E se forem todos culpados?

“Sou contra achar-se que todos os que passaram pela CGD são culpados” – Paulo Macedo

Venezuela, uma ditadura sui generis

jg.jpg

Fotografia via SIC Notícias

A Venezuela é uma ditadura sui generis. Permite que milhares saiam à rua para protestar contra ela, algo raro em ditadura, para não dizer inédito, e que o líder da oposição, financiada pelos países que embargaram e ajudaram a destruir a economia venezuelana, discurse numa universidade publica contra o ditador. [Read more…]

Descentralização

A direcção do Partido Socialista acaba de publicar uma “nota à imprensa” sobre o Processo de Descentralização, nota essa na qual se congratula “com a assunção dos compromissos assumidos e com a adesão de mais de uma centena de municípios” ao Acordo. Adianta ainda que “o governo socialista comprometeu-se com o reforço da autonomia do Poder Local, as suas competências e os meios disponíveis para o efeito, bem assim como com o cumprimento da Lei das Finanças Locais e aproximação aos níveis europeus da participação nas receitas do Estado por parte das autarquias”.

Legítima, esta Nota à Imprensa não explica, porém, como foi possível ter origem no interior da própria direcção do PS o mais eficaz e violento ataque ao referido Processo de Descentralização, ataque esse liderado pelo autarca “socialista” de Gaia. Os opositores do PS agradecem esta aliança espúria com Rui Moreira, aliás digna de uma medalha de mérito.

 

Gente perigosa

Não é só o retomar da indústria do carvão, com todos os problemas ambientais associados. Não é só o racismo e misoginia abertamente declarados. Não é só o constante ataque ao jornalismo. Não é só o tomar de posições de força, unilaterais, dignas de qualquer ditadura de esquina. Não é só o entusiasmado apoio à indústria das armas. Não é só a quebra de acordos entre aliados. Não é só o fascínio por regimes ditatoriais.

É tudo isto e um ego à frente de qualquer outro interesse, aliado à escolha das opções que potenciem o negócio. Um bronco capaz de colocar o mundo em pantanas porque uma jornalista o adjectivou de cobarde. Gente perigosa.

Imagem: The Washington Post

Aquele momento em que a SIC deixou de ser Notícias

Reduzida a opinião. Múpis com temas diversos versando um ponto de vista, em vez de uma notícia.

Há dias, a SIC publicou uma reportagem sobre fake news, olhando para as redes sociais e para os blogs de forma acusadora. Nunca precisaram de sair de casa, como agora novamente se constata.

imagem: jmc

Os cabelos brancos de Letizia

A mulher estava parada frente a uma montra de marmitas e lancheiras. Levava na mão um saco de uma loja famosa, já deslavado, destes que se conseguem uma vez e são usados todos os dias para transportar o almoço, as compras, a bata do trabalho, e duram anos até se romperem. Dentro do saco, via-se o cabeçalho da revista ¡Hola!.

A mulher esticava a cabeça para ver todos os preços das marmitas da montra, mas não se decidia a entrar. Passou um autocarro e o ruído deve tê-la feito tomar consciência de que já tinha perdido demasiado tempo. Seguiu caminho com passos rápidos. Por curiosidade, fui até ao quiosque ao lado e procurei a capa da ¡Hola!. Havia umas quantas mulheres, algumas desconhecidas para mim, mas a foto central era da rainha Letizia, de quem se garantia estar a “apostar na naturalidade” e orgulhosa dos seus cabelos brancos. Inclinei-me para ver melhor a foto. Os cabelos brancos da rainha resumiam-se a umas linhas estrategicamente dispersas por um cabelo imaculadamente castanho. Não eram cabelos brancos, eram madeixas de realismo pintadas com mestria para fazê-la parecer quase uma de nós.  [Read more…]