O legado de Manuel Queiró na CP


comboioregional-cp
Foto Ricardinho Rodrigues
Por Miguel Castro Araújo

Foi oficializada na passada sexta-feira a substituição do Conselho de Administração da CP. Entretanto, correu pelas redes sociais uma petição, supostamente em nome dos utentes e trabalhadores, para a manutenção do eng. Manuel Queiró na presidência da empresa. Pergunta-se, quais utentes?
Os do Alentejo sem comboios ou os do Oeste que passaram a ver os seus comboios suprimidos ou substituídos, quando têm sorte, por autocarros?
Os do Douro que suportam, devido a sanitários entupidos, as cada vez mais mal cheirosas automotoras “camelas”?
Os da linha de Cascais com comboios a caírem de velhos? Quais trabalhadores?
Os da CP Carga, à força privatizados e hoje a viverem tempos de grande incerteza?
Os da CP, casa mãe, que nunca foram tão poucos e nunca tiveram tão más condições materiais de trabalho, pois são eles que têm que fazer o impossível para colmatarem as avarias e falta de comboios, atrasos constantes, as bilheteiras sem condições mínimas de conforto e de equipamento informático?
Vamos lá fazer uma análise cuidada à herança deixada por Manuel Queiró nos quatro anos que presidiu aos destinos da transportadora ferroviária. Assim de memória, é-nos difícil encontrar um presidente, e a CP tem tido uma série deles muito maus, que de uma assentada só, tenha descapitalizado tanto a empresa.

Só com a privatização da CP carga, vendida por apenas 2 milhões de euros, foram locomotivas, vagões, pessoal formado, clientes. Praticamente tudo de borla. Quanto valia isso tudo? Provavelmente 300 milhões de euros será uma estimativa por baixo. E isto só para falarmos do valor patrimonial pois não há preço possível para a privatização de um sector estratégico e estruturante para o país.

O mandato de Manuel Queiró pode definir-se pela quantidade em prejuízo da qualidade. Foi sempre seu objectivo apresentar números. Muitos números. Números bonitos. Daqueles que ficam bem nos “powerpointes” e notas de imprensa. Mesmo recorrendo a truques. Por exemplo, nos últimos anos assistimos a muita propaganda sobre o número de passageiros transportados. O truque é básico. Estabeleceu como padrão de comparação o ano de 2013 (107 milhões) [1], o pior da crise, quando a CP foi vítima das malfeitorias do governo austeritário-dependente de Passos Coelho que foi quem, precisamente em 2013, o nomeou para presidir à CP. Tendo como base um ano horribilis apresentam-se sempre variações homólogas percentuais….

Se compararmos com 2010 (134 milhões), o ano imediatamente anterior ao desastre do troikismo, a CP, no fim de 2016, com 115 milhões de passageiros, estava ainda aquém em 19 milhões de passageiros e 180 milhões de Passageiros/Quilómetro transportados. Hoje são comuns notícias de “comboios a abarrotar”, da incapacidade de oferta por parte da CP perante a procura. Em 2010 transportavam-se muito mais passageiros, o material circulante era o mesmo, e ninguém dizia que os comboios andavam a abarrotar. Porque será? Passamos a explicar.

