António Costa’s Tancos-Vieira connection

António Costa foi a Tancos, pegou numa bazuca pelas orelhas e rebentou com os dois pés. O que ainda ninguém percebeu foi porquê. O que terá passado pela cabeça de Costa, a velha raposa política que sobreviveu a Sócrates para derrubar Passos com uma Geringonça, para se atirar de cabeça contra uma parede de betão? Estará a pôr-se a jeito para perder as próximas eleições? Para forçar antecipadas? Terá sobrestimado a sua popularidade, que já conheceu melhores dias? Ninguém sabe. Tirando o próprio e os assessores que terão passado o chão a pano.

O que também ninguém sabe é o que realmente aconteceu depois. Quem tomou a iniciativa? Luís Filipe Vieira ou António Costa? Quem tinha mais a perder? Quem ficaria em piores lençóis por estar ao lado de quem? Da parte que me toca, acho que a resposta às três últimas questões é a mesma: António Costa. Para Vieira era igual. Tinha à sua disposição a honra de vários políticos, do sapato de vela à foice, e não faltava lá quase nada. Mais unânime que qualquer orçamento de Estado. Até André Ventura, sempre naquela postura de pitbull, parecia um daqueles mini-cachorrinho que cabem dentro de uma chávena de chá.

Já li por aí (e concordo) que isto foi mais ou menos assim: Costa deu conta do estrago causado nos pés e mandou um assessor à Luz, mandato para sugerir ao assessor de Vieira que despachasse todos os políticos da lista, para acabar com a “demagogia” da turba. Desta forma, Vieira seguia com a sua vida sem se chatear muito e Costa não tinha que se expor à humilhação de ter que admitir o erro e recuar, correndo o risco de se meter em trabalhos com a nação benfiquista. O cartoon em cima, portanto, poderá ser enganador. Mas acaba por ser mais útil, para ambas as partes, do que à primeira vista poderá parecer. E não deixa de ser engraçado e realista, já que ilustra bem como o futebol se posiciona acima da sociedade, impune e imune, a cagar na cabeça de todos os portugueses, ali representados pelo seu primeiro-ministro

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Há um Costa “cagão” e um Costa “sagaz”. Desta vez o Costa “cagão” quis dar um ar da sua graça, em detrimento do segundo. Não sei se estou confuso ou se me vem à memória um célebre José, de Vilar de Maçada.
    Costa fodeu-se!
    A petulância fez esquecer-se de um princípio básico:
    Mais vale cair em graça do que ser engraçado (vulgo, “cagão”).
    Desculpem-me o vernáculo, mas este Costa armado em “lampião das Nicas” , não merece outra coisa.
    Já o SL Benfica que é uma instituição respeitável como todas as outras congéneres, merecia ter um sócio, na qualidade de PM, com mais sensatez e acima de tudo, frieza de raciocínio.

  2. Filipe Bastos says:

    O SL Benfica é tão respeitável como qualquer balde de merda.

    O FC Porto, o Sporting e demais congéneres são outros belos baldes de merda, ainda que os respectivos carneiros os tentem branquear.

    O Costa age assim porque pode. Ele sabe que pode. Há décadas que passa entre os pingos da chuva, amparado pela maior máfia do país – o Partido Sucateiro – e pela putaria a que chamamos comunicação social, a começar pelas TVs, o Espesso e o Público.

    Basta lembrar as escutas da Casa Pia. Está ali o Costa de hoje e de sempre. Chulo, pulha, autocrático, seboso, mafioso, presunçoso, e sim, cagão. Essas escutas deviam passar todos os dias.

  3. César P. Souss says:

    Faltou o COSTA PIMPÃO .

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.