Sexismo selectivo

Durante 2 semanas o país não falou noutra coisa, indignado e bem, com as considerações proferidas por um Juíz do Tribunal da Relação do Porto durante a leitura de sentença. Um operário que vive com o salário mínimo é obrigado a pagar uma pensão de alimentos a uma filha, apesar dos testes de ADN confirmarem que não é progenitor, não suscita qualquer notícia nas televisões portuguesas, excepção feita ao Correio da Manhã. É assim Portugal, quando um homem é vítima, já não interessa aos talibãs do politicamente correcto…

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Estou a saber a notícia, por si. Como não leio o Carreio da Manhã vejo-me na contingência de ficar na ignorância sobre alguns assuntos que poderão até ter importância, como este. A ser verdade, e sem antecedentes que me levem a mudar de opinião, fico revoltado.
    Só que o Correio da Manhã mente tantas vezes, para não dizer de forma repetida, que às tantas ficamos sem saber qual a verdade no meio de tanta aldrabice.
    “Quem não quer ser Lobo não lhe veste a pele.”
    Também acho um abuso o homem ter de pagar uma pensão de alimentos por um filho que não é seu. Isso só na Coreia do Norte, mais por castigo, e pelos vistos, em Portugal!
    E acho que ele deve lutar pela alteração dessa injustiça grave, nos tribunais e na comunicação social, aproveitar e levar ao Marcelo o seu problema, quem sabe não sai uma selfie, porque apesar de tudo ainda não temos nenhum Kim Jong Un na presidência.
    Mas fico descansado pelo facto da mãe e o verdadeiro pai da criança, não o terem perseguido e lhe terem malhado com uma tábua de pregos, entre outras sevícias. E já agora, de um Juiz não lhe ter chamado “corno” ou “otário” por este se ter deixado levar por tamanha vigarice. E de não evocado a Bíblia ou outra obra de arte clássica, afirmando que na “antiguidade os cornos mansos eram castigados com a castração e viravam eunucos.”

    • teste says:

      o naldinho,
      não emprenhes pelos ouvidos e não sigas as fake news que os profisionais da indignação te lançam.
      senão não passas de um au au a ladrar para defender o dono

  2. Paulo Marques says:

    Não sei se será outro caso, mas já vi outro parecido noutra altura. E pode fazer sentido nalguns, quando é criada e aceite pelos dois durante determinado tempo. É questão de ver o acordão e o que o sustenta, mas Portugal não é os EUA, que abusam nestes casos a favor da mulher.


  3. Graças a Deus que existe o Correio da Manhã para todos termos um jornalismo de qualidade e referência e sabermos a verdade sobre o que se passa no país.


  4. outro post absurdo deste sr. usa o drama e a injustiça de um homem para negar que há sexismo mas em desvatagem das mulheres e acenar com a peta que a direita caceteira usa acerca do “politicamente correcto”. então os homens é que estão em desvantagem na nossa sociedade? tenha juízo.


    • Palavras suas “drama e injustiça”, com as quais concordo, mas que o politicamente correcto não divulga. Sim, existe uma cultura dominante instalada que só divulga o que satisfaz a sua agenda…

  5. Ana A. says:

    Pelo que eu ouvi da notícia, e salvo o erro foi na SIC, depois de este homem ter feito o teste de ADN e reclamado junto dos tribunais, o facto de ainda estar a ser penhorado é porque segundo o Tribunal apresentou a reclamação fora de tempo, tinha 20 dias ou isso para o fazer e não o fez. Aqui esta grande injustiça, sem dúvida, prende-se com os os “sagrados” prazos da Justiça, aos quais estamos todos nós acorrentados!

  6. JgMenos says:

    Que a biologia está afastada do correcto sexista parece-me uma evidência.
    Mas o progressismo é isso mesmo, a ideia precede o facto e gera a ciência da treta.
    Mas tenhamos fé que com a placenta artificial e umas doses de hormonas variadas pela manhã haveremos de ser todos iguais.
    Um admirável mundo novo.


  7. Dado que o bacano, segundo afirmam no vídeo, reconheceu a paternidade, resta saber se já solicitou a sua anulação após ter recebido os testes?!
    É que, se não o fez, então continua a ser legalmente o “pai” da cria…


  8. Casos de abuso de poder há-os todos os dias, obviamente violência sobre mulheres e homens. Sexismo dentro das cabeças e em obras também. O sr. juiz deixo-o soltar-se cá par fora quando chamado a proferir sentença.
    Contudo, há por aí uns passarinhos a piar: Soube-se da escrita sentença porque foi plantada na papagaiada com o objectivo de o afastar de um concurso no “ramo”. Já foste…dirão os “passarinhos” concorrentes.
    Será ficção?!
    Isto não interessa para nada?!!!!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.