O Diabo faz selfies

©Víctor Sainz / El País

A história conta-se em poucas linhas: um escultor decidiu oferecer a Segóvia, sua cidade adoptiva, uma estátua que representa uma lenda centenária, a de que o famoso aqueduto da cidade não foi erguido pelos romanos, mas sim pelo Diabo, numa única noite, a pedido de uma jovem, que conseguiu enganá-lo e salvar a sua alma. A autarquia aceitou a oferta com entusiasmo mas, quando a estátua ia ser colocada no lugar que lhe fora destinado, uma associação de católicos apresentou queixa, alegando que a obra ofende os seus sentimentos religiosos. O caso está em tribunal e a estátua mantém-se na oficina do seu criador.

As fundadoras da associação criada para apresentar esta queixa alegam que a estátua é uma exaltação do mal e que este Diabo, ao nem sequer estar próximo de uma igreja, é representado sem nenhum elemento que o repudie, o que o converte num chamariz irresistível para satânicos de outras paragens.

Já a autarquia viu na estátua a possibilidade de atrair os turistas, que costumam concentrar-se no centro histórico, para uma zona menos visitada. É que este Diabo é uma criatura sorridente, até bonacheirona, e que segura na mão um telemóvel com o qual está a fazer uma selfie. E isto, acredita a autarquia, será um chamariz irresistível, não tanto para os satânicos (quem sabe?), mas seguramente para os turistas. Porque, como todos já aprendemos, o método contemporâneo de apreciar uma paisagem ou uma obra de arte consiste em colocar-se de costas para ela, de câmara em punho.

Não tendo sentimentos religiosos que possam ser ofendidos, não me pronuncio sobre essa matéria, mas ocorre-me que a ideia de representar o Diabo como um fazedor de selfies encerra uma verdade profunda. E representá-lo assim, toleirão, ensimesmado, de costas para tudo o que não seja o seu umbigo inchado, é capaz de ser o melhor serviço que se presta a quem diz combatê-lo. É sabido, porém, que o Diabo está nos detalhes e deve por isso que os católicos de Segóvia não reparam neles.

Comments

  1. ZE LOPES says:

    Os católicos contestatários deveriam preocupar-se com outras coisas. Porque não tentarem fazer uma “limpeza” de muitos santos que enfeitam os altares? Se investigassem a vida que muitos levaram seria uma razia.

    Se o diabo existe, e anda por aí, não se apresenta de cornos. Deve andar desfarçado. Mais depressa anda de sotaina, até porque lhe permite esconder a cauda e outras partes salientes.


  2. Temem que a estatua atraía satanicos?
    Afinal qual é o problema que esta gente tem com a religião dos outros?

  3. JgMenos says:

    «toleirão, ensimesmado, de costas para tudo o que não seja o seu umbigo inchado – um diabo esquerdalho?

    • ZE LOPES says:

      Resposta: nada disso. Um JgMenos! Aliás são nítidos os traços que denunciam ter sido V. Exa. o modelo da estátua. É só procurar com calma. Está lá tudo!

    • Paulo Marques says:

      O ideal neo-liberal é esquerdalho agora?

  4. Nascimento says:

    “Porque, como todos já aprendemos, o método contemporâneo de apreciar uma paisagem ou uma obra de arte consiste em colocar-se de costas para ela, de câmara em punho.”
    Muito bom. A senhora Carla mais uma vez na certeira observação dos ” menos” deste país…

    • ZE LOPES says:

      Por isso é que o Menos anda todo torcido. Como pensa que ele prórprio é uma obra de arte passou a noite a tentar virar-se de costas para ele mesmo! Ainda tentou com espelhos, mas nem assim!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.