Vazio está explicado

cartaz teve inspiração na obra “As palavras que nunca te direi”.

Lamentável forma de fazer política.

O ex-ministo Miguel Poiares Maduro deu uma entrevista à TSF que tem coisas inaceitáveis e é um exemplo de política de muito baixo-nível. Nem me quero referir às inverdades que diz sobre fundos comunitários, muito menos ao facto de ser responsável por mais um programa de financiamento totalmente desajustado do país, pouco operacional, nada exigente e totalmente tomado pelos interesses. Mas aquilo que diz sobre os fundos para combate a incêndios é inaceitável: só faltou mesmo responsabilizar o PM António Costa pelas mortes em Pedrógão. Este tipo de intervenção não é própria de um académico. Inaceitável.
[Read more…]

A Comissão

Imagem: internet

 

A Comissão de Defesa Nacional exerce as suas competências em todas as matérias de Defesa Nacional e das Forças Armadas, designadamente fiscalizando e acompanhando a actividade do Governo. Além disso, é responsável pela organização de um vasto conjunto de eventos, entre os quais se contam conferências, audições, cursos e visitas.

[Read more…]

Sobre a evolução das últimas semanas

Foi ele. Mas ele também já tinha feito. Não, foram os dois. Não, não, não, foram todos. Afinal, não foi ninguém.

Já nem as desgraças salvam os profetas

A 16 de Junho de 2017, um dia antes da tragédia de Pedrógão Grande, a Aximage publicou uma sondagem encomendada pelo Negócios e Correio da Manhã. Long story short: PSD e CDS-PP em mínimos históricos (24,6% e 4,6% respectivamente, conquistando apenas 29,2% dos inquiridos), PS a subir em flecha, à custa, essencialmente, de eleitorado perdido pela direita, BE e PCP ligeiramente abaixo dos resultados das Legislativas. Segundo este estudo, à data acima, a Geringonça consegue 61,2% da amostra analisada. É uma sondagem, vale o que vale, mas não deixa de ser esmagadora. [Read more…]

What the fuck, Dave Grohl!

Os Foo Fighters acabaram de musicar o clássico “e salta (introduzir nome), e salta (introduzir nome), olé, olé (repetir à exaustão)!” no NOS Alive. What the fuck, exclama Dave Grohl, perante um público insaciável que canta de cor, no recinto esgotado de um dos melhores festivais europeus da actualidade, após duas horas e meia de concerto. Bem-vindo de volta, Dave! Portugal é do caralho, não é?