Vírus de direita

Alt-Covid

Três palermas sem escrúpulos, três desastres no combate ao coronavírus, três negligentes que colocaram milhões em risco. Seja a fascista terraplanista, a troglodita egomaníaca ou a populista de tablóide, a direita que domina a cena internacional representa um perigo maior para a saúde pública que o próprio coronavírus. Uma curva exponencial de estupidez sem fim.

Comments

  1. É assim a vidinha. says:

    Quem é que escolheu estes palermas ?
    Se bem calha foram palermas semelhantes …

  2. Rui Manuel Fernandes Ferreira says:

    Tudo começou assim… são ciclos, dizem!

  3. JgMenos says:

    Agora é a direita?
    Tudo ao molho?
    Olha para a Espanha, treteiro!
    Espera um pouco que lá para a semana te darão por cá uma mascarilha.

    • POIS! says:

      Pois ficamos a saber!

      Que lá para a semana vêm-se gajos e gajas de mascarilha! Já não são apenas os funcionários públicos, à secretária. Agora vêm-se todos. É justo!

  4. Rui Naldinho says:

    Antes deste vírus de direita aparecer, houve um outro vírus que lhe abriu as portas. Chamou-se vírus do Centrão. Esse é para mim o verdadeiro contaminador das democracias liberais. E ainda por cima assintomático. Ou seja, não sentes, não dói, vais no engodo, e há primeira crise, aparece o vírus da direita a espalhar-se.
    Quando tu tens um regime comunista que cai com estrondo (Queda do Muro de Berlim e dissolução do Pacto de Varsóvia), mostrando toda a sua fragilidade, das misérias humanas aos abusos de poder, e ao mesmo tempo tens dois grupos políticos liberais, os sociais democratas e os democratas cristãos, que convergem para um ponto central comum, o financeirismo das economias e a desregulação total, a corrupção generalizada e uma justiça refém dessa agenda política, quase tudo sem diferenças significativas, apenas variantes no discurso, o que resta são os nacionalismos, os populismos, e por fim a extrema direita.

  5. Henrique Silva says:

    O maior inimigo da direita é… ela própria! Enquanto os humanos mais intelectualmente fraquinhos insistirem em adoptar esta ideologia, a direita só existe enquanto o resto do mundo insistir em proteger estes indivíduos, muitas vezes deles próprios. Se há algo a reter das últimas semanas é isto. A “esquerda” não é mais que uma ilusão para criar a narrativa de que existem dois lados, conceito fundamental para mascarar a realidade. Nestes dias a “esquerda” são todos que não se revejam nesta ideologia pateta e suicida. Se este vírus fosse um bocadinho mais mortal, daqui a uns anos a esquerda não seria mais que… os vivos.
    Veja-se no Brasil. Enquanto os poucos brasileiros minimamente inteligentes não hesitaram em meter-se em casa assim que possível, contrariado as directivas presidenciais ainda por cima, os bolsominions e o grande nabo em pessoa, na ânsia de provarem que jesus é mais poderoso que o tubo de ensaio, continuam por aí, aos beijos e abraços. E o padrão repete-se. Nos EUA os estados mais afectados, quer em novas infecções quer em mortes, são sem dúvida os estados do sul. Em regra, quanto mais simpático ao dogma da direita um governador for, mais afectado o seu estado está. Os políticos de direita deviam ser forçados a tatuar na testa um anúncio como se faz com o tabaco: “Atenção: votar neste indivíduo pode causar mortes nos seus familiares e amigos.”
    Este é sem dúvida um vírus de direita, no sentido em que vão morrer muitos mais conservadores que pessoas normais. Não por qualquer característica genética particular ou hábito mas por pura implementação feroz da sobrevivência do mais apto. O rato que não consiga cheirar o gato a tempo morre. O direitola que ignora informação factual e objectiva em prol do dogma do costume? Hoje? Também.

  6. Julio Rolo Santos says:

    Não sei quem escolheu estes três palermas que continuam a desafiar o vírus e a passarem imunes por ele, o que sei, é que o vírus é amarelo e tem os olhos em bico. Se passarem por ele ou por ela, passem ao lado.

  7. Amora de Bruegas says:

    Que pena…, tanta estupidez vermelha junta em tão pequeno texto. Enfim…, admito que prefira “inteligentes” como MSoares, Barraca abana, EMacron, Putin ou Xi Jiping.

    • POIS! says:

      Pois que pena ó Amora!

      Que pena…, tanta estupidez diretrolha junta em tão pequeno texto. Enfim…, admito que prefira “inteligentes” como Salazar, Trampa, Bolsoneiro, Salvini, Le Pen, Abascal ou Venturinha.

      • Pedro Vaz (Nacionalista) says:

        Salvini, Le Pen, Abascal e Ventura foram os primeiros nos seus respéctivos países a dizerem para fechar as fronteiras. Um facto que os medias e os carneiros se esqueçem de mencionar.

    • brasuca pro brasil says:

      Cheiras a brasuca à légua, Amora

  8. Pedro Vaz (Nacionalista) says:

    Não é altura do Aventar dizer ao João Mendes para se economizar com os “artigos”? É que ele faz do Aventar a página de facebook dele.

    Já agora Espanha e Itália são governos de “esquerda” seu burro e em países como o Brasil paralização da ecónomia significa fome REAL…como o bom fantoche do George Soros o João Mendes pensa como o típico esquerdista-caviar e primeiro-mundista arrogante.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.