As 33 perguntas que o Aventar gostaria de fazer ao Presidente da República


No âmbito das comemorações dos 10 anos do Aventar, o nosso blogue convidou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para uma entrevista em data aberta, ou, em alternativa, para um texto de opinião a ser publicado pelo Chefe de Estado.
Dado que ambas as hipóteses foram recusadas, o Aventar aproveita o dia do seu aniversário para publicar em forma de post as perguntas que gostaria de fazer ao Presidente da República.
Por ser um trabalho colaborativo, que contou com a participação dos vários autores do blogue (e que aguarda também a participação dos leitores), optámos por não seguir qualquer critério na ordenação das perguntas.

  • Como se sente como Chefe de um Estado democrático sendo, em simultâneo, filho e afilhado de Ditadores?
  • Como se faz uma Vichyssoise?
  • Como correram as férias que lhe foram pagas há alguns anos pelo banqueiro Ricardo Salgado?
  • Concorda que cidadãos ditos normais devem poder estacionar o automóvel em lugares reservados a deficientes ou esse privilégio deve estar reservado a titulares de cargos políticos mesmo que ainda não tenham tomado posse?
  • Por que razão recusa uma entrevista a um blogue histórico com 10 anos de vida ao mesmo tempo que telefona em directo para os programas de Cristina Ferreira e afins?
  • Não sente que a simples suspeita de que será apoiado pelo PS numa eventual recandidatura é um sintoma evidente da morte da Democracia e do Pluralismo em Portugal?
  • Por que motivo devemos achar que o seu Populismo é melhor do que o dos outros?
  • Antes de ser Presidente da República era comentador televisivo. O que acha de um país que elege comentadores de televisão para o mais alto cargo do Estado?
  • O que aconteceu em Tancos? O senhor Presidente é cúmplice das mentiras que estão a ser contadas aos portugueses?
  • O que aconteceu no Novo Banco? O senhor Presidente é cúmplice das mentiras que estão a ser contadas aos portugueses?
  • O que aconteceu com a ADSE? O senhor Presidente é cúmplice das mentiras que estão a ser contadas aos portugueses?
  • Quanto ouro existe, neste momento, no Banco de Portugal?
  • Qual o poder que o Reino Unido tem nas decisões tomadas pelo Estado português?
  • Qual o poder que os Estados Unidos têm nas decisões tomadas pelo Estado português?
  • Qual o poder que a Alemanha tem nas decisões tomadas pelo Estado português?
  • Qual a parte de Portugal que ainda é, de facto, portuguesa?
  • O que acha do “caso” Julian Assange?
  • Quem manda? O Estado português ou o Benfica?
  • Que opinião tem sobre um sistema de Educação que produz uma quantidade tão grande de cidadãos cujo sonho de vida é tirar uma selfie consigo? Acha isso normal?
  • Prefere a Opus Dei ou a Maçonaria?
  • Na Maçonaria, prefere a Regular ou o Grande Oriente Lusitano?
  • Que diferença vê entre si e o Tiririca?
  • Acha correcto ocupar tanto espaço nos meios de comunicação?
  • Acha imparcial revelar as suas preferências quanto à solução governamental?
  • Acha adequado interferir na Lei de Bases da Saúde enquanto o processo de elaboração da mesma ainda está a decorrer?
  • Considera positivo fazer crer ao povo português que todas as decisões têm de passar o seu crivo e ser sujeitas ao seu comentário e ao seu beneplácito?
  • Acha bem que os jovens andem a faltar às aulas para se manifestarem em favor de políticas radicais e do clima?
  • Que avaliação faz da intervenção do comentador Marcelo Rebelo de Sousa, quando, em Janeiro de 2014, afirmou que “Dez anos para um Presidente é muito tempo” e “sujeitar um Presidente a uma reeleição nunca é positivo”?
  • Como é a vida de um “catavento de opiniões erráticas” no Palácio de Belém?
  • Estou a precisar de um abraço seu. Onde me devo dirigir?
  • É a favor da legalização do consumo de drogas leves (marijuana e derivados)?
  • Elogiou o músico dos Xutos e Pontapés Zé Pedro (cujo historial de consumo de drogas, leves e pesadas é conhecido) como um exemplo; gostaria que uma filha sua tivesse casado com ele?
  • As «virtudes pessoais» a que aludiu no epitáfio de Zeca Mendonça incluem a brutal agressão a um jornalista em 2014?

