Precário para canhão

CH

Dificilmente seria possível encontrar uma imagem que melhor ilustrasse a ignorância que alimenta André Ventura, o Chega e o neofascismo em geral. Um estafeta de uma Uber Eats desta vida, precário e explorado, faz publicidade gratuita a um partido que advoga o aprofundamento da precarização e a desregulamentação do mercado de trabalho, sem falar nas borlas fiscais que defende para milionários. Se não é ignorância, é masoquismo. Ou, como li por aí algures, mais um “cão de guarda” da elite, que ladra para a proteger mas continua a comer restos e a dormir na rua. É triste. E é também por isso que combater a extrema-direita e a sua narrativa, todos os dias, é cada vez mais um imperativo moral.

Comments

  1. JgMenos says:

    Num ponto o Chega é da maior utilidade pública:
    Faz com que uns tantos regurgitem todas as ladainhas e estribilhos que vinham moderando para se darem ares de democratas, tolerantes à diferença de opinião.

    E é também por isso que combater os esquerdalhos e a sua narrativa, todos os dias, é cada vez mais um imperativo moral.

    • abaixoapadralhada says:

      La vem o Sa Lazarento a defender o Neo nazi.
      Mas ser “tolerantes à diferença de opinião.” é alguma virtude para um fachista como tu, repugnante coisa

    • POIS! says:

      Pois, , mas não é o único efeito!

      A avaliar pelo entusiasmo de V. Exa. e de outros Menos o já amplamente estudado efeito “André em Riste” vai ter certamente um efeito fenomenal no aumento exponencial da taxa de natalidade, principalmente na zona de Portalegre. Tentou-se tudo, filmes marotos, viagras e tal, mas nada. Agora com o Chega é vê-los desaustinados à espera nem que seja de um alívio.

      Aliás, há quem diga que foi para fugir a alguém mais insistente que o Ventura se meteu na igreja e depois veio de lá com o discurso da castração física. Está mesmo a ficar com o medo, embora dis farce.

    • Carlos Almeida says:

      JGMenos

      O que é ” combater os esquerdalhos e a sua narrativa,” ?
      Em 1968, o agora “democrata liberal” Dr Miguel Judice, combatia os esquerdalhos de Marcelo Caertano, de cuja ideologia se encontrava muito à direita. É que ele não era um “direitalho” qualquer, era um apoiante e propagandista da Falange, ala ultra direitista do fascismo Franquismo em Espanha.

      • JgMenos says:

        ‘Só os burros não mudam de opinião’ é princípio que dispensa boa parte do seu comentário,
        Se lhe acrescentar que diferentes épocas justificam diferentes soluções, nada mais sobra.

        O esquerdalho é um arquivista de ideias feitas em época remota, demonstradas como estando fundadas em falácias em épocas subsequentes, a que vão acrescendo idiotices mistificadoras dessas falácias, e que, desprezando toda a evidência, se quere ver reconhecido como anunciador de um inevitável futuro.

        • Paulo Marques says:

          Fala o neoliberal puro, racista e misógino sobre ideias feitas em épocas remotas e desfasadas da realidade. Certo.

          • JgMenos says:

            Como se a realidade fosse a cretinice pós-moderna, bombada por pseudo-intelectuais em busca de poder (vulgo, mama) que fazem da estupidez uma força inovadora!

            Quanto aos rótulos, podes esmerar-te, que vindo de esquerdalhos só me dão conforto.

          • POIS! says:

            Pois, temos de lhe dar razão!

            “que que fazem da estupidez uma força inovadora!”.

            JgMenos insurge-se com razão contra aqueles que das suas ideias se aproveitam e nada lhe creditam. É indecente!

          • Pedro Vaz says:

            O neo-liberalismo tem como objectivo a destruição dos povos Europeus (“brancos”)…é só ver como todo o Sistema está obcecado com imigração em massa e “anti-racismo” (anti-branquismo).

            O teu Mundo está ao contrário…neo-liberalismo é racista sim, contra os “brancos”. Vai dormir e pode ser que quando acordares vais ver a Realidade.