Para ter boa imprensa, Manuel Queiró promoveu comboios especiais para concertos, praia, feiras, festivais, etc. Tudo isso dá bom “marketing”. Pena é que tenha sido feito à custa de ir buscar material ao serviço regular. Por exemplo, fazer comboios em unidades automotoras simples em vez de unidades múltiplas, reduzindo fortemente, nesses dias, a oferta de lugares disponíveis no serviço regular. Comboios a abarrotar. Qualidade degradada.
Na sua senda pelos números, há uma espécie de números que Manuel Queiró sabia que davam sempre muito boa imprensa. Nos tempos que correm, de consenso neoliberal que só agora começa a desfazer-se, os média, particularmente os especializados em economia, estão totalmente subjugados ao pensamento único da ditadura do EBITDA. Queiró, que sempre se esforçou para fazer brilharetes nesta área, perante as insuficiências de financiamento de uma empresa abandonada pelo Estado à sua sorte, mas sem ser desobrigada de prestar o relevante Serviço Público de Transporte que sempre prestou, descobriu a pólvora. E a “pólvora” foi cortar drasticamente na manutenção do material circulante. Ao ponto de hoje termos várias automotoras e carruagens “encostadas” por falta de manutenção (isto é, peças, equipamentos e operários) e, por motivos de segurança, não poderem circular. Noutro material reduziu-se a manutenção ao mínimo afectando enormemente a sua fiabilidade e conforto, como é o caso das automotoras “camelas” citadas acima, ou a substituição agora corrente de comboios no Oeste por autocarros, ou a sua supressão pura e simples como é agora frequente de Norte a Sul . Até o serviço de maior prestígio da CP, o Alfa Pendular, tem vindo a ver a sua qualidade ser diminuída exponencialmente. Aqui, além da degradação dos comboios, muito devida ao adiamento muito para lá do tolerável da sua revisão de meia vida, o que acentuou a sua degradação material, tornando mais cara a sua recuperação, junta-se também uma enorme degradação na qualidade da gestão operacional que, hoje, é transversal a toda a empresa. Queiró apresentou uns “ebitdas” mais compostos, mas deixa a empresa exausta financeiramente e exausta materialmente nos seus equipamentos. Veremos que futuro nos reservam, neste campo, a tutela e a nova administração. Esperamos uma inversão. Esperamos investimento na contratação de mais trabalhadores, na manutenção, na aquisição de material circulante, na fiabilidade, na segurança, na qualidade.

Queiró é um político experiente e inteligente. Quando chegou à empresa rapidamente percebeu como comprar a “paz laboral”. Percebeu que lhe bastava controlar dois sindicatos, duas categorias profissionais operacionais: maquinistas e revisores. Conseguiu-o facilmente dando a ilusão, aos seus principais dirigentes, de que tinham alguma importância estratégica na sua política de gestão.

Queiró permitiu-lhes imaginar que faziam parte do processo em curso. Em tempos de escassez, de crise, com cortes brutais de salários, Queiró, em conluio com a tutela, lá foi arranjando maneira de fazer com que os citados dirigentes fossem capazes de, de vez em quando, atirar algumas moedas para a praça acalmando assim a fúria das massas trabalhadoras. Também, selectivamente, premiou uma dúzia de quadros, numa promoção sem precedentes na empresa, subindo-lhes a remuneração em mais de 1000€ por mês, numa altura (2016) em que a generalidade dos trabalhadores tinha as carreiras e salários congelados há 9 anos [6].

E foi assim que Manuel Queiró conseguiu passar entre os pingos da chuva durante estes quatro últimos anos. Deixa boa imprensa, o pior serviço e fiabilidade dos últimos anos, no que toca ao serviço público de transporte (urbanos e regionais), e dois sindicalistas órfãos. Reconheçamos: Manuel Queiró é exímio no marketing pessoal. E o marketing, por definição, é a arte de fazer com que o público adopte comportamentos favoráveis aos nossos interesses e objectivos.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    A direita está cheia de bons gestores, principalmente quando pegam em empresas falidas, e removem tudo o que não dá lucro, deixando-as nas mais do Estado, ficando só com aquilo que dá lucro. Aproveitam para aumentar os preços dos bilhetes, dos parques de estacionamento envolventes, do aluguer dos bares e lojas de conveniência, suprimem estações e só param nas grandes urbes, etc, etc…. O Estado que mantenha as infraestruturas.
    Assim não é necessário nenhum Queiró. Nem nenhum Gaspar. Bastava o contabilista que faz a escrita da Padaria Portuguesa.
    Só isso!

  2. Paulo Marques says:

    O problema resolve-se a si mesmo, qualquer dia já não há unidade que ande nem tenha sido tão degradada que seja mais barato fechar as linhas todas.
    RIP comboios em Portugal, porque retroceder ao século XIX era bom demais para a colónia portuguesa.

  3. JgMenos says:

    Descapitalizou ou abrandou parou de se endividar?

