Os contributos do Pires para o projecto do nosso empobrecimento

Sim, eu sei, ele é o ministro da economia Pires de Lima. Todavia, por gozo, prefiro tratá-lo por Pires. O homem já andou pelos sumos (Compal), derivou para as cervejas (Unicer) e deste último passo vem-me à memória a frase: “Sai um fino e um pires de tremoços!”. De resto, consta, nos bastidores da política, que foi assim que, bem-humorado, o amigo Portas o convidou para o governo.

‘Com toda a cagança e com toda a pujança’, mote académico vulgar na Católica lisboeta onde estudou, o Pires veio por aí abaixo para, enfunado por poder místico, fazer a magia do ‘milagre económico’. E o efeito do feitiço aí está na economia e nas condições de vida do povo, como demonstram provas abundantes: todos os dias são penhorados 125.000 euros de pensões de idosos, que, na qualidade de fiadores, têm de liquidar as dívidas de filhos e netos desempregados e sem meios próprios para o fazer’.

O Pires é um sábio. Teve aquele deslize do programa cautelar em Londres, mas isso agora é para esquecer. O relevante é cumprir a regra de, quotidianamente e pelo menos um ministro, pressionar o Tribunal Constitucional com o aviso da desgraça nacional, e de que o Plano ‘B’ do governo não existe, caso os juízes deliberem a inconstitucionalidade de leis de resultados socioeconómicos (iníquos), incluindo obviamente a Lei do OGE 2014.

 – O que é que os credores nos vão fazer? A nós que sempre fomos o ‘me too’ da Irlanda que, com uma dívida um pouco mais baixa (125,7% do PIB face aos nossos 131,3%), paga à volta de 3,5% de juros a 10 anos e os pobres portugueses suportam acima dos 6% para idêntico prazo; e ainda prescindem do programa cautelar, os safados! – desabafa cada um dos ministros de si para si.

No cumprimento da incumbência do “tiro” ao TC, o preclaro Pires adverte:

reduzir a despesa pública não é substituível por qualquer aumento de impostos

O tipo de despesa não é explicitado, ignorando-se se está em causa a compra de submarinos, fragatas ou outros equipamentos flutuantes.

Atrevemo-nos, todavia, a apostar tratar-se do corte de cerca de 10% nas pensões da CGA acima de 600 euros, cujo diploma o PR remeteu para o TC.

Na argumentação do Pires, o dogmático sábio, considera que reduzir o poder de compra de consumidores sob a designação de ‘corte’ ou imposto sobre as reformas é uma medida indiferente para o desempenho económico.

Cobrar taxas sobre as PPP, telecomunicações e grupos da distribuição moderna é que nem pensar! Há que proteger o interesse dos privilegiados e cumprir à risca o objectivo neoliberal de empobrecimento dos cidadãos comuns.

É para este objectivo que Pires e a restante loiça lá estão nos armários governamentais. Um dia há-de quebrar-se.

Comments

  1. AACM says:

    Do Pires ja sabiamos, e quais sao os contributos do Carlos Fonseca para o nosso enriquecimento ?

    • nightwishpt says:

      E para que serve o dinheiro pago ao AACM para vir comentar nos blogs?

      • AACM says:

        Por exemplo para te pagar um jantar…..e poder aprender alguma coisa com tao ilustre expert….que tal ?

        • nightwishpt says:

          Não precisa de pagar o jantar, é simples: se tira o dinheiro de quem o gasta para o dar a quem o mete em paraísos fiscais a economia piora. É simples.

      • Carlos Fonseca says:

        NIghtwishpt, não perca tempo. É um provocador

        • AACM says:

          Provocador de ideias construtivas…….mas o balao esta vazio.


          • Ideia construtivas? Nenhum nazi e fascista tem ideias construtivas. Portanto não diga disparates. Ah, perdão, lembrei-me afinal têm, o Hitler teve a ideia de se matar, todos os seus seguidores deviam fazer o mesmo.

    • AACM says:

      Fiz uma pergunta construtiva e que permite ao autor do post ajudar com ideias para o enriquecimento do Pais…..resultado ? NADA e muitos likes negativos……aqui nao se aprende nada.