          • Paulo Marques says:

            Menos:

            A realidade é que a política financeira nem aquece nem arrefece a economia, só os comentadeiros e idiotas úteis ainda não receberam o memorando.

            Pedro:

            O neo-liberalismo vive muito bem com os muros europeus e com o abandono dos refugiados no mar, uma coisa nada tem a ver com a outra. Quanto ao resto, pá, cresce, que a melanina isso não se pega.

        • POIS! says:

          Ora pois!

          Depois de longas horas de análise e meditação sobre tão douto comentário ocorreu-me a seguinte resposta:

          O liberalote direitrolha JgMenos é um arquivista de ideias feitas em época remota, demonstradas como estando fundadas em falácias em épocas subsequentes, a que vai acrescendo idiotices mistificadoras dessas falácias, e que, desprezando toda a evidência, se quere ver reconhecido como anunciador de um inevitável futuro.

          Perdoe-me a idiotice pomposa e bacoca da prosa mas mas um gajo ás vezes não consegue mais. São dias!

          • JgMenos says:

            Estás no teu normal.

          • POIS! says:

            Pois!

            A princípio fiquei apreensivo por ter resposta. Pensei que era a pedir a cobrança dos direitos de autor.

            Afinal fiquei favoravelmente surpreendido: a sua contribuição para a idiotice é grátis. O povo está profundamente comovido com tão grande generosidade.

            Pelo que todos lhe pedem para prosseguir. Em especial os vendedores de castanhas que necessitam urgentemente de conteúdos para os papeis de embrulho.

  2. Paulo Marques says:

    Ninguém os impede de ser ignorantes e masoquistas, é para defender a plena liberdade de o ser que se defende a social democracia.


  3. não me surpreende em Portugal em que é mal visto a procura de informação e do conhecimento, em particular saber o que as coisas realmente são, afinal os cornos mansos têm de surgir de qualquer lado.

  4. Filipe Bastos says:

    E que tal uma pausa na etiqueta da “extrema-direita”, tão gasta e abusada que já só causa indiferença e revirar de olhos, pois conforme o dia e a fonte pode ser usada para significar tudo e o seu contrário?

    Sobretudo quando traz no adesivo a ‘identity politics’ que já toda gente deita pelos olhos, juntamente com a histeria politicamente correcta de certa esquerda que se esqueceu do que é a esquerda?

    O post é certeiro a identificar os cães de guarda da elite; o chavão “combater a extrema-direita” era dispensável. O Ventura não é um nazi, é apenas um chuleco oportunista. Fazer dele mais do que isso é ridículo e contraproducente.

  5. alvaro tojal says:

    O trabalhador por conta própria da Uber é um tipo perigoso para o Comuna. Trabalhar por conta propria para é um dos pecados mortais da religião Marxista.
    O Comuna aprecia os que em vez de procura emprego vão pedir subsidio ao IEFP. Esse é o caminho da dependência do Estado que é a forma da Comunada se manter no poder , a produzir pobres que votem neles.
    É também perigoso porque muito provavelmente é um individuo empreendedor, e todos sabemos o ódio que o comuna tem ao empreendedor, pois é aquela classe que tem tendencia a ganhar mais e esta se a CAGAR para o Comunismo – produtor de miséria.

    Alvaro Tojal

    • POIS! says:

      Pois, mas há uma questãozinha de partida que…

      Os trabalhadores da Uber são “trabalhadores por conta própria” e “empreendedores”? Então o que é a Uber? Uma cooperativa de empreendedores? Uma “fraternidade” cotada em bolsa?

      O problema, Sôr Tojal, é que são as Úberes que por aí pululam (á custa de créditos gigantescos, prejuízos anuais monstruosos e planeamentos fiscais ou seja, concorrência desleal ) que, justamente, estão a matar e a colocar ao seu serviço, retirando-lhes autonomia e rendimentos, os tais empreendedores de que fala.