    • Nascimento says:

      Uma das coisas que fez o governo mafioso de Passos e Portas foi DESPEDIR todas as trabalhadoras das creches e infantários da CP!Sabias meu monte de merda?Mas, às chefias das Divisões afetadas ao PSD CDS aumentou os ordenado e deu outras mordomias.A “gordura”estava nos Infantários.O gajo que tevd uma política destruidora nesses anos tem nome:Sérgio Monteiro.O teu barrasco.

      • JgMenos says:

        GRUNHO!

        • Tony Blair(JPdC) says:

          Quando chegares a casa, olha bem para a cara dos teus filhos. Quem sabe, se não terão eles também cara de GRUNHO?
          Nunca fiando!

        • Nascimento says:

          Grunho é o cabrão do teu P. que (teve?), o trabalho de contribuir par vir ao Mundo um bandalho como tu. A sério pá,para gajos e gajas como tu, só ao pontapé…”democratico”!Tópas?
          E já agora meu monte de merda: o teu barrasco, ( o Sérginho), está a mamar 25 mil sem descontos não é? Ganda ” GESTOR” que foi o Pane º…
          Mas isso para um f. da p. como tu não tem importãncia… desde que seja por detrás, né?

        • ZE LOPES says:

          É o seu avôzinho! E menos…um comentário!

          • Malhadinhas says:

            Tanta merda, mas escreve-se “afectas” e não “afetadas”. Tão revolucionário, mas depois acata as ordens dos donos acordistas.

    • Pedro says:

      Claro, a divida. Eu diria até que se vendessem todas as carruagens, a divida ficaria a zero, até dava lucro. Colocada aos bocadinhos na OLX, a CP seria um êxito de mercado. Excelente, a redução da divida. Para além disso, que diz do serviço da CP? É uma coisa que me interessa como utente, se não se importa.

    • ZE LOPES says:

      Menos…um comentário!

  4. MJoão says:

    Triste CP ! Há umas semanas andei em Sta Apolónia à rasca para ter uma informação. Tive de ir para a fila dos bilhetes pois não havia ninguém para dar informações.
    Depois, quando entrei no Alfa não queria acreditar, bem sei que era 2ª classe :), mas vidros sujos e estofos rotos não é coisa que se espere de um serviço destes. Mal sabia que ia chegar com um atraso de 30m.
    RIP, CP!

  5. anti pafioso. says:

    Onde anda a direitalha pafiosa que não pediu a demissão deste gestor ?

  6. Pedro says:

    Para quando uma auditoria ou comissão de inquérito às gestões danosas e culpabilizar os mesmos por gestão danosa!

