O PCP igual a si próprio…

Para o PCP apenas as ditaduras de direita são más. Não aprenderam com a História.

Comments

  1. Carlos Almeida says:

    O Antonio Almeida, igual a si proprio

    • António de Almeida says:

      Isso pode ter a certeza, serei contra toda e qualquer ditadura…

    • Fernando says:

      Discurso (não assumido) libertário:

      Estado mínimo, ou seja, Estado onde financiadas são apenas as forças de repressão que forçam os direitos de propriedade de uma minoria privilegiada da população que controla esse mesmo Estado…

      Fantástica a “democracia” libertária…

      • António de Almeida says:

        A vida, a integridade física, a propriedade são invioláveis. Vou mais longe, além das forças policiais, defendo a liberalização das armas e consignação do direito à legítima defesa…

        • Fernando says:

          É também pelo fim do Serviço Nacional Saúde e da ensino público?

          • António de Almeida says:

            Sim, mas… Não cabe neste post, mas não defendendo o SNS, também não quero que se deixem pessoas a sofrer ou morrer. Há outras formas de garantir uma assistência médica, sem existir o SNS. Mas também não são as PPP’s que existem em Portugal, privatizando lucros e nacionalizando prejuízos.

          • Fernando says:

            “Eu sou contra o SNS, mas não quero que se deixem pessoas a sofrer ou a morrer”

            Banalidades, nada mais, realismo e alternativas o António, nem nenhum “libertário”, as têm…

            Dou um exemplo recente de um conhecido senador “libertário” norte-americano, Rand Paul, um dos tais que são contra serviços saúde prestados ou pagos pelo Estado para todos.

            Este “libertário” recentemente teve a necessidade que lhe fossem prestados serviços de saúde, sabem onde é que ele foi receber estes serviços, não foi nos EUA, este “libertário” socorreu-se dos serviços pagos pelo Estado Canadiano.

            Libertarismo é uma ideologia financiada por bilionários, está documentado.

            Os “libertários” não acreditam em democracia do povo, para o povo, eles acreditam na supremacia dos privilegiados.

            É por isso que eles são contra a Saúde Pública, Educação Pública, protecções ao consumidor, protecções ao ambiente, protecções ao trabalhador, regulações à Banca. Tudo o que defenda a maioria da supremacia dos privilegiados os “libertários” são contra!

            Libertarismo = liberdade de possuir escravos.

        • ZE LOPES says:

          O direito à legítima defesa já existe. O que V. Exa. defende é a “consignação” de um direito a matar por dá cá aquela palha.

        • Paulo Marques says:

          «A vida, a integridade física, a propriedade são invioláveis. »

          Nem pouco mais ou menos.
          1 e 2) Pena de morte, guerra, auto-defesa, protecção de terceiros, aborto (seja por risco de morte da mãe, doença fatal ou liberalizado), austeridade a levar à fome, doença e ausência de cuidados…

          3) A desapropriação existe em qualquer país, seja para obras públicas ou privadas… ou privatizações… ou para os negros saberem o seu lugar. Fora isso, também há a desapropriação de bens ilegais ou obtidos por meios ilegais, bem como o uso capião.

          Não existem direitos absolutos.

  2. esteve,ayres says:

    O P”C”P sempre foi um partido revisionista, porque nunca teve em conta o “Manifesto do Partido Comunista”, redigido por K.Marx e
    F.Engels de Dezembro de 1847 a Janeiro de 1848.poblicado pela primeira vez em brochura em Londres em Fevereiro de 1848.
    Só para lembrar aos mais distraídos, aos anticomunista e social-fascistas! O P”C”P, fundado em 1921, só editou a Manifesto em fins de1975,muitos meses depois do MRPP, fundado apenas em 1970.
    Por fim: Já vão tarde visto que ao longo dos anos têm vindo a trair os operários e de mais trabalhadores.
    Nem fascismo nem social-fascismo!

    • Carlos Vila Verde says:

      Esteves Ayres: é tudo farinha do mesmo saco. Felizmente, o comunismo, seja do PC”P”, seja do MRPP, foi derrotado pela História e pela luta dos povos pelo multipartidarismo.

      • esteve,ayres says:

        Não me parece a luta é dura e prolongada… quando o capitalismo acabar… esta para breve, vai ver que tem que escolher uma barricada ou dos exploradores ou dos explorados…. Espero que seja para breve!!! Nem fascismo nem social-fascismo!

