Rock in Rio, a Maria Leal dos festivais de Verão

O Rock in Rio não é um festival de Verão como os restantes. No início tentou ser, e ainda fazia jus ao nome, com dois dias de rock mais ou menos pesado, mas hoje não passa de um parque de diversões, atropelado por uma avalanche de publicidade, com um cartaz que, no essencial, é feito de nomes de música pop, quanto mais mainstream, melhor, preços altamente sobrevalorizados e cartazes cada vez piores e com menos diversidade. Claro que isto é apenas a minha opinião. E haverá por aí muito boa gente a defender a necessidade de existir um festival de música pop pastilha elástica com estas características. Mas hoje descobri que a Lili Caneças está no alinhamento de um dos palcos e tudo fez mais sentido. O Rock in Rio é a Maria Leal dos festivais de Verão: até pode ter alguma piada (os Muse vão lá), mas no geral é uma pimbalhada em avançado estado de parolização.

Comments


  1. Pois que assim é realmente, a (in) cultura e mediocridade desta sociedade do espectáculo e de mercado, a vangloria da pimbalhada kitsch da promoção endinheirada parola, a fasquia baixa actual num mundo formatado e promovido para a alienação das gentes, robots consumistas do imediato bem bom, não, não é conversa de velhos do restelo, João Mendes, é a conclusão a que tristemente vamos chegando e confirmando .
    E denunciar ou tentar lutar para melhorar a cultura e as mentalidades já não resulta nem junto de entidades responsáveis ou governamentais ou os media, que bem sabemos das forças daqui inerentes que reduzem a nossa indignação a grito no deserto !
    …e festivais para quê, que sejam o que o povão quiser sendo sintoma dessa mediocridade, que a mim não me façam falta nem me impeçam para me recolher em espaços e momentaços de bons convívios culturais ou refúgios de silêncios de prazerosa vida interior e salutar contacto com a Natureza…..que ser urbana é uma condição dorida que me foi imposta e que rejeito !!…cada vez mais !


  2. Que treta é essa dos ‘influenciadores’??

  3. Fernando Manuel Rodrigues says:

    Caso ainda nºao tenha percebido, o Rock está mais ou menos morto (sobrevivendo algumas múmias aqui e eali). Mesmo os Muse, que citou, já são hoje mais pop do que rock.

    O “Rock in Rio” já só tem Rock no nome, e já não é de agora. De resto, este formato de “festival” não é para quem goste verdadeiramente de ouvir música. É uma espécie de celebração ritual tribal para adolescentes (período que actualmente, já vai quase até aos 30 anos).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.