Rock in Rio, a Maria Leal dos festivais de Verão

O Rock in Rio não é um festival de Verão como os restantes. No início tentou ser, e ainda fazia jus ao nome, com dois dias de rock mais ou menos pesado, mas hoje não passa de um parque de diversões, atropelado por uma avalanche de publicidade, com um cartaz que, no essencial, é feito de nomes de música pop, quanto mais mainstream, melhor, preços altamente sobrevalorizados e cartazes cada vez piores e com menos diversidade. Claro que isto é apenas a minha opinião. E haverá por aí muito boa gente a defender a necessidade de existir um festival de música pop pastilha elástica com estas características. Mas hoje descobri que a Lili Caneças está no alinhamento de um dos palcos e tudo fez mais sentido. O Rock in Rio é a Maria Leal dos festivais de Verão: até pode ter alguma piada (os Muse vão lá), mas no geral é uma pimbalhada em avançado estado de parolização.

Festivais de Verão

Festival de Glastonbury, Reino Unido

Festival de Glastonbury, Reino Unido.

Uma das principais características dos principais festivais de música do Verão realizados em Portugal é serem totalmente dominados  por empresas privadas de telecomunicações, em regime de monopólio. Todas as grandes marcas de telecomunicações a operar no nosso país têm um festival de música e algumas têm mesmo mais do que um.

Aparentemente, esta é uma tendência que não se verifica noutros festivais que se realizam na Europa, aos quais acorrem milhões de pessoas, que normalmente são patrocinados por várias marcas e empresas, que não necessariamente de telecomunicações.

Este tipo de monopólio numa área cultural tão popular entre os sectores mais jovens da nossa comunidade, como é a música, normalmente anglo-saxónica, confere a estas empresas um poder incomensurável sobre a formação desses jovens, sobre a construção do seu gosto musical, sobre as suas tendências de consumo e, necessariamente, sobre a sua cultura.

Por outro lado, sabe-se que estes eventos culturais são altamente lucrativos para essas empresas e, o que não deixa de ser extraordinário, são apesar disso muitas vezes financiados pelos municípios onde decorrem, não apenas por via directa, com a atribuição de elevados subsídios em dinheiro, que chegam a atingir as centenas de milhar de euros, quer por via indirecta, através da isenção de taxas e mobilização de recursos públicos, como a segurança, serviço de bombeiros, ambulâncias, hospitais, etc.

Haverá aqui algo que nos escapa?

 

 

O Melhor Festival de Verão

Além de melhor festival de verão, o Milhões de Festa é o único que põe tudo na piscina. Viva Barcelos…