        • Paulo Marques says:

          Pois, qualquer coisa que venha, soe bem e não seja dita por um senhor de bigode. Depois logo se vê.

  3. Paulo Marques says:

    Tudo o que mexe contra o império é uma ditadura, pois claro. Siga a propaganda. https://estatuadesal.com/2019/01/22/entender-a-nova-ofensiva-contra-a-venezuela


  4. Boaventura Sousa Santos não é comunista, :

    https://www.publico.pt/2017/07/29/mundo/opiniao/em-defesa-da-venezuela-1780518

    …” O que está em causa são as maiores reservas de petróleo do mundo existentes na Venezuela. Para os EUA, é crucial para o seu domínio global manter o controlo das reservas de petróleo do mundo.
    Para os EUA, é crucial para o seu domínio global manter o controlo das reservas de petróleo do mundo.
    Qualquer país, por mais democrático, que tenha este recurso estratégico e não o torne acessível às multinacionais petrolíferas, na maioria, norte-americanas, põe-se na mira de uma intervenção imperial.
    A ameaça à segurança nacional, de que fala o Presidente dos EUA, não está sequer apenas no acesso ao petróleo, está sobretudo no facto de o comércio mundial do petróleo ser denominado em dólares, o verdadeiro núcleo do poder dos EUA, já que nenhum outro país tem o privilégio de imprimir as notas que bem entender sem isso afetar significativamente o seu valor monetário. Foi por esta razão que o Iraque foi invadido e o Médio Oriente e a Líbia arrasados (neste último caso, com a cumplicidade ativa da França de Sarkozy).
    Pela mesma razão, houve ingerência, hoje documentada, na crise brasileira, pois a exploração do petróleo do pré-sal estava nas mãos dos brasileiros.
    Pela mesma razão, o Irão voltou a estar em perigo.
    Pela mesma razão, a revolução bolivariana tem de cair sem ter tido a oportunidade de corrigir democraticamente os graves erros que os seus dirigentes cometeram nos últimos anos.
    Sem ingerência externa, estou seguro de que a Venezuela saberia encontrar uma solução não violenta e democrática.

    Infelizmente, o que está no terreno é usar todos os meios para virar os pobres contra o chavismo, a base social da revolução bolivariana e os que mais beneficiaram com ela. E, concomitantemente com isso, provocar uma ruptura nas Forças Armadas e um consequente golpe militar que deponha Maduro.

    A política externa da Europa (se de tal se pode falar) podia ser uma força moderadora se, entretanto, não tivesse perdido a alma “

    • António de Almeida says:

      Boaventura Sousa Santos é um lunático, felizmente sem responsabilidade por aí além, já me ri bastante à custa das suas hilariantes posições…

      • Fernando says:

        Ayn Rand admirava um tipo que cortou aos pedaços uma criança…

        Será que Ayn Rand era lunática?

        E o que serão aqueles que defendem a supremacia dos privilegiados?

      • Carlos Almeida says:

        O Boaventura Sousa Santos é um lunático, diz um “libertário”.
        A ideologia libertaria se é que existe e não apenas uma falta de honestidade intelectual, é uma treta para dar cobertura a concentração de cada vez mais riqueza nas mãos de uma minoria.
        Prefiro os fascistoides como o Sr Verde, que ao menos dizem honestamente ao que vêem.

      • ZE LOPES says:

        Como lunático Boaventura de Sousa Santos tem companhia. Um exemplo:

        “Sim, mas… Não cabe neste post, mas não defendendo o SNS, também não quero que se deixem pessoas a sofrer ou morrer. Há outras formas de garantir uma assistência médica, sem existir o SNS. Mas também não são as PPP’s que existem em Portugal, privatizando lucros e nacionalizando prejuízos”.

        Ora bem! Tenha V. Exa. o azar de ter uma doença oncológica e vai ver! Um serviço de saúde que junta lucros chorudos a asistência universal, realmente, só na lua!

        Ou então estaremos na presença de um autêntico “ovo de
        Calmeidombo”.

