Mercado livre

Comments

  1. Fernando says:

    Porque é que as sociedades mais desenvolvidas o Estado tem uma presença muito significativa?

    Porque é que sociedades onde o Estado praticamente não existe são sociedades miseráveis dominadas por mercenários, como é o caso de vários países africanos?

    O que impede o “mercado livre” nestas sociedades miseráveis, onde o Estado praticamente não existe, de as tirar da miséria e da mercê dos mercenários que as dominam?

    • Mário Reis says:

      Ou que impede de, no mercado do tio Sam, o mais livre dos ‘livres’, o daquele sonho mítico que se atinge lixando os outros com um F e à grande de acabar com os tão badalados 42 milhões que vivem na pobreza e subsídiados.
      Como alguém acertadamente diz, o problema não está na pobreza. Está mesmo na riqueza apropriada por uns poucos que dominam os mercados…

  2. Paulo Marques says:

    O mercado livre é aquela coisa que precisa que os estados paguem o ISDS, façam contractos de associação, paguem à polícia para reprimir os pobres (e se o fizer com base na raça, tanto melhor), obriguem à requisição civil para manter os portos abertos, façam o “independente” banco central ter uma taxa especial para os “investimentos” “responsáveis” da banca? Que permite que a Walmart ou a Amazon despeçam quem mencione a palavra sindicato, que as empresas do Valley acordem em limitar salários ou que a finança faça productos financeiros a hipotecar pensões com base em derivativos de derivativos de especulação ou que as fabricantes de automóveis americanas mintam em testes e usem escravos norte-coreanos porque os polacos são caros?
    Essa liberdade não, obrigado, ainda não acabamos de contribuir para a última ronda e já voltamos a estar em recessão face a tanta prosperidade.

  3. Ana Moreno says:

    SOCORRO!!! 🙂

  4. Daniel says:

    Quem fez esse vídeo não vive neste mundo… nem conhece a China!…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.