      É muito bom ser livre de trabalhar 14 horas por dia seis dias por semana para sustentar uma família normal (cinco pessoas), num casal de “empreendedores livres”. Quando um serviço de “taxi” que tira, pelo menos, meia hora de trabalho ao “trabalhador por conta própria” custa ao cliente 3,10 euros quanto recebeu o “empreendedor livre”? E que custos irão repassar para a sociedade do excesso de trabalho e das inevitaveis faltas de presença na educação dos filhos?

      Sim, 3,10 e é se quer, que já anda por aí outra BandidUber qualquer a prometer ainda menos.

      A coisa parece ter tendência a alargar-se a outro tipo de atividades. Já há tentativas, por exemplo, nas limpezas domésticas embora aí seja um pouco mais difícil porque ainda funciona muito a economia informal. E porque quando veem o que lhes querem pagar muita gente prefere continuar como está Não é muito mais incerto e é, certamente, melhor pago..

      Não vim para aqui debitar conversa de cassete, sei do que falo. Tenho lidado, não importa aqui porquê, com variadissimas pessoas que trabalham, trabalharam e ponderaram trabalhar com essas “plataformas”.

      O resto são tretas Liberaleiras. Como a cassete já passou de moda deve ser podcast ou coisa que o valha. Até o padre da freguesia varia mais na missa.

    • Fernando says:

      Tinha que ser mais um crente da liberalisse para dizer que o trabalhador da Uber é um trabalhador por conta própria…

      A Uber gosta de fazer crer que não é uma empresa como as outras exactamente para não assumir as responsabilidades que as outras empresas têm, e isto inclui as responsabilidades com os respectivos trabalhadores. Isto foi feito de forma intencional, os chefes da Uber sabiam e sabem perfeitamente o que estão a fazer.

      A Uber é mais um esquema neofeudal destes tempos neoliberais.

  6. Pedro Vaz says:

    LOL! João Mendes e os seus argumentos brilhantes em acção. Observem a lógica do João Mendes: este Sistema (Estado Novíssimo) criou o estafeta “precário e explorado” portanto o vilão no meio de isto tudo é o unico partido anti-Sistema…lol…os argumentos ficam mais idiotas e insanos de dia-para-dia.

    Faz-me lembrar daqueles argumentos idiotas do tipo “Portugal também criou muitos imigrantes”…ou seja, estão a usar os falhanços do Sistema para defender o Sistema!

    Por falar nisso, como é que a importação de mão de obra barata (diversidade/multi-culturalismo/etc) ajuda o estafeta?

    • POIS! says:

      Pois sim, Xô Vaz!

      Vosselência tem mesmo treinado muito! No contorcionismo está um ás! Já experimentou is ao “Got talent” ou lá que é isso?

      Outro dos seus grandes talentos é na lógica de segunda categoria. Já leu o programa económico do Chega? Descobre lá alguma coisa que não seja o aumento da selvajaria laboral e social do “Sistema”? Isto já para não falarmos do tal “globalismo”. Não há maiores defensores do “sistema”.

      Aquilo que vosselência vê no Chega só pode ser motivada pelo facto de ser um supremacista branco e, portanto, denotando um baixíssimo QI.

      Mas deixe lá. Não podemos ser todos iguais. Tá a ver como estamos de acordo?

      • Pedro Vaz says:

        Globalismo/Nova Ordem Mundial (a mesma m*rda) é a fusão do Capitalismo e Socialismo juntamente com a completa diluição da diversidade racial, étnica e cultural do Planeta…como sempre não sabes nada.

        • POIS! says:

          Pois!

          E vê lá alguma coisa sobre isso no programa do Chega? Isto é contra essa merdiotice? Onde? Estão lá citados todos os ideologos neoliberais (Vonn Mises, Hayeck, etc,) que supostamente inspiram os tais Rothschild e companhia de que fala e que são os supostos mentores daquilo a que Vossa Suprema Ignorância chama “o sistema”.

          Cuidado com o contorcionismo, Xô Vaz. Ainda acaba com uma mama nas costas e a mijar pela cova do braço!

        • Paulo Marques says:

          Ninguém te obriga a diluir a tua raça, seja lá o que isso for, está descansado.

          • Pedro Vaz says:

            Existem formas de obrigar sem obrigar…já vistes os Sopranos? 70-80% do obrigar era sem obrigar.