  7. Carlos Silva says:

    A minha intervenção não é para defender o Manuel Queiró, mas sim para esclarecer aquilo que não foi esclarecido na opinião de Miguel Castro Araújo.
    Um dos problemas da CP foi a divisão dando origem à EMEF. Com isso a administração da CP só tem autorização para mandar fazer pequenas reparações. Tudo que seja grandes revisões ou reactivação de material, tem de passar por autorização governamental.
    Manuel Queiró pediu a reactivação de 4 unidades da série 0350 para reforçar o serviço no Oeste, mas até agora não obteve resposta. Pediu uma grande reparação das unidades 0450 que têm problemas de motor depois da contaminação de combustível que foram vitimas, mas até agora ainda não teve autorização. A série 0600/0650 teve de ser encostada devido à elevada taxa de avarias. Com isso a CP viu-se obrigada a alugar a Espanha unidades da série 592.0. Ou era isto ou não haveria serviços. Estas unidades vieram com diversos problemas e como não chegavam, a CP alugou mais umas tantas, desta vez da série 592.2 em melhores condições. Também havia a intenção de alugar à RENFE 5 unidades S-120 para reforçar o Longo Curso, mas mais uma vez, o governo deu uma nega. Tal como a recuperação de 20 carruagens 22-40 que também ainda não foi aceite.
    Este problemas todos faz com que os serviços a diesel a sul do Douro (linhas do Oeste, Leste, Alentejo e Algarve), andem mesmo no limite e basta uma avariar (que é habitual) para ter de haver supressões. Administração da CP ainda espera que o governo autorize a EMEF em recuperar 4 Allan’s 0350, enquanto isso não acontecer, nada vai mudar.
    Sobre a linha de Cascais, há mais de 20 anos que se fala em material novo para esta linha, mas enquanto não mudarem a tensão da linha de Cascais, tal nunca irá acontecer. Os administradores passam e tudo igual.
    Em relação à CP Carga, a privatização foi por imposição do governo PSD/CDS, logo o Manuel Queiró teve de comer e calar.
    Os comboios especiais pouca mossa fazem. Por exemplo, recentemente tivemos pelos concertos do Ricky Martin e Ariana Grande, mas foram por volta das 00h com chegada ao Porto por volta das 04h. A essa hora a disponibilidade de material é quase total. Outro exemplo, no dia 13 de Maio uma associação de cariz religioso alugou 8 unidades 2240 para serviço entre as estações de Chão de Maçãs e Santa Apolónia. A juntar a outras tantas do serviço especial promovido pela CP entre Caxarias e Santa Apolónia. Ninguém foi penalizado nos serviços regulares.
    Agora indo à manutenção, aqui a administração (seja a anterior, seja a próxima) só tem de obedecer às ordens do governo. Vê-se o caso da nova renovação dos CPA 4000. Esta administração pediu também uma reparação dos motores (incluindo uma bobinagem), mas o governo recusou porque isso iria aumentar a despesa. Isto vai resultar que daqui a uns anos, vamos ter novamente os CPA de regresso à oficina.
    Por fim, sobre os funcionários. Teve de fazer aquilo que o governo PSD/CDS exigiu, ou seja, corte de funcionários. Ele podia recusar, mas isso implicava nomear outro da confiança do dito governo.
    Os problemas que Manuel Queiró apanhou, também Carlos Nogueira irá apanhar. A não ser que o governo PS tenha mais confiança neste e dê verbas que nunca deu ao Queiró.
    Ainda assim, Manuel Queiró conseguiu umas coisas interessantes, como o regresso das Schindler’s ao Douro e do comboio histórico no Vouga.

    • Até que enfim um comentário que sabe o que realmente acontece na vida real!!

      • Nascimento says:

        Até que enfim? Como? Ó JP, se eu te quiser contar umas coisinhas sobre a CP; REFER, também te faço abanar o rabo?Se calhar não é um texto DESCULPABILIZANTE como o acima,mas, se quisesse… tópas?
        Aquilo que está escrito é quase um acto minimizador sobre alguêm que teve RESPONSABILIDADES!! E MUITAS! Por essa ordem de raciocinio , “o que teve de ser, teve de ser”…, e o senhor QUEIRÓ é uma vitima do SISTEMA do qual ele mesmo fez e faz parte! OLHA O COITADINHO!! UMA ESTATUA PRÓ SENHOR!! Ou está esquecido que ele foi NOMEADO e é do CDS? Que ele apoiou toda uma politica que governou durante 4 anos esta merda??? A linha de Cascais o quê??? Mas, está a dar baile a quem? Nunca ouve tantos comboios suprimidos e falta de carruagens como desde que este senhor chegou á CP, tanta estação ao abandono,( tudo porco.. ) e a falta de pessoal!??20 anos ? ando eu naquela linha e nunca vi tal desleixo!!
        É que tal raciocinio sempre deu para TUDO! Até para desculpabilizar as maiores chacinas . Destesto o sim, mas…talvez, paciência ,nè???

        • Carlos Silva says:

          Enquanto você apenas anda, essa é apenas uma das muitas linhas com que trabalho. Sei perfeitamente o quanto e porquê dessas supressões. Sim são bastantes, mas sem alterações de políticas o caso não se irá resolver. Até pode ser o Papa a gerir a linha, mas sem melhorias da IP com autorização do governo nada irá mudar.
          Diversas unidades foram encostadas por não haver mais nada a fazer. Se você sober de alguém que tenha comboios com tensão de 1500V em bitola ibérica, diga à CP que ela quer alugar.