        (Bem a menos que o “não deixar sofrer nem morrer” signifique dar umas drogas para ir paliando a coisa…)

  5. Carlos Vila Verde says:

    Isabel: essas “histórias” contra o imperialismo americano já não convencem ninguém. Simplesmente, a experiência socialista de Maduro arrasou por completo a Venezuela, em mais uma experiência falhada deste tipo de socialismo (com tiques de marxismo totalitário)

    • Paulo Marques says:

      E esse tipo de “socialismo” é o quê e as semelhanças para com os amigos do Ecuador são quais? Só para a gente se entender e dar o mesmo nome às coisas.
      O Maduro pode ser incompetente (e nem a propaganda de um lado nem de outro iluminam), mas isto de fazer de conta que não havia pobreza nem fome, e não era pouca, com o fantoche anterior ao Chavez é patético.

      • Carlos Vila Verde says:

        Paulo Marques: A Venezuela, antes do sinistro duo Chavez/Maduro, foi governada muitos anos por um socialista moderado, chamado Carlos André Peres, que foi dirigente da Internacional Socialista, e amigo pessoal do Mário Soares. Claro que havia muita pobreza, todos sabemos que a Venezuela sempre foi um pais muito desigual. Mas nunca aconteceu 3 milhões de venezuelanos terem que abandonar o pais. E a grande comunidade de portugueses que vivem na Venezuela? Estão os simpatizantes do ditador Maduro sensibilizados para o drama que aqueles nossos compatriotas estão a viver?

        • Paulo Marques says:

          Interessante como as centenas de milhar de cidadãos que tiveram que abandonar Portugal, Grécia, Letónia, Polónia e por aí adiante graças ao iluminado capitalismo alemão não são problema.
          Mas adiante, não se está a defender Maduro, está-se a chamar o imperialismo pelos nomes.

        • ZE LOPES says:

          Carlos quê? Andrés Perez? “Moderado”? Ah! Ah! Ahhhhh! Ah! Ah! Ah! Ai que o Vila Verde é tão cómico! Ai que nem posso!Ahhhh! Ai que rebento com o diafragma!

          Cito a Wickipédia para fazer um intervalo:

          “O “Caracaço” ajuda a entender a tentativa de golpe por Hugo Chávez em 1992. Essa violenta revolta popular generalizada, que degenerou em vandalismo, foi apenas um dos sinais que dava uma sociedade gravemente enferma, na qual os 10% mais pobres da população detinham apenas 1,6% da renda nacional (PIB), enquanto os 10% mais ricos detinham 32%. A pobreza alcançava 85% da população, e as classes A e B, somadas, representavam apenas 3,5% dos venezuelanos”.

          O “Caracazo” foi detido com recurso a militares moderados que disparavam balas moderadas sobre a população radical fazendo muitas mortes moderadas e inúmeros feridos moderados. Ou seja, foi um massacre moderado.

  6. Carlos Vila Verde says:

    Esteves Ayres: o comunismo, tal como o conhecemos no século XX, desabou com a queda do Muro de Berlim e o fim da URSS (para grande alegria dos povos martirizado pelo dito comunismo).
    E a China? Estamos perante uma grande incógnita. Porém, os chamados “campos de reeducação” criados no tempo do sinistro Mao Tse Tung, e que liquidou milhões de pessoas, replicados, por exemplo, no Camboja de Pol Pot e no Moçambique de Samora Machel – essas barbaridades, nunca mais! (pode crer…)

    • Paulo Marques says:

      E se isso era o que o PCP defendia, já hoje nem a UE põe muito em questão. Há muito mais “comunismo” do que esse, que, de resto, rapidamente deixou de ter alguma coisa a ver com Marx além do nome. E a soberania.
      Mas quando as ideias de Keynes e FDR são de extrema-esquerda, só nos resta esperar para comer mais doses de austeridade até ao nosso Bolsonaro.

  7. Carlos Vila Verde says:

    Repito:André Perez foi vice da Internacional Socialista e amigo pessoal do Mário Soares. Se a forma, depois, não corresponde ao conteúdo, isso é outra história, a que estamos completamente habituados no chamado “campo socialista” …

    • Paulo Marques says:

      E Putin é amigo pessoal do presidente dos Estados Unidos, o Bolsonaro é “irmão” do nosso Marcelo, o Somoza o filho da puta do FDR, o Estaline aliado de Churchill, o Eduardo dos Santos o preferido de Passos e Portas, e por aí adiante.

    • ZE LOPES says:

      Tá bem, Vila Verde. Já se cá sabe que V. Exa. é manhoso. Não precisava de confirmar.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.