Polícia, mentiras e bordeis televisivos

Os inimigos das redes sociais, basicamente analfabetos envergonhados e malta que não gosta de convívio, proclamam entre os males das mesmas que o virtual é uma treta, um perigo e uma ilusão, ao vivo e olhos nos olhos é que é bom.
Ora parece que o pessoal adolescente decidiu dar-lhes ouvidos, e vai daí organizam-se em encontros de conhecidos virtuais, a que chamam meets (que saudades do velho meeting revolucionário, um anglicismo cuja origem nunca entendi).
Num desses encontros, e entre 600 presentes, dois micro-grupos envolveram-se à porrada, e duas garinas cometeram um assalto, perfeita rotina num centro comercial de grande dimensão, logo é chamada a autoridade, esta, a precisar de treinos, veio em força e desata à bordoada, pelo menos uma grávida e tudo.
Que diabo, sempre eram pretos, e preto que é preto tem de provar o sabor do pingalim. Além disso estamos em Agosto, e faltam notícias, que alguns jornalistas fizeram, com destaque para para o administrador do local que desmente a versão da PSP. Outros, que a comunicação social é cada vez mais bordel e nela idiotas e/ou malta com missões políticas a cumprir, trataram de comparar com os rolezinhos brasileiros (que são uma forma organizada de entrar onde pobre está proibido, nada tendo que ver com isto), reeditando o arrastão com que se entretiveram uns verões atrás. Há que apelar à ordem na ponta da arma, lançar o pânico social entre a populaça (enquanto temes os pretos não te preocupas com o Espírito Santo), ameaçar com a insegurança para que o poder anti-democrático se instale, devagarinho.
Todo isto aconteceu no Centro Comercial que leva o nome de Vasco da Gama. Mais simbólico não poderíamos ter: um país que invoca como herói um dos mais cruéis genocidas da História da Humanidade (e que feito algum de particular relevo, fora isso, cometeu), tem a polícia que merece e as putas afoitas nos jornais propriedade dos donos disto tudo a condizer.

Comments

  1. Gottlieb says:

    Cardoso, Cardoso.
    Que infeliz referência ao Vasco da Gama. Então o meu amigo nunca ouviu falar no Zeitgeist?
    Se calhar para ti o Afonso Henriques foi um facínora racista e fascista anti sarraceno.
    Já para não falar do biltre Dom Henrique que, sem quaisquer preocupação ecológica, ia dando cabo do pinhal de Leiria para abastecer a empresa de construção naval que supostamente controlava ?
    E os cabrões dos reis com a mania de construir palácios em zonas que deveriam ser paisagem protegida ?


    • Um imbecil, é tolerável. Um imbecil que não percebe a diferença entre um canalha que age fora dos mínimos do seu tempo, conforme atesta e lamenta o cronista coevo, e um jovem revolucionário uns séculos antes, além de imbecil é ignorante. E intolerável.
      Compra uma cronologia da História de Portugal, e ainda fazes a 4ª classe, antiga.

  2. Rui Moringa says:

    Sr. João Cardoso,
    Comparamos sempre ao nosso gosto.
    a História tem exemplos para tudo e todos, ou seja, para justificar uma conduta e condenar a outra.
    Temos personagens na nossa História com actos muito censuráveis. Certo. Mas daí a dizer que tem vergonha de SER PORTUGUÊS !!!
    No C.C Vasco da Gama, pelo que vi pela tv aquilo foi um excesso da “canalhada” que desvirtuou, eventualmente algo que seria bom, um encontro. Racismo!? da PSP? Bem, haverá sempre razões de discriminação e racismo, mesmo entre grupos de portugueses com a mesma cor de pele.
    A igualdade é uma utopia.
    Prefiro o ter equidade nas oportunidades.


  3. “preto que é preto tem de provar o sabor do pingalim” – Exatamente! Preto que é preto, mesmo que seja branco por dentro, tem de chatear a malta por causa da sua condição de preto, tem de provocar a polícia, tem de ser violento, tem de mostrar a sua cor… Preto que é preto tem um enorme problema: não se conforma com o facto de ser preto! O auto-racismo é fodido!…


  4. João Cardoso,
    Concordo consigo em quase tudo o que escreve neste post, até aquele epíteto ao Vasco da Gama, excepto o tema do próprio post. O episódio do CComercial é notoriamente um não assunto excelente para malhar na polícia.
    O melhor comentário à patetice daquele meeting vi-o ontem num episódio de family Guy, quando Cleveland, o amigo “afro-americano” (sorte eu não ser preto se não dizia-lhes onde podiam enfiar o afro-coiso), entusiasmado com a luta dos seus irmãos partiu os vidros todos de um carro até que, oops, viu que o carro era o dele!
    Quem quiser entender que entenda!


  5. Há tanto tempo que não recebia artigos aventar – Este é um mimo – só falta darem beijos na boca – que degradação que afinal arrasa TUDO – os prpfessores a darem o “exemplo” ?? ou é gente diferente – bem vou fazer férias de aventares – antes ouvir o cuelho que é um engraçadinho que fala a sério sem se rir

  6. Rui Moringa says:

    Sr. João Cardoso,
    Efetivamente não escreveu que “tem vergonha de ser português”. Fiz confusão.
    Peço desculpa.

  7. CarlosAlvi says:

    Ter vergonha de ser português ……pois eu não sou tuga mas se fosse dava um tiro nos cornos…….qual o tuga que gosta dos políticos ( GATUNOS CORRUPTOS)….( BPN+ BES+ MONTEPIO+ FACE OCULTA+ CASA PIA+ QUERES MAIS) ORGULHO NESTA PORRA…FODASSS mas como se não bastasse falas do Vasco da Gama como se fosse um assassino…….. porra ,……..andas a nanar …..tal como uma senhora escreveu conheces o que se trata no link Zeitgeist….. abre os olhinhos e não andes aqui a papar papaias …já agora ainda estás a tempo e compra uma loja no dulce vista antes do dia 30 de Agosto …….e quando os branquinhos amarelinhos pretnhos ou cor de rosa ou a puta k os pátio começarem a partir-te a loja vai atras deles para lhes dar bji…..mas nao chames a plicia….Cardoso deixa te de mariquices ….ahahah…das duas um ou tas feito com eles + o sistema ou tens que deixar de fumar essas merdas……já agora ….já Ouviste falar do movimento …..VALQUIRIA……DURMAM BEM A QUEM O MOVIMENTO NAO INCOMODA

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.