          • Nascimento says:

            Pois “trabalha”. Ui se trabalha!! O que tu não dizes é que a destruição foi o que mais se viu com este gajo ( o Queiroz)! Se os outros( Cardoso Reis, etc) eram uma merda? Ok!
            E a maneira como tentas MINIMIZAR A MERDA é que está patente no tua opinião! E não tentes disfarçar! A maior parte dos SINDICATOS DA CP FORAM E SÃO APOIADOS POR PS/PSD/CDS ATRAVÉS DAS DIVERSAS ADMINISTRAÇÕES !!! Percebido?DIVIDIR PARA REINAR! Toda a merda esteve e está no ROSSIO( ENGº ACHER, ETC…)OU JULGAS QUE EU NÃO OS CONHEÇO? Julgas que estou “fora”???

  8. carlos barrancos says:

    A arte exímia dr interpretar e manipular conforme as nossas conveniências e agenda é o que este artigo representa. Fala do que nao sabe e deturpa factos, este senhor Manuel Queiró, pôs a Cp a funcionar sem nada, ao contrario dr muitos que por lá passaram. Se isso incomoda, claro que incomoda, afinal esta empresa sempre serviu toda a a clientela politica e quando passou a funcionar como uma verdadeira empresa passou a incomodar muita gente. Quanto a privatização da cp carga o homem sempre foi contra e declarou o publicamente em várias entrevistas. Desinvestimento perguntem às várias tutelas ao longo dos anos. Só para esclarecer sou apartidário mas de esquerda, se é que estes rótulos ainda tem algum significado

    • Ahahahaha,
      Antes não havia nada… Depois fez se luz… Santa mãe!
      A) Você é um ignorante. Paz aos seus clientes e à sua alma.
      B) Foi um feliz contemplado na CP com um brutal aumento do salário e sem saber como…
      C) É parente do fulano… Compreende-se, a família não se escolhe…

    • Nascimento says:

      Claro que o” homem” sempre foi ” contra”, pá!!! E mais claro é ” que pôs a CP ” afuncionar”…ui!! Claro que és ” apartidário”, e sabes uma coisa ? O MEU C…LHO É UM ASSOBIO! Acredita que é verdade!

  9. Jose cesar says:

    Neste momento o País encontra-se numa fase de auto-avaliação e procura de eventuais motivos para as diversas situações que se lhe apresenta. Várias áreas da sociedade estão a ser analizadas para obtensão de responsabilidades pelas entidades jurídicas. Espero que a área dos transportes, neste caso a CP, seja englobada nessa acção para que de uma vêz por todas, as responsabilidades sejam pedidas a quem de direito.

  10. Nelson Carlos Silva says:

    Acho este texto a maior injustiça que possa fazer-se ao Sr Manuel Queiroz. Basta ver que Ele com pouco, conseguiu trazer de novo passageiros ao caminho de ferro. Se algo não conseguiu resultar no seu mandato, foi devido aos entraves que a tutela deixou na CP. Vejamos porque não se procede à electrificação da linha do oeste? Porque a famigerada IP, não tem interesse, pois com a junção da Refer, na Estradas de Portugal, actual IP (Infraestruturas de Portugal), é primordial preocuparem-se com as estradas do que com caminho de ferro. Porque o governo PSD/CDS, teve a preocupação de desmantelar o caminho de ferro, e o governo actual não teve os TOMATES, de olhar para o excelente trabalho do Sr Manuel Queiroz nesta empresa, e permitir que Ele concretizasse, a melhoria do mesmo, comprando material ferroviário, tal como estava no seu projecto. Quanto ao que foi dito acerca da venda da CPCarga, neste texto, só veio provar um desconhecimento profundo da questão. O Sr Manuel Queiroz, tal como a administração da CPCARGA, ERAM CONTRA a sua venda. Ao ponto que a administração DIMITIU-SE aquando a decisão da venda, e o Sr Manuel Queiroz, foi substituído, para que a venda avançasse. Peço que apurem a VERDADE A REALIDADE do mandato e de todos os entraves que o Sr Manuel Queiroz sofreu por parte das tutelas do governo anterior bem como do actual e se retratem deste texto que só denigre a imagem de um dos melhores Presidentes, que a CP teve em toda a sua história de vida.

