Read my lips

Não há dinheiro para nada.

Presidente do Novo Banco admite que poderá não ser a última vez que os portugueses são chamados a contribuir

Novo Banco vai pedir 1,15 mil milhões de euros ao Fundo de Resolução

Obrigado Sr. Passos, que prometeu o que todos sabiam que não ia acontecer, o que não impediu toda a clique laranja e betinha azul de lançar louvores. Obrigado Sr.ª Cristas, que assinou de cruz sem ler, possivelmente entre uma trinca no gelado de limão depois da saída de um mergulho na praia. Obrigado Sr.ª Maria Luís Albuquerque, que zelou muito bem pelos interesses de alguns, excepto dos cidadãos em geral, ou na linguagem da direita, dos contribuintes.

Obrigado ao Sr. Costa e ao Sr. Super-Mário, que faz inveja pela Europa, mas que não tem pejo em continuar a ser caloteiro com várias classes profissionais e com fornecedores, que tem seguido implacavelmente a política do corte, tendo os serviços em rotura clara, mas que mesmo assim lá vai usando o dinheiro que não gasta onde é preciso para tapar o buraco da banca, que já soma 17 mil milhões. Não há dinheiro para nada, excepto se for banca.

Há, neste cenário maravilhoso, uma questão sem resposta. Para onde foi (e está a ir) o dinheiro? Sabemos muito bem que o dinheiro não se evapora, pelo que simplesmente está a mudar de mãos. Para quem?! Vamos precisar de esperar 10 anos, quando tudo já tiver prescrito, tal como na CGD, para a Porcaria, perdão, Procuradoria-Geral da República investigar, perdão, fazer sair umas parangonas sobre sicrano e fulano terem enchido a continha no offshore, seguindo-se a inevitável comissão de inquérito, unânime e inconsequente?

Não há dinheiro, uma porra.

[editado]

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Este, é dos tais peditórios para que não vale minimamente a pena dar.
    Eles fazem o que querem e só fazem o que querem, porque estão lá.
    E se estão lá, é porque alguém os lá pôs. E quem lá os pôs, entre fascistas reciclados e “xoxialistas”, é uma maioria de pessoas da qual ressalta essa chusma de atrasados a que candidamente chamam indecisos e que saltam a pocinha entre fascistas reciclados e “xixialistas”.
    A única coisa que se pode dizer é que há uma minoria – na qual tenho o orgulho de integrar – que nunca votou naquela gentalha – Constituindo o tal justo que paga pelo pecador. Mas agrada-me ver pessoas que podem muito menos que eu, mas votaram na gentalha, a serem roubados pelos pulhas que elegem.
    É só continuar. Eu continuo a não querer nada com esta classe política vendida. Quem quiser – e puder – que apare o pião à unha.

  2. JgMenos says:

    Fico confuso.
    Não foi o governo da geringonça que ‘vendeu’ o Novo Banco com uma clausula de comparticipação?

  3. Julio Rolo Santos says:

    É preciso ter nervos de aço para aturar esta corja de ladrões banqueiros com a conivência dos políticos e a passividade da justiça. De facto não se sabe para onde vão tantos mil milhões pedidos pelo Novo Banco que Passos 🐰 serviu de bandeja aos americanos e que este governo não questiona antes está sempre disponivel a abrir os cordões á bolsa para acudir aos banqueiros que não deixam de receber o deles apesar do prejuízo.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.