      • nightwishpt says:

        Isso é tarefa do governo, que ainda não fez nada por isso, muito pelo contrário, já condenou o país a uma década de empobrecimento e mais umas quantas de recuperação do nível de vida.
        Pelo menos. Em dois anos. É obra.

  2. Hugo says:

    Também importa dizer que muita gente se meteu de forma completamente irresponsável em empréstimos para comprar casa (e não só) apesar de ter empregos precaríssimos ou manifestamente a prazo. E muitos aceitaram ser fiadores sem saber o que isso significava.

    Quanto ao juro, creio que os credores fizeram e fazem aquilo que muitos de nós aconselhamos aqui que é aprender com a História. E Portugal é um país que nos últimos 30 anos teve três quase-bancarrotas com intervenções financeiras externas. Naturalmente, os credores olham para nós como gente que não se sabe governar e em consequência carregam no juro. Seria de esperar que esse juro tivesse aspectos pedagógicos, mas depois olhamos para as sondagens e vemos o PS com 35%… Ou somos masoquistas ou burros. Uma há-de ser verdade.

    Agora vêm os cortes às pensões acima dos 600 euros. Se não estou enganado o governo queria proteger dos cortes estas pensões mais baixas. Mas isso era contra a igualdade, porque obviamente quem ganha 600 euros é igual a quem ganha 1800 e então agora comem todos. É o comunismo do “eu defendo os interesses dos pobrezinhos desde que não me venham primeiro ao bolso”.

    Tal como você, também eu não entendo por que razão não se taxam mais as PPP’s sobretudo as rodoviárias. Nas outras empresas que refere, um aumento de taxas acabaria reflectido no preço final e como tal seria o consumidor final a suportar esse acréscimo fiscal. Nas auto-estradas, tanto quanto sei, as portagens não podem ser aumentadas a bel-prazer das concessionárias, que assim se veriam forçadas a assumir do seu bolso o imposto extra. Além do mais e do ponto de vista – se quiserem – moral, é mais justo carregar nestas empresas rodoviárias. Nos Pingos Doces e nas PT’s ainda tem que se trabalhar para manter e angariar clientes e ganhar dinheiro. Já as concessionárias das auto-estradas bem podem ficar a coçá-los o dia todo que o dinheirinho vindo do Estado cai certinho ao final do mês, cortesia do engenheiro dos domingos. Aliás, quantos menos clientes tiverem, melhor, porque menores serão os custos de manutenção e maiores serão os lucros.

    • nightwishpt says:

      ” Naturalmente, os credores olham para nós como gente que não se sabe governar e em consequência carregam no juro. ”
      E qual é a desculpa para a França, que tem a economia em melhor estado que o Reino Unido?

      “Também importa dizer que muita gente se meteu de forma completamente irresponsável em empréstimos para comprar casa (e não só) apesar de ter empregos precaríssimos ou manifestamente a prazo. ”
      Bem-vindo ao sistema financeiro, se quer que ruia por os bancos deixarem de imprimir tanto dinheiro, estou consigo.

      • Hugo says:

        Não sei ao certo como está a economia nem da França nem do Reino Unido, mas sei que estão melhores que nós, que têm mais recursos para explorar e que não tiveram três bancarrotas nos últimos 30 anos.

        Quanto aos empréstimos, foi o sistema financeiro que apontou uma pistola à cabeça das pessoas para assinarem contratos que não podiam pagar?

        • nightwishpt says:

          ” que têm mais recursos para explorar e que não tiveram três bancarrotas nos últimos 30 anos. ”
          Bom, por essa ordem de ideias, prepare-se para viver como um africano, o que não anda longe do plano da troika.
          Os credores carregam no juro porque sabem que o euro é uma brincadeira e que a união europeia ainda não começou a resolver a crise, muito pelo contrário. Vá perguntar aos alemães o que aconteceu quando tiveram que viver em circunstâncias idênticas ali pela década de 1920.