Comments

  1. Mário Reis says:

    Qual o abraço que mais o reconfortou o do irmão Bolsonaro ou ou do comparsa Trump

  2. Abel Barreto says:

    O que tem feito para que se adopte uma estratégia a médio/longo prazo para controlar o flagelo dos incêndios florestais?

  3. esteveayres says:

    Falta esta: Oque sente por ser afilhado de um fascista?

  4. estevesayres says:

    Outra pergunta:Sabendo que existem cada vez mais incêndios ainda se vai candidatar?

  5. Julio Rolo Santos says:

    Mesmo em democracia as pessoas devem ter bom senso na forma como questionam este Chefe de Estado e interrogo-me se teriam a mesma coragem para o fazer relativamente ao anterior. Receio bem que essa coragem se desvanecia porque as oportunidades não faltaram mas as perguntas não surgiram. Estamos em democracia mas não na república das bananas.

    • António Fernando Nabais says:

      O Júlio deve ter lido com muita atenção o Aventar durante os anos em que o cavaco foi presidente. De qualquer modo, o seu lema é qualquer coisa como “Não vamos fazer o que não foi feito”. Aproveite e faça uma pergunta ao Marcelo.

  6. Julio Rolo Santos says:

    Insurgo-me porque me ensinaram a respeitar as funções de cada um e, antes do 25 de Abril, todos éramos fachistas ou filhos dos ditos, uns por convicção, outros por dever de ofício “Juro por minha honra….” imposto para se ser funcionário público, dai não entender a pergunta “filho e afilhado de ditadores” no tempo da ditadura salazarista. Sei, que nos tempos que correm, é politicamente correto anunciar que se é democrata em tempo de democracia e “renegar” os que nasceram na ditadura , será isso? “Não vamos fazer o que não foi feito” façamo-lo sim, mas com respeito pelo outro.

    • António Fernando Nabais says:

      No seu primeiro comentário, escreveu “interrogo-me se teriam a mesma coragem para o fazer relativamente ao anterior.” Aqui tem, que não quero que lhe falte nada: https://aventar.eu/tag/cavaco-silva/. Aqui, no Aventar, há muito respeito, mas não se pratica o respeitinho.

  7. Julio Rolo Santos says:

    Ok, dou a mão á palmatória porque efetivamente não li o que escreveu anteriormente sobre o antecessor do atual Presidente e acabo de vasculhar tudo e penitencio-me pela falha. Das trinta e três perguntas que faz ao atual Presidente achei algumas delas bastante picantes, que eu não me atrevaria a fazê-las, insisto na que lhe referi e volto a questiona-lo, se no seu entender um filho e afilhado de fachista não pode ser um democrata. É isso que eu penso que este Presidente é um democrata, apesar de não ter votado nele, mas aprecio o seu estilo, que alguns consideram exagerado, porque entendo que um Presidente não deve estar confinado às paredes do palácio, mas sim, em contacto permanente com a realidade do país.

    • António Fernando Nabais says:

      Como poderá ter lido, este conjunto de perguntas é da autoria de vários membros deste blogue. É por isso que na autoria, mais acima, está Aventar e não o nome de um dos aventadores. Considero que que um filho e afilhado de um fascista pode ser um democrata. Não votei em Marcelo e nunca votaria, reconheço que é um homem que sabe ser simpático, não me importaria de estar à conversa com ele (ao contrário do inquilino anterior), mas não me merece confiança.
      Quanto aos textos sobre o cavaco, não sou o único autor. Registo o facto de dar a mão à palmatória e aconselho-o, portanto, a pensar antes de escrever, porque pode, no mínimo, estar a ser pouco rigoroso. Como é evidente, está à vontade – e ainda bem – para ignorar o meu conselho, até porque eu cá estarei para lhe bater, quando considerar que foi injusto ou pouco rigoroso.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.