Cheira Mal, Cheira a Troika

Como é que chegámos à situação de bancarrota ou pré-bancarrota?! E porquê insistir na narrativa que o senso comum já assimilou e reproduz todos os dias, culpando o passado e não tanto o caminho aselha seguido agora? Porque, salvo raros media, parece proibido assacar e imputar ao PS, e ao sapateiro que o guiou, responsabilidades crassas pelo que nos trouxe até aqui. Veja-se o Público: obnubilação completa dos casos e podres do espécime sob a égide de São José Almeida, uma das opinadoras residentes mais profundamente suspirante e messianística do passado rançoso recente do seu partido.

Se é certo que o TGV não se concretizou e, quanto a aeroportos, nasceu somente o elefante branco do de Beja onde as ervas e os chaparros medram, muito dinheiro foi queimado em estudos e compromissos, coisa a não escamotear no seu impacto. Perante a rebaldaria completa e a captura do Estado pelos fautores de negócios chorudos para si à conta de PPP e de outros desmandos grosseiros contra Portugal, o FMI, que é uma rigorosa merda falhenta e caolha, seria infinitamente melhor que continuarmos sob saque socialista, com os saqueadores socialistas de orçamentos sempre sorridentes, protegidos pela Procuradoria e pelo Diabo-a-Quatro, dignos de repouso e sossego.

Depois veio Passos com a Troyka, outra merda atrevida e caolha, inocular um zelo desmesurado na aplicação de uma receita sacana, estranguladora, subindo impostos como os outros, sacrificando os mesmos como os outros, desengordurando o Estado, mas pouco, coisa a que os outros se recusavam, porque estar no Estado, usá-lo, e sugar-lhe tudo para si, sempre foi o desígnio supremo dos ratos do Rato, a começar pelo devorista exemplar Soares, pai carnal e espiritual deles todos. O FMI cheira mal. A Troyka comprime-nos como se fôssemos insectos.

Passos não tem rasgo, obedientíssimo incapaz de um leve e saudável desalinho, uma ideia, um discurso mobilizador, mas dá-se a homilias reeducadoras dos portugueses, no seu sobejo sofrimento. Mesmo assim, todos, sobretudo os mais pobres e a classe média, apontam prioritariamente as culpas todas, todos os dias, para cima daqueles que tudo fizeram para este atascar em dívida. Nada mais natural. Encalacrar Portugal foi fácil. Sair daqui é que é difícil.

Comments

  1. joao says:

    Merkel…..

    “A chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu na quarta-feira que ela e o Presidente francês, François Hollande, defenderam posições diferentes na cimeira informal de líderes da União Europeia (UE) sobre os ‘eurobonds’, mas falou de um diálogo «equilibrado».”

    Uma vergonha!
    Pedro Passos Coelho apoia Merkel….

    “A emissão conjunta de obrigações europeias “não é resposta para a situação atual” da Zona Euro, afirmou Passos Coelho na reunião informal dos líderes europeus que decorreu na quarta-feira em Bruxelas. O primeiro-ministro considera que a emissão de “eurobonds” não é viável nesta altura.”

  2. joao says:

    #0,

    Pois não, não tem.

    “Passos não tem rasgo, obedientíssimo incapaz de um leve e saudável desalinho…”

  3. Lucas Galuxo says:

    Há uma coisa que o Palavrossaurus tem esquecido explicar: Se o PS só governou em Portugal porque é que o problema é o mesmo por todo o lado? http://www.youtube.com/watch?v=E1Kzp5EVUWg&feature=share

  4. maria celeste ramos says:

    E onde é que este governo fez “menos bem” do que o anterior ?? muito se desculpa para tudo – e electricidade é escandalosamente mais cára – a água vai aumentar escandalosamente – os deputados estão-se nas tintas e continuam a comer o mesmo ou mais – quel a diferença ?’ por favor expliquem-me porque sou burra demais para perceber – quem é que eu posso culpar da minha ignorância e “invalidez” ?? 22H-RTPInformação – que diálogo vergonhoso – ente estes e futebolistas não vejo diferença excepto, talvé, que os futebolistas ainda ganham mais e nem sei se pagam IRS

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.