          “Quanto aos empréstimos, foi o sistema financeiro que apontou uma pistola à cabeça das pessoas para assinarem contratos que não podiam pagar?”
          Foi o sistema financeiro que lhes garantiu que podiam pagar e os sucessivos auto.governos do país que começaram a desviar o dinheiro para os submarinos e quejandos para que as pessoas passassem dificuldades.
          Assim, retirando o dinheiro dos empréstimos, prepare-se para daqui a pouco sofrer mais uns cortes no ordenado para ir socorrer mais uma vez a banca graças à política económica do moralismo.

  3. portela says:

    É a reforma do estado “à Lim(i)ano”.

  4. edgar says:

    Pagamos tudo: as fraudes, como no BPN e BPP, a “recapitalização” da banca, e ainda temos de suportar as penhoras pelas políticas de crédito, fortemente incentivadas para garantir lucros astronómicos e impostos baixos à banca e aos seus accionistas.
    Quantos milhares de milhões foram esmifrados para garantir a acumulação de capital que sustenta uma mão cheia de multimilionários que manda neste país.
    Sobre esta violência, exercida contra os que vivem do seu trabalho ou da reforma garantida por dezenas de anos de contribuições, vai continuar a treta de que vivemos acima das nossas possibilidade?
    Até quando?


  5. E como presentinho acaba de ser aprovado 40 horas de trabalho/semana – boa – foi com 40 horas que comecei no ministério do Ultramar – que creio já nem existe ou vamos voltar »a “colónias” ?? – e 6 dias de férias de verão e nada mais além de dias santos e feriados – Estou a ver de novo, agora, Ramalho Eanes triste e de lágrimas de comoção pelo seu país – que não quis homenagem nenhuma mas como diz a mulher lhe deram a volta em TRIBUTO e lá aceitou – acho que fez bem já sei que o que digo vai ser gozado pelos amigalhaços dos neofascistas que estudaram à minha custa e que quando se drogam ou usam telemóvel a conduzir serve-se do hospital público que pago com o meu IRS – afinal eu que nem sabia o que era o fascismo há por aí novos fachos – é viral como se diz agora – Magistrados do Ministério Público 90% em grave – afinal chega a todos e falam de caos nas secretarias – só os juízes “ainda não grevam” – mais adiamento de julgamentos e pessoas que foram a tribunal sem avisar ninguém No Poro menos grevistas e pessoas queixam-se de não serem avisadas – a ministra Paula Teixeira da Cruz nada diz a não ser que TODOS NÒS estamos CONVOCADOS para situação EXCEPCIONAL – já vincula a sílaba tónica como Portas . interessante – CGTO convoca manifestação para todo o pais – Associação das Forças Armadas diz que Taxistas concentram-se no Camo das Cebolas + Buzinão da Associação de Mobilidade – Prof em vigilia de protesto juntam-se no Porto contra a destruição da Escola Pública – põe em cauda o DIREITO À EDUCAÇÂO diz uma professora – Ministro cira sêcos e molhados (1989) que nunca se repetirá dá lição etc Paulo Valente Gomes da polícia demitiu-se – Peugeot a ser dirigida por português – Pensões penhoradas – portugueses sequestrados em moçambique ao longo de 3 anos – Ucranianos na rua em Protesto contra o 1º ministro que queriam entrar na UE mas Russia não deixa – 150 mil pessoas na rua em Kiewe fartos da influência da Russia que não quer deixar escapar da sua esfera de influência – Ban-Ky-moon preocupado com Siria – pede acabar com o sofrimento e Putin visitou o Papa – Tailândia querem demissão da 1ª ministra – Futebol do Porro está abrigado a ganhar – ESTE ano pensões penhoradas aumentou desde o ano passado 17% que é o meio mais fácil de sacar – Coimbra e as Repúblicas uma encerrou a 5 outubro e outas vão encerrar ~os alunos não podem pagar pois não têm sido aumentadas e agora tudo de repente – as Republicas são classificadas Património da Humanidade – são ao todo 26 repúblicas Em dois anos e meio o pais cai morto e apodrece e destrói tudo o que levou pelo menos 30 anos a conquistar – que capacidade de demolição – A guerra Mundial não destruíu tão depessa

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.