O que se passa no Público?

Reparem, a Directora do Público afirmou ao i que o Conselho de Redacção do Público fez “uma manipulação intolerável dos factos”. Mais, diz também que nenhuma notícia do caso das secretas deixou de ser publicada.

 

Hoje ficou-se a saber que, afinal, o Ministro Miguel Relvas nunca falou directamente com a jornalista em causa e que lhe foram dados 30 minutos para responder a todas as perguntas (enviadas por mail).

 

Por tudo o que já vi escrito nos jornais, mais parece estarmos perante uma guerra de poder interno no Público. A ser assim, é de enorme gravidade usar o nome de terceiros para batalhas internas de poder numa redacção. Ainda por cima quando o “usado” é um ministro. Como dizia o VPV, o mundo está a ficar perigoso…

Comments

  1. Zumbindo Zombies Zombavam says:

    in tolerável? ou seja só a apalpou um pouquinho?
    tirou-lhe as cuecas mas não conseguiu pôr-se em pé?

    diz-se manipulação intolerável dos fatos por Ambos estarem de fato e gravata?

    con sul thor est…..aparentemente a con sultoria já nã se faz nas relvas dos campos de golfe

  2. Zumbindo Zombies Zombavam says:

    o público tem um l a mais? ou um Balsemão a menos?

  3. XAVIER says:

    Realmente este post tem a sua graça!…O Público anda em “guerra” e o pobre do coitado do ministro pede desculpa…de quê?!… Haja bom senso e pudôr…

  4. Punheteiro says:

    Miguel Relvas acusado de ameaçar a jornalista do Público Maria José Oliveira com a divulgação de dados pessoais na internet.

    Ministro dos Assuntos Parlamentares explica no parlamento as suas relações e interacções com o ex-espião Silva Carvalho.

    Ex-espião Silva Carvalho acusado pelo Ministério Público de acesso ilegítimo a dados pessoais do jornalista do Público Nuno Simas.

    Também se fazem desenhos.

  5. Jaime Marques says:

    Pois é meu caro. Era tudo mais concreto e claro quando andava pela iniciativa “TODOS PELA LIBERDADE” (http://todospelaliberdade.blogs.sapo.pt/374.html). Como a memória e as posições são curtas neste país! Vergonha, é o que se pede. Mas talvez seja pedir muito. Não é?


  6. Mestre de humor, este Fernando!…
    Pela minha parte, muito obg.

  7. Sara says:

    Este post, a não ser uma brincadeira, é inacreditável… Merecemos mesmo o país que temos, com pensamentos destes.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.