixo a Administração Pública, mas vivendo sempre à volta do Estado e das suas benesses.


  4. A primeira alteração e reforma do Estado, consiste na idade para atingir a aposentação.- E PERGUNTO EU qual a idade que acha certa ?? quer que eu trabalhe mais para si e os seus ?? E você o que faz e há quanto tempo ?? – Com essas ideias também não anda muito informado sobre muita coisa e nem contas sabe fazer nem propostas mesmo Saem coisas da boca que já ouviu a alguém – Não tem ideias próprias ?? mesmo loucas ??


  5. Parece que não estou a ver bem que sociedade criamos = O dirigente sindical mostra grande alegria porque quase tudo parou. Não está contente porque os trabalhadores trabalharam e produziram bem, está contente porque não produziram nada;não ganharam nada; o patrao aquele terrivel explorador que só quer o mal dos trabalhadores; um momento mas as empresas onde se fazem greves são só as nacionalizadas portanto quem foi prejudicado fomos nós todos; não interessa a luta heroica dos trabalhadores contra a exploração capitalista não para perante ninharias. Vamos todos para a greve e que se lixa a troika os patroes exploradores(nós proprios) e quem quizer comer que vá para a sopa dos pobres. Estranha sociedade que os nossos heroicos sindicalistas ajudaram a moldar!! De vitoria em vitoria até a derrota final. A Alemanha não pode ser tão produtiva, tem que reduzir o rendimento ou aumentar os salarios, mas nós reduzimos o rendimento e o salario; mas é que nós somos espertos e lutadores pelas liberdades estilo 1917)


  6. Estes jotas não prestam para nada . Já vêm viciados para a
    Política . Metem-me nojo .

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.