Lousada campeão nacional de Hóquei em Campo

A Associação Desportiva de Lousada (ADL) sagrou-se tricampeã nacional de Hóquei em Campo em seniores masculinos e conquistou o sexto título da sua história, o quarto em cinco épocas, igualando assim o Futebol Clube do Porto e o Clube Futebol Benfica na história da competição máxima da modalidade no nosso país, mas ainda atrás do Ramaldense FC, o clube mais titulado, ainda que, no momento, com a prática suspensa por dificuldades estruturais e financeiras.

Nas últimas três épocas, a formação do Vale do Sousa conquistou as maiores provas do calendário nacional no escalão de seniores masculinos, nomeadamente os Nacionais de Campo e Sala (indoor).

Para chegar ao título, a ADL venceu a Académica de Espinho, que chegou a estar em vantagem na final do play off, disputado à melhor de três,no seguimento da vitória por 3-2 na 1.ª mão, realizada em Lousada, mas a equipa orientada por Bruno Santos respondeu à altura e venceu os 2.º e 3.º jogos, levando o título, uma vez mais, para Lousada.

No jogo decisivo para atribuição do título, a ADL venceu a Académica de Espinho por explícito 5-1, resultado que não deixa dúvidas quanto à justiça do vencedor do encontro e do campeonato.

Texto: Armindo de Vasconcelos

Foto: fphoquei.pt

Nota: O Aventar inicia aqui a divulgação de um dos muitos desportos quase ignorados em Portugal. O campo está aberto a outros. Contactem-nos.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Só é pena que “desporto” seja apenas o futebol pois há clubes e desportos e desportistas desde os meninos extraordinários e que os jornalistas (incluindo TV) desconhecem (????)
    Pasando pela canoagem-ciclismo-judo-atletismo de várias idades – vivo num pís de “classes” esquecidas e removidas do quotidiano
    o que me “consola” é que como a população é a mais velha da europa, um dia estar~
    ao mais lixados do que aqueles que lixam agora e terão meninos pela barriga das pernas ou então “xinesinhos” nascidos aqui e a falar sino-português a não ser que o brasilês se imponha sem remédio com parece acontecer – nada falta desprezar e destrir nem a lingua pelo que 10 junho não será mais o DIA da lingua – a não ser de vaca louca e eu odeio este “pitéu” tão admirado na gastronomia portuguesa (por enquanto)

  2. Miguel Moreira says:

    Bons tempos em que o meu pai me levou a ver alguns jogos no Viso e a Ramalde… ainda eram campos em terra batida! 🙂

    • Armindo de Vasconcelos says:

      É para esses, que por lá andaram sem voz mas presentes, que também se faz este cantinho. Obrigado pela partilha

      • Miguel Moreira says:

        O meu pai sempre foi adepto de desportos “pouco ortodoxos”… 🙂

        Capitaneou a equipa de andebol do Salgueiros até ter que ir trabalhar para Viana do Castelo nos finais dos 70’s, numa altura em que nem sequer havia um pavilhão onde pudesse treinar…

        Além do hoquei em campo (do qual ainda me sabe explicar as regras e vai vendo uns jogos na TV) é um seguidor de ciclismo e adora Rugby que também segue com algum carinho (não tanto as peripécias nacionais, mas os grandes torneios de selecções)…

        Nesses tempos idos era costume ir aos Domingos de manhã ver uns joguitos de hoquei em campo, numa altura em que o Porto ainda tinha equipa (um dos jogos que vi no Viso foi precisamente com o Porto)…
        Recordo ainda um Ramaldense-Benfica que fui ver com ele que, como qualquer bom duelo entre equipas do Porto e de Lisboa, fervilhava de rivalidade (saudável) fora das quatro linhas… 🙂

        Armindo, eu é que agradeço por me ter feito recordar algumas horas bem passadas… 🙂

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.