Afinal ainda podia ser pior

.

.

O gráfico, publicado no Expresso, demonstra que a direita portuguesa e os seus investidores além de acreditarem no céu ainda são masoquistas. Glorificar as virtudes do neo-liberalismo irlandês enquanto acto ideológico seria normal, meter lá dinheiro demonstra que o capital ainda por cima  acredita no que pensa, demonstrando que deixou de pensar.

Pior do que isso, mesmo que hoje seja anedótico o que se escreveu sobre a Irlanda, continuam a fazer(genu) flexões, e insistem, insistem, insistem.

Comments


  1. Hoje, o gráfico bem demonstra como particularmente nos interessa, a nós portugueses, que a banca irlandesa resolva os seus problemas.
    Retrospectivamente, o que o gráfico evidencia é que o capital português voou para onde recebia melhor rentabilidade, o que nada tem de extraordinário, muito menos de neoliberal. Ou acaso o Aventar faz os seus depósitos a prazo nos bancos que lhes oferece menores taxas de juro?


    • O Aventar não faz depósitos. Eu faço, exclusivamente na CGD, sem olhar para a rentabilidade e pondo em primeiro lugar a segurança. Quem fez depósitos no BPN ou no BPP deve estar agora a pensar no mesmo.


      • Vejo que é um investidor avesso a riscos. Sua escolha e seu direito. Mas não tenha a certeza de que tudo o que entra (deposita) na CGD de lá irá sair… até porque quem está a pôr dinheiro no BPN bem sabemos quem é…
        Entretanto, atente no andamento das coisas cá pelo burgo em bancos “respeitáveis” e muito ecologicamente “verdes”. Aqui.


  2. Essa do BPN é o estado em última análise que o segura. O que significa que se a Caixa paga, pagamos todos.
    Foi assim que a Irlanda se lixou.

Trackbacks


  1. […] This post was mentioned on Twitter by Blogue Aventar, joao j cardoso. joao j cardoso said: Afinal ainda podia ser pior: O gráfico, publicado no Expresso, demonstra que a direita portuguesa e os seus inve… http://bit.ly/aYMBUq […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.