    • Miguel Araújo says:

      Só que na sua administração houve quem fosse coerente e se tenha demitido. Não ficaram a fazer de conta que eram contra mas na prática a colaborar.

    • Olha, olha… Outro adepto da luz reveladora que iluminou a nação ferroviária no período de trevas de 154 anos que decorreram da sua criação até a revelação do profeta…
      Para não me repetir, fica apenas um conselho; infomre-se, fale com verdadeiros ferroviários e não vá em cantilenas propagandísticas.
      Vai sentir-se um pessoa bem melhor e contribuíra para um País melhor!

    • Nascimento says:

      Ó Nélson gosto de ti! A sério. Ao menos quando gostas não tens ” rodriguinhos”…dito isto; acho que o teu amor pelo senhor deixa-te céguinho, homem… ” o melhor presidente”? a sério? Isso é que éAMOR… béu, béu….

      • Nelson Carlos Silva says:

        Eu como funcionário da dita empresa, sei bem o que estou a dizer. Afinal já vou em 23 anos de CP, tive o orgulho de pertencer às dua, tanto CP como CPCarga, e ao fim de alguns anos ter regressado à CP. Se digo que foi um dos melhores, é porque sei o quanto ele se esforçou, para que esta empresa que estava quase falida, reerguer-se depois do que o palhaço de merda do Passos e seu governo fez à CP. Ele foi umas das vozes contra as políticas governamentais e agora pergunto, porque nunca foi demitido, porque se manteve sempre e mesmo depois da mudança de governo, se manteve mesmo demissionário? Porque este actual governo aguardou 1 ano e meio para encontrar um substituto? O pior é que vem agora um gestor que afundou a Groundforce e se vocês se queixam do Manuel Queiroz estarei por cá para registar o vosso comportamento futuro, quanto ao que virá por aí.

  11. José Afonso says:

    Enquanto houver comilões é parasitas dentro da CP, a CP não vai a lado nenhum. É só chefias, e engenheiros e doutores. Que levam tudo. Muitos nem de comboios percebem. Aqueles escritórios estão minados deste tipo de pessoas, e estão a fazer a mesma coisa. Quando a CP foi dívida pela uvir porque todos tinha a sua quintinha,e longo curso, aí sim começou o caus e agora que se juntou tudo novamente, nós escritórios à pessoa a mais. Claro que houve muitas bilheteiras que fecharam. Primeiro foi a divisão da CP regional / com longo curso, depois foi a divisão da CP com refer, que perdeu todo o património que tinha. E agora passou tudo para as infraestruturas de Portugal. Tenhos linhas que é uma vergonha, a linha do Sul, a linha da Beira baixa a linha do Norte, que anda sempre com afroxamentos, o que provoca desgaste no material etc etc etc

  12. José Antunes says:

    Ehehehe agora que o PS nomeou um presidente que foi membro da comissao politica do PSD nas legislativas de 2015 é que a coisa vai melhorar. Ao menos o PS sabia deste facto?
    Que dirá o BE e o PCP desta escolha?
    E quanto tempo conseguirá a CP do Ps aguentar sem greves, é que o Queiroz esteve 4 anos sem greves…

  13. João Augusto says:

    Pela primeira vez nos últimos 100 anos a CP esteve 4 anos a crescer em passageiros e receitas em vez de estar 4 anos a perder passageiros e receitas.
    Mostrem lá outro presidente que tenha feito isso?
    Quantos viram encerrar linhas e linhas e nada fizeram. Este opôs-se a que encerracem o Vouga e o Oeste.
    Quantos milhões de indemnizações compensatórias recebia a CP com todos os anteriores presidentes? Desde 2013 que recebe 0 (ZERO!) seja com a PSD/CDS, seja agora com o orçamentos de estado aprovados pelo PS, PCP, Bloco de Esquerda, Verdes etc.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s