            Achas que isto são teorias de conspiração malucas? Então deixa o Sarkozy dizer-te a verdade:

            Chega ou sobra? Se queres mais é só pedir…esta tenho o ex-presidente da Glodman Sachs a dizer abertamente que o objectivo é diluir étnicamente e racialmente a Europa.

          • Paulo Marques says:

            Vais ser violado por muçulmanas, tás tramado. Curioso como a banca que te enraba todos os dias está bem com isso.

          • POIS! says:

            Pois sim, Xô Vaz. Mas faça um favor:

            Leia o discurso TODO.

            Está aqui:

            https://aphec.fr/?article376

            A montagem que apresenta aqui é uma manipulação.
            Une partes do discurso distanciadas quilómetros, retirando as frases do contexto. Um velho truque do manuais de propaganda do Herr Goebbels ou dos Estalinismo.

            Aliás esta montagem provém de um blogue que tresanda a supremacismo. Se não quisessem manipular não colocavam a introdução. Não era necessário pois não?

  7. whaleproject says:

    O que partidos como o Chega fazem é dar a quem não consegue mais do que arranjar um trabalho precário alguma coisa para odiar. Ou seja, eu sou um desgraçado, que trabalho 14 horas por dia sem direito nem a apanhar coronavirus, mas sou melhor que esses sacanas ciganos e pretos e até que enfim que há um partido que me diz que eu sou bom e os outros, os pretos, os ciganos, e, já agora, os funcionários públicos e privados que têm direitos e lêm livros mereciam era ser todos mortos. Já agora, até que enfim que há um partido disposto a pôr toda essa canalha a viver mal, como eu. É isso que pensa o “coitadinho” para uns “empreendedor” para outros, do burro precário na Uber ou seja lá onde for que faz propaganda ao Chega e votará nele nas próximas eleições. O Chega permite a essa gente frustrada dar vazão á dor de corno. Desde que os outros, com algum juízo, sejam sempre mais que eles, tudo bem, e ladrem à vontade. O problema é se se tornam mais, como aconteceu nos Estados Unidos e Brasil.


    • Este comentário merece ser emoldurado.

      • Pedro Vaz says:

        É literalmente um dos maiores clichés políticos…ler o meu comentário anterior. “whaleproject” é mais um carneiro/papagaio dos médias e “intelectuais” do neu-feudalismo Globalista.

        • POIS! says:

          Pois, ficamos então a saber…

          Que lá pelo Chega os carneiros falam e têm penas. Se virem por aí um carneiro a gritar “Olhó Ventura” com voz esganiçada e penugem cor-de-rosa de certeza que é o Vaz.

    • Pedro Vaz says:

      O velhinho argumento do “bode expiatório”, página 2 do manual “Como Combater o Populismo”…um manual criado por Rothschild e Companhia.

      • POIS! says:

        Pois, mas qual argumento?

        Bode expiatório? Que argumento é esse? Nunca ouvi falar!

        Não será antes “bode espiatório”? Olhe lá bem para trás e veja se não há um bode a segui-lo para todo o lado! Esses Rothschild são perigosos e capazes de tudo!

      • Paulo Marques says:

        Bodes expiatórios são os supostos privilégios de parte da classe trabalhadora para que não se toque em quem mal nos paga para viver e ter um tecto.


    • « O Chega permite a essa gente frustrada dar vazão á dor de corno. Desde que os outros, com algum juízo, sejam sempre mais que eles, tudo bem, e ladrem à vontade.»

      Traduzindo: estabelecido um sistema de mama para uma maioria, os que ficam de fora que se f*.
      O esquerdalho no seu melhor!

      • POIS! says:

        Pois é!

        “O Chega permite a essa gente frustrada dar vazão à dor de corno” diz o whaleproject.

        E JgMenos dá imediatamente vazão, até com asteriscos!

        Em conclusão: o whaleproject. não podia esperar melhor demonstração da sua teoria!

      • abaixoapadralhada says:

        OH Menos

        “estabelecido um sistema de mama para uma maioria, os que ficam de fora que se f*.”

