E o prémio “Socialista Insurgente” vai para…

(rufam os tambores)…Francisco Assis! Ou, nas palavras de André Azevedo Alves, “Uma voz lúcida, mas quase isolada, no actual PS“. Uma bonita homenagem num momento particularmente difícil.

Ecos do ministério da propaganda

MoP

Os ideólogos do velho regime estão a tentar, uma vez mais, vender-nos o fim do acordo à esquerda, procurando criar artificialmente a instabilidade que o sistema financeiro não lhes fez ainda o favor de criar. Os blogues afectos ao “Tea Party” nacional, onde se inclui o blogue travestido de jornal que congrega parte significativa da fina flor que inspirou o ministério de propaganda pafista, querem que acreditemos que a votação do orçamento rectificativo representa o início do fim do acordo entre PS, BE, PCP e PEV. Como se o PSD não estivesse forçado a no mínimo abster-se da solução apresentada para a borrada que fez no governo, e com a qual o seu líder afirmou concordar. Como se os partidos à esquerda do PS fossem telecomandados como os deputados do PSD e do CDS-PP o foram durante a vigência do anterior governo. Como se esses mesmos partidos de esquerda, cientes do sentido de voto do PSD, não soubessem de antemão que poderiam juntar o melhor de dois mundos e agradar ao seu eleitorado ao passo que nada de grave se passava com o seu parceiro governamental. [Read more…]

Não é caca, é mesmo merda

eat shit

Anda a nossa extrema-direita neoliberal numa desmesurada lufa-lufa tendo por alvo a Raquel Varela. Não procurem uma linha que seja onde se critique o que tem a moça publicado sobre o país onde estamos – não há. Mas já teclar sobre a personalidade, o clássico argumentum ad hominem, floresce-lhes nos dedos com uma dimensão inesperada.

Ele foi a Helena Antena1 Matos, por conta do guarda-roupa de Passos Coelho, a beata Maria João Marques desenvolvendo o tema dos trapos, sobre o que imagina nos seus piores pesadelos ser o socialismo, e agora André Azevedo Alves em pleno estilo Ramiro Marques, a que pelos vistos não segue só a linha censória de comentários, caindo na velha argolada de invocar o socialista e notável anti-estalinista George Orwell para meter uns bacóros ao barulho.

Ainda pensei que tanto trabalho vindo de quem despreza o papel da sua força se deveria a uma pepinada televisiva que a rapariga frequenta, e nunca consegui ouver dadas outras presenças intelectualmente repulsivas. Mas parece ter a coisa explicação mais prosaica. Escreve este último: [Read more…]

Personalizar e Despersonalizar a Crítica

André, André, como é que podes ser tão suave: «Personalizar a crítica na figura de José Sócrates é apenas mais um dos erros da “direita” portuguesa.» Lamento, mas despersonalizar essa mesma crítica é que é apenas mais uma forma de ser cúmplice com os erros da “esquerda” moderada portuguesa. É terrível que Passos, ao não denunciar o Passado Burlo-Keynesiano e ao fazer pesar sobre nós todo o peso do ajustamento, na prática caucione e justifique aqueles abusos, tudo o que está para trás, num silêncio consentidor.

Não deves ter vivido no mesmo País que eu, um País toldado pela frenética engrenagem mediática com a sua barragem diária de fogo e que custou balúrdios a esse Estado Português cujo problema-não-era-sócrates. Que disparate! Pela primeira a vez, o mau carácter e as más políticas casaram tão perfeitamente que o primeiro determinou o grau de abuso das segundas e as segundas só se agudizaram sob o influxo tresloucado do primeiro.

Demasiada brandura cheira-me a esturro.