Deputado português só come perdiz, lebre, pombo torcaz e camarão/gamba grande

Sempre soubemos que os deputados portugueses se tratavam bem, mas até agora não sabíamos até que ponto podia chegar o descaramento.
No caderno de encargos do concurso de fornecimento de refeições na Assembleia da República, o critério mais importante na selecção do fornecedor não é o preço, como seria de esperar num país mergulhado na crise, mas a ementa apresentada na cantina e nos 2 restaurantes de luxo existentes.
Os senhores deputados não podem comer qualquer coisa e alimentos como perdiz, lebre, pombo torcaz, rola e similares, lombo de novilho, lombo de vitela, lombo ou lombinho de porco preto (bolota) e camarão/gamba grande (24 por Kg ou maior) são receita garantida para ganhar o concurso. É ainda obrigatório disponibilizar diariamente aos representantes da nação 5 pratos à escolha, 8 variedades de sobremesa, uma mesa com um mínimo de 8 complementos frios e uma mesa com 4 componentes de comida vegetariana.
O caderno de encargos chega ao ponto de indicar a única espécie de bacalhau permitida, o tipo de café servido aos deputados (de 1.ª, obviamente), o tipo de músculos a partir dos quais se devem obter os bifes e por aí fora. No bar, a empresa vencedora deve garantir 3 variedades de vodka, 16 tipos de whisky, 4 vermutes, 4 brandies e 8 licores.
E como a dignidade de um deputado está acima de tudo, o restaurante da Assembleia da República deve ter em contínuo 1 Chefe de Sala, 2 Empregados Mesa, 1 Cozinheiro de 1.ª e 1 Empregado de Bar.
Por tudo isto, pagam os senhores deputados no restaurante de luxo uma média de 10 euros e menos de 4 euros na cantina. O resto pagamos nós, como está bom de ver.
Mas há mais, muito mais, no caderno de encargos consultado pelo site Má Despesa Pública. Vale a pena ver.
Por curiosidade, numa qualquer Escola Pública, escolhida ao calhas, a ementa da semana é: Segunda-Feira: Esparguete à bolonhesa; Terça-Feira: Lulas estufadas com arroz de ervilhas; Quarta-Feira: Carne de porco à alentejana; Quinta-Feira: Meia Desfeita (bacalhau, grão-de-bico e ovo); Sexta-feira: Arroz de Pato.
Bem bom, digo eu, que me regalo com cada um daqueles pratos! Mas como é óbvio, um deputado não pode comer esparguete ou grão-de-bico. Comerá em casa, à sua custa, mas não no Parlamento à custa do Estado. Afinal, a crise não é para todos e não pode ser paga por todos!

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    E será que levam para casa o que SOBRA, numa caixinha de alumínio ou de crsital de Murano ??

  2. Carlos Prim says:

    E mesmo com estes menus também escolhem outras papas… Papam o povo por tolos, outros papam por covardes e piegas e ainda por fruta de espremer.

  3. Zé Carioca says:

    E depois admiram-se que “aquilo” não produz nada!? Com estas iguarias nem dá vontade de trabalhar, nunca mais chega a hora do tacho. E se os mandássemos f… a todos?

    • António Gomes Vilas Boas Neto says:

      Eu por mim já os mandei f… a todos. Só voto em quem confio. Toda a gente diz que eles são: golosos, aldrabões, mentirosos, gat. corrupt.,etc. Como não confio nessa escumalha, pura e simplemeste não gasto solas com ela.

  4. Pisca says:

    Ainda se fosse a Casa Real, estava tudo nos conformes

  5. metalurge says:

    Estão admirados ? Não sei porquê. Falam falam mas ninguém fáz nada. Nós portugas gostamos é de baixar as calças. Isto é mais um exemplo dos nossos “queridos” políticos com as medidas de austeridade (só para alguns…claro).
    Gostaria de saber a opinião dos ditos partidos de esquerda, (que são os que defendem o povo de todas as injustiças sociais) sobre isto, ou só são de esquerda antes e depois do almoço ?
    Mas para nós povo, enquanto houver sardinha assada e um garrafão de tinto, está tudo bem.
    Nas próximas eleições vão todos votar para o tacho continuar.

  6. José Augusto Dias (BI 2324816) says:

    Por qualquer acaso não foram alguns portugueses, que os elegeram, para as proximas eleições vão votar no mesmo ou pensarão exercer o direito de voto mas votando em branco calculam a aflição destes nossos politicos se todos os portugueses que votam o fizessem, já pensaram na bronca que seria se todos votassem em branco. A constituição deveria ser alterada e que os votos em branco fossem considerados e que essa percentagem conrrespondesse a lugares vazios no parlamento, eu voto mas o meu voto é em BRANCO.
    Façam o mesmo e verão o arrepio que os nossos politiqueiros vão sentir. Bem hajam

  7. f viegas says:

    desgovernados por esta canalha, matem-nos

  8. Joao Ferreira says:

    Está na hora de acabar com estas obscenidades! Já chega….

  9. nb@nb.com says:

    Deviam comer Merd@!!!


  10. Ofereço 4milhões de € pela cabeça do drogado.

  11. José says:

    Bom, bom era ninguém votar, pelo menos não era atribuído dinheiro aos partidos (sabiam que recebem por cada voto que têm?)…

  12. Agostinho Freitas says:

    ESCOLHER ENTRE UM LADRÃO ROUBAR A CARTEIRA E O ESTADO FICAR COM ELA …..PREFIRO O LADRÃO POIS SÓ FICA COM O QUE ESTÁ NA CARTEIRA,,,,,,O ESTADO FICA COM O QUE ESTA E O QUE NÃO ESTA…

Trackbacks


  1. […] Aventar Partilhar:EmailPrintGostar disto:GostoBe the first to like this. Categories: Poesia de Escárnio […]


  2. […] os sindicatos. Porquê? Só para saber. Temos direito a saber, não é? É natural que um homem, ainda a digerir a sua perdiz, queira saber. O jotinha ainda não passou da fase em que os putos, no meio de uma discussão sobre […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.