        Ao contrario do teu ídolo António de Oliveira Salazar, mais conhecido pelo “Botas” fez duranet 40 anos e que mais não era do que::

        “estabelecido um sistema de mama para uma MINORIA, os que ficam de fora que se f*.”


        • Debaixodasfraldas, menos que ignorante do que tenha sido o Estado Novo, és um treteiro miserável e caluniador.

          Algo das fraldas da padralhada te afectou o carácter!

          • abaixoapadralhada says:

            Sa Lazarento

            Dizes tu
            “menos que ignorante do que tenha sido o Estado Novo, és um treteiro miserável e caluniador.”

            Infelizmente para mim e para muita gente da minha geração, não consegui ser ignorante do que tenha sido o Estado Novo.

            Tenho 76 anos e conheci bem como muitos ainda vivos hoje, o que foi o Estado Novo.

            Com que então “estabelecido um sistema de mama para uma MINORIA, os que ficam de fora que se f*.”, é uma calunia. ?

            Nunca ouviste falar nas 10 famílias pois não ?

            Qualquer pessoa que tenha vivido nesse tempo sabe isso, mesmo que seja de direita, porque ao contrario de ti há gente de direita que foi e é contra o Salazarismo e a ditadura fascista.

            Vai contar essas tretasà garotada dos Venturinhas de 30 ou 40 anos.

            E para teu governo, gosto tanto da padralhada como dos Sa Lazarentos como tu


          • Debaixodasfraldas, se no tempo do Estado Novo eras membro das agências soviéticas acho que é bem possível que tenhas passado mal. Não te lamento muito!

            Com a tua idade ouvis-te falar nos tempos da GG e talvez tenhas sofrido a pobreza que sempre existiu e vinha de há muito tempo.

            Mas também viste o país a progredir ano após ano, a pobreza a diminuir ano após ano, viste os filhos a saírem de casa dos pais, a casarem e a terem casa e emprego e filhos; e és um cretino mentiroso se o negas.

            E as 10 famílias,que hoje serão 100 ou 1000, continuam sem ser maioria; mas essa é a tua raivinha esquerdalha que só te vai passar na cova.

      • Paulo Marques says:

        Mama é pagar mal, despedir a eito e poluir, deixando os outros a pagar com sangue, suor e lágrimas a sobrevivência de quem produz riqueza.

  8. Populista says:

    O burguesia esquedista-caviar acredita sempre que sabe o que é melhor para a classe trabalhadora apesar de terem todos alergia a óleo de maquina…

    • POIS! says:

      Pois tá bem!

      Quando encontrar esse burguesia diga-lhe. Talvez ele até o convide para comer um caviarzito acompanhado de um tintol do Cartaxo.

    • Paulo Marques says:

      Hmmm, e isso não se aplica ao sujeito em análise porque o grau é falso?

  9. Amora de Bruegas says:

    A forma “instruída” como o autor fala, ficamos com a ideia (errada!) de que Aventura e seus camaradas são os responsáveis pelas páginas mais negras da nossa História recente, dos últimos 46 anos…, da criminosa descolonização, das ladroagens com as nacionalizações, da democrática pedofilia, corrupção e endividamento, do proteccionismo de terroristas (FP25Abril), dos crimnosos incêndios que engordam uns camaradas com quentes negócios, matam dezenas de pessoas e desgraçam a vida a milhares. É assim…ou está errado?

    • abaixoapadralhada says:

      Dona Amora

      “páginas mais negras da nossa História recente, dos últimos 46 anos…, da criminosa descolonização, das ladroagens com as nacionalizações, da democrática pedofilia………etc etc”
      Não ponha mais na carta que já tinhamos percebido.
      Para lhe ser franco, “Sa Lazarento por Sa Lazarento” , prefiro o nosso amigo JGMenos, que pelo menos tem piada.

      A Bem da Nação

    • Paulo Marques says:

      Tendo o jovem rapaz, que fez carreira a defender um traficante de droga que passou a corrumper polícias e juízes, ido recentemente a um encontro de pessoas que nada têm a ver com isso, tenho a certeza que só foi lá pela vichyssoise.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.