Pode haver quem não note, mas esta gente é irresponsável- o acordo UE-Mercosul

Reza a opinião do eurodeputado Paulo Rangel:

Um exemplo relevante em que, embora sem sucesso, a presidência portuguesa esteve bem foi a do acordo de comércio entre a UE e o Mercosul. O estreitamento de laços comerciais entre a Europa e a América do Sul é decisivo, não apenas na dimensão económica, mas também ambiental, social e de geopolítica global. Aqui, verdade seja dita, Portugal tem cumprido escrupulosamente aquela vocação de “ponte” ou de “fazedor de pontes” que justamente a dupla identidade lusófona e europeia lhe dá”.

Blábláblá e toca a andar para a frente com um acordo catastrófico para o Planeta e os Direitos Humanos, entre outras calamidades que promove.

Esta gente anda a chegar achas ao Planeta e não é julgada por isso. A História o fará, mas, até lá, já o mundo será um lugar diferente e as gerações futuras terão de se amanhar.

Comments

  1. JgMenos says:

    Para se cuidar da floresta cá do sítio – e veremos o quanto e o como – é preciso ir buscar dinheiro a Bruxelas que a cambada quer é subsídios e um SNS do calo ao cancro.

    E o melhor que fazem é querer o resto do mundo a arroz e feijão, .ou similares desse baião de dois.

    Diz-me o que deves fazer pelo planeta e não o que o planeta deve fazer por ti – tomando o discurso do defunto Kennedy.

    • POIS! says:

      Pois a primeira coisa a fazer…

      Será gente, como avulta o caso de Vossa Alteza Salazaresca, deixar de esparramar estupidez às pazadas por metro quadrado de prosa.

      A partir daí…

    • Paulo Marques says:

      Chamar-se união económica, com moeda própria e tudo. Por alguma razão é um argumento que não existe numa certa união de estados, só nesta.

    • POIS! says:

      Pois deixe-se o “mercado” atuar e…

      A base da alimentação do Burkina Faso passará a ser o lavagante. E a do Burundi o caviar.

      Entretanto pode-se misturar o feijão, que os pobrezinhos já enjoam, com muito óleo de palma para fazer “gasóleo verde”.

  2. Filipe Bastos says:

    Creio que o Jg está a sugerir que as boas intenções dos activistas colidem com os sacrifícios que estão dispostos a fazer, ou as coisas boas / fáceis de que estão dispostos a abdicar.

    Uma espécie de ‘ecologistas caviar’, digamos.

    É uma acusação habitual e esperável de um direitalha como o Jg, mas não totalmente injusta para com algumas Gretas e berloques.

    Quanto ao post, claro que a Ana tem razão: estes pulhas jamais serão julgados enquanto os mamões mandarem na UE e no mundo. Mas a esquerda está demasiado ocupada com wokices.

    • Paulo Marques says:

      Está, como se não se soubessem coisas como esta

      https://www.transportenvironment.org/press/luxury-cruise-giant-emits-10-times-more-air-pollution-sox-all-europe%E2%80%99s-cars-%E2%80%93-study

      E como se os comportamentos individuais fossem capazes de contrariar enviar pénis para perto do espaço.
      Ufa, ter ficado em casa afinal salvou o mundo, deixa-me festejar… ah, continua a arder? Pois.
      O que vale é que as esquerda não apela à greve e ao protesto, que é só para xulos, e limitam-se a criticar a PAC e o Mercosul onde isso é inútil.

    • Filipe Bastos says:

      Ufa, ter ficado em casa afinal salvou o mundo, deixa-me festejar… ah, continua a arder? Pois.

      É verdade que o esforço da pessoa comum é ingrato e inútil quando os grandes mamões continuam a poluir e a mandar no mundo, sacrificando-o por pilas espaciais e lucros bem mais obscenos que as pilas.

      Mas se a pessoa comum nada faz, nem sequer o pouco ao seu alcance, então sujeita-se a ouvir que falar é fácil quando nem sequer abdica de nada. E não creio que queira ouvir isso.

      • Paulo Marques says:

        Fazer muitos boicotes em nada muda ouvir dizer que uso a Amazon, leio o Guardian, tenho iPhone e outras assumpções erradas.
        Mas isso faço porque posso sem me afectar materialmente, coisa que não posso medir à maioria.

  3. Ana Moreno says:

    “O que vale é que as esquerda não apela à greve e ao protesto, que é só para xulos, e limitam-se a criticar a PAC e o Mercosul onde isso é inútil.” Paulo Marques, se conseguir organizar alguma greve ou protesto avise, que eu lá estarei. Subscrevo já já que uma reviravolta sistémica é imprescindível. O que não me impede de ir lutando em cada absurdo que vai fazendo caminho.

    • POIS! says:

      Parece-me que a afirmação do Paulo…

      Não deve ser tomada à letra. Quer apenas desmontar, de forma irónica, o discurso habitual do Filipe Bastos…

    • Paulo Marques says:

      Era sarcasmo. Embora, de facto, seja difícil mudar grande coisa sem força popular, mas vai-se fazendo no centro da democracia apesar das restrições institucionais que os cidadãos nem querem questionar e que impedem outras formas.
      E com uma visão neoliberal, não há mais a fazer a não ser esperar por milagres tecnológicos e caridade dos bilionários; mas se se acha que a COVAX correu bem, esperar o quê?

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.