Daqui a cem anos, numa galáxia distante…

Nadando, qual Tio Patinhas, no seu cofre bem recheado pela dotação – eu não disse doação – do “de cujus” António Champalimaud, a Tia Beleza organiza, de vez em quando, umas vernissages e coisas que tais, nas quais se possa pavonear entre pessoas infinitamente mais qualificadas do que ela, ostentando, com a dinheirama legada, uma condição de altaneiro mecenas cuja generosidade se derrama sobre a cabeça dos por ela eleitos. Agora, decidiu realizar uma luzida coisa – não sei como lhe chamar…- em que, entre ilustre e ilustrada companhia, se propõe – que os deuses a abençoem! – discutir nada menos do que como será o mundo daqui a cem(100!) anos.

Chegado aqui, vergo-me a tão arrebimbado objectivo e declaro a minha total incapacidade para perceber, sequer, o problema – acho, até, que tal problema não existe, imagine-se – comprometendo-me, ao mesmo tempo, a não me rir quando ouvir ou ler alguma das comunicações. Objectareis vós que entre os convidados existem mui famosos prémios Nobel, pessoas de grande sabença e chocalhantes medalhados. É verdade. Mas permitam-me que os divide em diferentes grupos:

i) – os verdadeiramente inteligentes e brilhantes, que os há entre os convidados, que aceitam participar porque devem ter achado bestial vir até Lisboa, em tempo de sol outonal e logística de luxo, passear, rir um bocado e gozar – elegantemente, claro – com a própria iniciativa (“daqui a cem anos?! não brinquem comigo”);

ii) Figuras do mundo político profissional que vêm fazer prova de vida e dizer umas banalidades sobre qualquer coisa, tanto faz.

iii) Os pomposos idiotas – omnipresentes nestas coisas – que vão mesmo, ai de nós, tentar explicar, acreditando no que dizem, como vai ser o mundo daqui a cem anos, o que prova que nem sequer entendem o que é o mundo hoje.

Espero, para conforto dos estimados visitantes, que o croquete esteja bom e a pinga de estalo. E quanto àqueles convidados que admiramos, não se preocupem que nós riremos discretamente convosco e compreenderemos que uma festa bem servida como esta não se pode perder. Pelo menos, enquanto ela durar, alguns de vós podereis fazer a boa vida que o vosso trabalho a sério vos deveria proporcionar.

Não sei se era este tipo de cagança social que o fundador tinha em vista quando concebeu a fundação e nomeou a sua primeira presidente. Mas, como diria um dos convidados, “é a vida”. Entretanto, a Fundação faz 10 anos. Quem diria…

Comments

  1. alberto says:

    Inveja é feia.

  2. Quero ser anónimo says:

    Daqui a 100 anos, os homens não vestirão cuecas (as mulheres também não)…

    Já alguém questionou, porque é que a srª é a Presidenta?

    Quem cabritos vende…

  3. Rui Moringa says:

    Touché.

  4. FilipeMP says:

    A única coisa certa daqui a 100 anos, é a morte. Tudo o resto será um exercício de escrita criativa.

  5. ZE LOPES says:

    Não acompanhei este congresso por uma simples razão: não covidaram Cavaco Silva. Não para prever o que iria acontecer daqui a 100 anos, mas para que se compreenda o que acontecia há 100 anos.

  6. Maria Vieira says:

    lamento que a sua inteligência só dê para isto. Se estivesse calado não lohe aconteceria mal nenhum. Por acaso viu alguns dos convidados falar? É que por aquilo que (d)escreve não percebeu mesmo nada do assunto.

    • joão lopes says:

      “se estivesse calado não lhe(lohe??!!) aconteceria mal nenhum”.cuidado Jose Gabriel ,não se pode ter opinião(boa ou má) sobre ex ou militantes do psd.e sobre a dos bifes,tambem não.nem sobre o que sera a vida daqui a cem anos.se quiser saber ,veja o “Planeta dos macacos”,mas aquele com o c. heston,o rei das armas nos eua.


  7. “declaro a minha inacapacidade para perceber”; nã continuação não seria mais sensato ter deitado este post para o lixo? ou é masoquista e gosta que tenham uma opinião abixode cão de vexa?


  8. Daqui a cem anos é bem possível que alguém que o José Gabriel conheça esteja vivo graças à Fundação que Leonor Beleza preside. Não se engasgue no croquete e não se afogue no tinto. E sobretudo não morda a língua…